segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

(Autor: Bispo José Ildo Swartele de Mello)
Introdução
Os pré-tribulacionistas afirmam que Deus não permitirá que a Igreja sofra no período da Grande Tribulação. Mas, não existe nenhum versículo bíblico que ensine que a Igreja não passará pela Grande Tribulação e nada existe também na Bíblia sobre uma Segunda Vinda de Cristo em duas fases ou etapas, separadas por sete anos de Grande Tribulação, e também não há nada sobre um arrebatamento “secreto”, pois não há nada de secreto e silencioso nos relatos que descrevem o arrebatamento da Igreja (1Ts 4.16-17; Mt 24.31). 

Outra incongruência deste ponto de vista é a ideia de um arrebatamento para tirar a Igreja e o Espírito Santo da Terra antes da manifestação do anticristo. Se este fosse o caso, o anticristo seria anti o quê? Isto de remover a Igreja e o Espírito Santo e aí, sim, termos a conversão de Israel num período curto de 7 anos, é uma ofensa ao ministério da Igreja e do Espírito Santo; Um reducionismo da Missão da Igreja e do Espírito que promove escapismo e alienação, além de ferir o bom senso. 

Agora, passarei a expor o ensino das Escrituras Sagradas a respeito deste assunto. Começarei mostrando que tanto Jesus como seus apóstolos advertem que a Igreja passará por muitas tribulações, inclusive pela chamada Grande Tribulação e que isto não é sinal de abandono ou derrota. Depois estudaremos os sinais que precedem a Segunda Vinda de Cristo. Demonstrando que o ensino bíblico é que o Arrebatamento da Igreja acontecerá após a Grande Tribulação, sendo parte integrante da Segunda Vinda de Cristo que é um evento único e visível para todos os habitantes da terra. Jesus destruirá o Homem da Iniquidade com o sopro de sua boca por ocasião da sua vinda. Por fim, depois de demonstrar a falta de base bíblica do ponto de vista pré-tribulacionista, tecerei algumas considerações sobre a preocupante origem de tal doutrina, que não tem a Bíblia com sua fonte de inspiração, mas visão profética de uma pessoa do século XIX. 

A Igreja, a perseguição e o martírio cristão. 
Jesus deixou claro que o primeiro requerimento para se tornar cristão é “tomar a cruz” (Mc 8.34). Jesus disse também que “não é o servo maior do que seu Senhor. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós outros” (Jo 15.20, cf . 13.16, Jo 16.33), devendo o discípulo sempre ter a consciência de que, seguir o Servo Sofredor, que na cruz morreu, é se identificar com ele em todos os sentidos, não somente na glória da sua ressurreição, mas também na dor de seu sofrimento na cruz. E Paulo deixa bem claro que o cristão possui uma sina de sofrimento quando diz: “Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo, e não somente de crerdes nEle” (Fp 1.29). Paulo exortava os cristãos a permanecerem firmes na fé “mostrando que, através de muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus” (At 14.22). São numerosos os textos que falam a respeito do sofrimento da Igreja e do cristão.1

A Igreja em todos os tempos sofreu perseguições fortíssimas. Como é que os cristãos primitivos poderiam entender que Deus não permitiria que a Igreja passasse pela Grande Tribulação sendo eles próprios vítimas de toda sorte de crueldades e sofrimentos, quando cristãos eram mortos por amor a Cristo aos milhares? Os primeiros séculos da era cristã são conhecidos como a Era dos Mártires. O Apóstolo Paulo não nos dá esperança de escape ao sofrimento, pelo contrário, ele diz aos cristãos de Roma: “Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores por meio daquele que nos amou.” (Rm 8.35-37). Paulo ainda diz que: “... todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (2 Tm 2.12). O livro de Apocalipse tem como propósito confortar e animar cristãos que estão em grande tribulação (Ap 1.9; 2.3-13; 6.9s; 7.9-17; 11.1-10; 12.11, 17; 13.7,8; 14.1-5,13).

O martírio não é derrota
Alguns pré-tribulacionistas chegam a afirmar que "os santos" mencionados em Apocalipse 13 não se referem a Igreja, pois, para eles, estes "santos" serão derrotados pela Besta, o que não seria possível visto que Jesus profetizou que as "portas do inferno não prevalecerão" contra a igreja. Mas é equivocado concluir que os santos estão sendo derrotados pela Besta. Pois, não está de acordo com o espírito do Evangelho encarar o martírio como derrota, sendo que foi exatamente através do martírio que Jesus venceu Satanás: "e, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre eles na cruz" (Cl 2.15, ver também Jo 12.32; 19.30; At 2.23 e 24). 

O Apóstolo Paulo afirma que nem a morte pode nos separar do amor de Deus e que, mesmo diante dela, somos mais do que vencedores. "Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada. Como está escrito: “Por amor de ti enfrentamos a morte todos os dias; somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro. Mas em todas estas coisas, somos mais do que vencedores" (Rm 8.31-37). Portanto, a morte não derrotou a Cristo e também não derrotará a Igreja. "Somos mais do que vencedores"!


Para os cristãos, como Paulo, sofrer por Cristo é um imenso privilégio! O que é sinal de destruição e derrota para os pagãos é sinal de vitória e honra para os cristãos: "sem de forma alguma deixar-se intimidar por aqueles que se opõem a vocês. Para eles isso é sinal de destruição, mas para vocês, de salvação, e isso da parte de Deus; pois a vocês foi dado o privilégio de não apenas crer em Cristo, mas também de sofrer por ele" (Fp 1.28-29). 


Que honra poder seguir os passos do Grande Mestre e carregar a própria cruz! "Então Jesus disse aos seus discípulos: 'Se alguém quiser acompanhar- me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga- me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a sua vida por minha causa, a encontrará'" (Mt 16.24-25).


O Arrebatamento acontecerá após a Grande Tribulação
O apóstolo Paulo ensina que a Segunda Vinda de Cristo e a nossa reunião com ele, reunião esta que se dará através do arrebatamento (1Ts 4.16,17 cf. 2Ts 2.1-3), “não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus, ou objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus.” (2Ts 2.3b,4). Os próprios dispensacionalistas concordam que o Homem da Iniquidade se revela dando início ao período da Grande Tribulação. Portanto, o apóstolo nos garante que a Segunda Vinda de Cristo e a nossa reunião com ele (o arrebatamento) só se dará após a revelação do “homem da iniquidade”. 

O contexto é claro: os cristãos tessalonicenses estavam sendo perturbados por aqueles que ensinavam que a Segunda Vinda era iminente, ou seja, que poderia se dar a qualquer instante sem sinais prévios (2Ts 2.2). Sabemos que o que os tessalonicenses esperavam era a Segunda Vinda de Cristo que desencadearia o arrebatamento da Igreja (2Ts 1.10). Sabemos também que aqueles cristãos tinham a expectativa do arrebatamento conforme foram instruídos pelo apóstolo em sua primeira carta (1Ts 4.13-18). Paulo, então, procura acalmá-los dizendo que são falsos os ensinos que diziam que o arrebatamento estava às portas ou que já até havia acontecido (2Ts 2.2), pois que tal não aconteceria sem que primeiro ocorressem dois grandes sinais, a saber, a apostasia e a revelação do Homem da Iniquidade, o que é o mesmo que dizer que o arrebatamento da Igreja não se dará antes do período da Grande Tribulação. Paulo lembra que a Segunda Vinda de Cristo e a nossa reunião com ele (2Ts 2.1) ocorrerão posteriormente a manifestação do Homem da Iniquidade: “então, de fato, será revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca, e o destruirá, pela manifestação de sua vinda” (2Ts 2.8). Paulo não nos informa o que ou quem é que está detendo a manifestação do iníquo (2Ts 2.6-7), mas não se trata do arrebatamento da Igreja, pois Paulo deixa claro que o arrebatamento só se dará após a revelação do Homem da Iniquidade.2

O ensinamento de Paulo se encaixa perfeitamente com o ensino de Cristo, que afirmou: “Logo em seguida à tribulação daqueles dias, o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento e os poderes dos céus serão abalados. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do homem vindo sobre as nuvens do céu com poder e muita glória. E ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus” (Mt 24.29-31). 

Cristo ensina claramente que sua Segunda Vinda, o que inclui a nossa consequente reunião com ele, só se dará “logo em seguida à tribulação daqueles dias”. O ensino de Jesus e de Paulo era claramente pós-tribulacionista. Os tessalonicenses não poderiam estar esperando um arrebatamento para os livrar da Grande Tribulação, pois eles estavam instruídos a respeito de que o desígnio de Deus para os cristãos é a tribulação: “a fim de que ninguém se inquiete com estas tribulações. Porque vós mesmos sabeis que estamos designados para isto” (1 Ts 3.3, ver também v.7; 2 Ts 1.4-7); Como ensinou Jesus: “Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim... Lembrai-vos da palavra que eu vos disse: Não é o servo maior do que seu Senhor. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós outros... Tudo isto, porém, vos farão por causa do meu nome, porquanto não conhecem aquele que me enviou... Tenho-vos dito estas coisas para que não vos escandalizeis. Eles vos expulsarão das sinagogas; mas vem a hora em que todo o que vos matar julgará com isso tributar culto a Deus... Esta coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. (Jo 15.18, 20, 21; 16.1,2,33).

Se sabemos que a ressurreição dos mortos precederá, mesmo que em milésimos de segundos, o arrebatamento (1Ts 4,16-17). E se também sabemos que a ressurreição é algo que acontecerá apenas no último dia (Jo 6.39, 40, 44, 54; 11.24)! Então,  precisamos concordar que o arrebatamento é algo que acontece no último dia e não sete anos antes do último dia como ensinam os pré-milenistas e nem três anos e meio como como o querem os midi. 

O Último Dia é também o Dia do ressoar da Última Trombeta. Apocalipse diz que quando o sétimo anjo tocar a sua trombeta, haverá fortes vozes nos céus, dizendo assim: “O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre” (Ap 11.15); Pois, na sequência, aparecerá no céu um sinal extraordinário (Ap 12.1)! Portanto, após o soar da última trombeta, não haverá Grande Tribulação, mas a plenitude do Reinado de Cristo! E, também, após o soar da última trombeta, não acontecerá um arrebatamento secreto, mas a aparição gloriosa do Filho de Deus que vem sobre as nuvens dos céus como Rei dos reis e Senhor dos senhores (Ap 19.16). 


Interpretando Apocalipse 3.10
Um texto usado pelos pré-tribulacionistas em defesa de que a Igreja não passará pela grande tribulação é o de Apocalipse 3.10: “Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei (tereo) da (ek) hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra.” Erickson faz uma excelente exegese do texto dizendo que o sentido primário da preposição ek, “sair de dentro”, refuta a interpretação pré-tribulacionista do versículo. Para a Igreja emergir de dentro da hora do teste, deve ter estado presente durante aquele teste. O mesmo se dá em Apocalipse 7.14, onde os mártires saem “fora da (ek) grande tribulação”. A pergunta importante é por que João não empregou apo em Apocalipse 3.10, que pelo menos permitiria uma interpretação pré-tribulacionista. “Outra questão importante em Apocalipse 3.10”, conforme ressalta Erickson, “é o significado do verbo tereo. Quando está em vista uma situação de perigo, tereo significa ‘guardar’. O perigo está implícito na ideia de guardar. Sendo assim, se a Igreja está no céu nesta ocasião, conforme o ensino pré-tribulacionista, então, qual poderia ser o perigo que necessita a mão protetora de Deus sobre ela? 

Em João 17.15, tereo também ocorre juntamente com a preposição ek: ‘Não peço que os tires (airo) do (ek) mundo; e, sim, que os guardes (tereo) do (ek) mal’”.3 Portanto, em João 17.15, as palavras de Jesus nos ensinam que podemos ser guardados do mal sem necessariamente sermos tirados do mundo. O povo hebreu foi guardado das pragas que caíram sobre o Egito, mesmo estando dentro do Egito. Eles não precisaram ser arrebatados para serem guardados das pragas. 

O mesmo acontece em 2 Pe 2:9, onde se lê: "É porque o Senhor sabe livrar da (ek) provação os piedosos..." Pedro não está ensinando que os piedosos estarão afastados (apo) da provação, mas que o Senhor os livrará dela (ek), ou seja, em meio a ela, sendo especialmente protegidos durante o período de provação.

É preciso também que se faça distinção entre “ira de Deus” e “perseguição da Besta” que é contra a Igreja. Concordamos que a Bíblia ensina que seremos protegidos da ira de Deus (1Ts 1.9-10; 5.9; Rm 5.9), mas, como já vimos, não é necessário ser arrebatado para ser guardado do mal.

A Ira de Deus e o Dia do Senhor
A Igreja não está destina a ira de Deus. A ira de Deus é o seu justo juízo sobre toda a impiedade (Rm 1.18). "O Dia da Ira" (Rm 2.5) e "a Ira" (Ef 5.6) são também conhecidos como "O Dia do Senhor" (Is 13.9; Joel 2.1-11; 1Ts 5.2; 2Ts 2.2). É o Dia do Juízo Final: "Vejam! O dia do Senhor está perto, dia cruel, de ira e grande furor, para devastar a terra e destruir os seus pecadores. As estrelas do céu e as suas constelações não mostrarão a sua luz. O sol nascente escurecerá, e a lua não fará brilhar a sua luz. Castigarei o mundo por causa da sua maldade, os ímpios pela sua iniquidade. Darei fim à arrogância dos altivos e humilharei o orgulho dos cruéis" (Is 13.8-11). 

Qualquer tentativa de distinguir entre o Dia do Senhor e o Dia de Cristo e encontrá-los em dois diferentes programas escatológicos, um para Israel e outro para a Igreja está fadada ao fracasso, pois, para os cristãos do Novo Testamento, Jesus é o Senhor! (Fp 2.11; Rm 10.9). Ladd diz que a vinda de Cristo, para reunir seu povo, tanto os vivos como os mortos, para si (1 Ts 4.13-17), é chamada de o Dia do Senhor (1Ts 5.2), como o é sua vinda para julgar os infiéis (2Ts 2.2).4 

Em 1Ts 5.9, Paulo afirma: "porque Deus não nos destinou para a ira, mas para recebermos a salvação por meio de nosso Senhor Jesus Cristo". Observe que o Apóstolo está contrastando "Ira" com "Salvação". Paulo está afirmando que os salvos em Cristo não estão destinados a condenação no Juízo Final (Rm 2.5; 5.9; Ef 5.6; Cl 3.6; 1 Ts 5.9; Ap 14.10 e 19; 19.15). "Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Rm 8.1). "Quem crê no Filho tem a vida eterna; já quem rejeita o Filho não verá a vida, mas a ira de Deus permanece sobre ele”. De modo que 1 Ts 5.9 não diz respeito a Grande Tribulação, mas sim a condenação do Juízo Final. De modo que, no Dia da Ira de Deus, os ímpios clamarão para que as rochas caiam sobre suas cabeças tal é a expectativa de condenação final (Ap 6.11-17; Ap 11.18). 

Mas, embora a Igreja não esteja destina à Ira, ela está destinada à Tribulação conforme lemos em 1 Pe 2.20-21; At 14.22; Jo 16.33; Rm 8.18, 23, 35, 36; 2 Co 8.2). Jesus advertiu seus discípulos com muitas palavras a respeito das tribulações que teriam de enfrentar por amor a Ele: “Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa" (Mt 24.9). "...Estes são os que vieram da grande tribulação e lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro" (Ap 7.14). Tiago também enxerga os discípulos de Cristo enfrentando e vencendo a provação através da perseverança na fé em Jesus: "Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam" (Tg 1.12).

O Arrebatamento não será secreto

Não há base bíblica para qualquer idéia de que quando Jesus vier haja dúvidas sobre quem ele é ou sobre se ele realmente veio. A Segunda Vinda de Cristo e o conseqüente arrebatamento da Igreja nunca são descritos como sendo secretos ou silenciosos, mas sempre se apresentam como:


Um evento retumbante:
  • “grande clangor de trombeta” (Mt 24.31; 1 Ts 4.16,17);
  • “assim como o relâmpago” (Mt 24.27);
  • "bramido do mar e das ondas; haverá homens que desmaiarão de terror... pois os poderes dos céus serão abalados" (Lc 22.25-28)
  • “Virá, entretanto, como ladrão, o dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo e os elementos se desfarão abrasados” (2 Pe 3.10; ver também v.12);

Um evento visível:

  • “assim virá do modo como o vistes subir” (At 1.11);
  • “aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem” (Mt 24.30);
  • “Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até quantos o traspassaram. E todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele.” (Ap 1.7; ver também 19.11-21; Mt 26.64; Mc 14.62 e Dn 7.13) ; “pela manifestação de sua vinda” (2Ts 2.8);
  • “Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas... bramido do mar e das ondas; haverá homens que desmaiarão de terror... pois os poderes dos céus serão abalados. Então se verá o Filho do homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória. Ora, ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei as vossas cabeças; porque a vossa redenção se aproxima.” (Lc 22.25-28; ver também Mc 8.38);
  • “aparecerá segunda vez” (Hb 9.28);
  • “Virá, entretanto, como ladrão, o dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo e os elementos se desfarão abrasados” (2 Pe 3.10; ver também v.12);
  • Paulo diz que nós os cristãos não estamos aguardando um evento secreto não visto pelo mundo, pois o que nós aguardando é “a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo” (Tt 2.12; ver também Cl 3.4 e 1 Pe 5.4; 1 Jo 3.2; Mt 16.27; 25.31; 1 Co 4.5; 1 Tm 4.1; Jd 14,15; 1 Co 1.7; 2Ts 1.7,8).


Além disto, nenhuma das três palavras gregas usadas no Novo Testamento para descrever a Segunda Vinda de Cristo favorece a idéia de um arrebatamento secreto, pois todas apontam para algo visível e manifesto: parousia, apokalypsis e epiphaneia.



O Pré-tribulacionismo é doutrina nova que não encontra apoio na Igreja Primitiva
Contra a posição pré-tribulacionista temos ainda que nenhum texto tem sido encontrado em apoio a esse ponto de vista, nem nos escritos dos primeiros séculos, nem em escritos posteriores, até 1830, com Darby, baseado em uma visão de Margaret McDonald, que era uma profetiza membro da Igreja Católica Carismática. Entretanto, inúmeros textos antigos atestam que o ensino cristão primitivo era de que a Igreja iria passar pela Grande Tribulação. George E. Ladd concluiu seus estudos sobre o período patrístico afirmando: “Cada pai da Igreja que trata do assunto prevê que a Igreja sofrerá às mãos do Anticristo”.5

O próprio Walvoord, um dos maiores expoentes do dispensacionalismo, chega a admitir que “pré-tribulacionismo”, i.é., uma vinda de Cristo antes da grande tribulação da Igreja, não é explicitamente ensinada na Escritura.6 Ladd comenta dizendo que o fato é que a esperança da Igreja não é um evento secreto, não visto pelo Mundo. A esperança cristã é o aparecimento visível da glória de Deus, no retorno de Cristo (Tt 2.13), a revelação ao mundo de Jesus como Senhor, quando ele vier com os anjos do seu poder (2Ts 1.7).


Conclusão
Portanto, não existe nenhuma base bíblica para ensinar que a Igreja não passará pela Grande Tribulação. Mas, ao contrário, como vimos, existem dezenas de textos que ensinam que a Igreja passará pela Grande Tribulação. Todos os registros históricos até o advento do dispensacionalismo (1830) revelam um ponto de vista pós-tribulacionista e não existe sequer um único texto neste longo período de quase dois mil anos de história da Igreja que registre a ideia pré-tribulacionista de um arrebatamento secreto para livrar a Igreja da Grande Tribulação.

Sendo assim, concluímos que a Igreja não só passará pela Grande Tribulação como já passou e, em muitos lugares e sentidos, tem passado por ela. E, baseados em Ap 20, podemos também concluir que haverá uma feroz investida satânica contra os discípulos de Cristo no final dos tempos, o que concorda também com o texto de Ap 12:12, que diz “ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vós, cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta”.

Notas Finais

2 Sobre esta questão, recomendo a leitura do livro “Teologia do Novo Testamento”, Ladd, JUERP, 1993, pp. 516-518.

3 Erickson, J. Millard - Opções Contemporâneas Na Escatologia - Ed. Vida Nova - 1a ed. SP, 1982, p. 126.

4 Ladd, George, “A teologia do Novo Testamento”, JUERP, 1993, p. 513).

5 Ladd, The Blessed Hope, p. 31 Apud Erickson, Millard. Um Estudo do Milênio São Paulo: Vida Nova. 1991, p.122.

6 (J. Walvoord, The Rapture Question (1957) ,p. 148, Apud Ladd, George “Teologia do Novo Testamento. JUERP, 1993, p. 514.

Palestra em áudio sobre este tema:

302 comentários:

  1. Olá, se me permite gostaria de fazer algumas perguntas.
    O Capítulo 19 a partir do versículo 11 descreve a volta de Cristo?
    Se a repsposta for sim, como pode ocorrer que a besta, os reis da terra e seus exércitos estarem reunidos para fazerem guerra a Ele e ao exercito celestial? Sendo que no Cap. 16.15, Ele afirma que vem como ladrão.

    ResponderExcluir
  2. Respondendo ao Paulo:
    Sim, o texto descreve a volta de Cristo. Na Sua Segunda Vinda, Jesus derrotará a besta, o anticristo e todos os inimigos naquela que é conhecida como Batalha do Armagedom.
    Cristo vem como um ladrão, ou seja, ninguém saberá precisar o dia e a hora de sua vinda. No entanto, quando ele vier, na força de seu poder, combaterá a besta e seus seguidores que estiverem na ocasião perseguindo os que são de Cristo.
    Jesus não disse que poderia vir a qualquer momento, antes profetizou uma série de eventos que se dariam antes daquele glorioso dia. Tais sinais não são suficientemente precisos para calcularmos o dia de sua Segunda Vinda, que para nós permanecece como mistério, requerendo que estejamos sempre alertas, pois não sabemos e nem saberemos a hora em que se dará. Leia mais sobre o assunto no capítulo que questiona o tema da iminência da Segunda Vinda.

    ResponderExcluir
  3. me explique por favor sobre os crentes que ficaram apos a vinda de jejus, eles receberao uma segunda chance após a grande tribulação tribulaçao?

    ResponderExcluir
  4. Eu creio que a Segunda Vinda de Cristo será um evento único, visível e tremendo, quando se dará também o arrebatamento da igreja, tudo após a Grande Tribulação.

    A luz da Bíblia, é absurda a idéia de que haverá segunda chance após a Segunda Vinda de Cristo, pois assim como a porta da Arca de Noé foi fechada quando chegou o Dilúvio, assim também não houve segunda oportunidade para as 5 virgens néscias que não estavam preparadas quando o Noivo chegou. "Eis aqui e agora o dia da salvação, eis aqui e agora o tempo sobremodo oportuno!"

    ResponderExcluir
  5. O senhor diz que o arrebatamento ou a segunda vinda de Cristo e a nossa reunião com Ele se dará após a manifestação do anti-cristo e usa o verso 8 de 2ª Ts 2 para dizer que Paulo está afirmando claramente que o arrebatamento só se dará após a revelação do anti-cristo.
    Eu gostaria de dizer que não é isto que Paulo diz. Estou com a Bíblia de estudo N.V.I. em mãos aberta em 2ª Ts 2 e lendo todo o cap e relendo os versos 5,6,7 e 8 entendo que o verso 8 diz respeito ao que "detém" a manifestação do perverso e não a este, ou seja, Paulo está afirmando que o perverso só será revelado após aquilo que o detém ser afastado. Se aquilo que o detém for a igreja, neste caso o arrebatamento se daria antes da tribulação ou manifestação do anti-cristo.

    ResponderExcluir
  6. Respondendo ao João Besse:
    Em 2 Ts 2.3b,4, o apóstolo ensina que a Segunda Vinda de Cristo e a nossa reunião com ele (o arrebatamento) só se dará após a revelação do “homem da iniqüidade” (o anticristo), o que é o mesmo que dizer que o arrebatamento da Igreja não se dará antes do período da Grande Tribulação. Paulo não nos informa o que ou quem é que está detendo a manifestação do iníquo (v.6,7) mas, certamente, não se trata do arrebatamento da Igreja, pois Paulo deixa claro que o arrebatamento só se dará após a revelação do Anticristo.
    Além do mais, seria muito incoerente que o anticristo apenas se manifestasse após o arrebatamento da Igreja, pois se a Igreja, que é o Corpo de Cristo, não estivesse mais no mundo quando da manifestação dele, o anticristo seria anti o quê?

    ResponderExcluir
  7. Insisto em continuar discordando do senhor, me perdoe. O contexto do verso 3 era a preocupação com a segunda vinda de Cristo e, referente a isto Paulo ensina que hão de acontecer fatos para só depois Jesus vir em glória recolher a sua igreja. Um desses fatos é a "Apostasia", mas eu não vejo em nenhum ponto do texto a possibilidade de afirmar que Paulo diz que a revelação do anti-cristo também será antes da 2ª vinda de Cristo. E, independente de ser a igreja aquilo "que o detém", seja o que for, insisto que o verso 8 diz respeito a isso, não ao anti-Cristo. E por último o argumento de anti o quê? não se justifica, pois mesmo com a igreja na terra ainda assim a idéia "anti o quê?" persiste, pois Cristo em pessoa não está presente. Entendo que a expressão anti-Cristo signifique "anti tudo o que Cristo representa" e, neste caso não precisa da igreja presente na terra para essa expressão ter força.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. entao o anti cristo luta com as pessoas que o adoram?
      ou seja estao do seu lado?

      Excluir
  8. Caro João,
    Você tem todo direito de discordar, embora o texto claramente esteja ensinando que a Segunda-Vinda de Cristo e a nossa reunião com Ele somente se darão após a apostasia e a manifestação do anticristo. Nenhum texto bíblico ensina que a Igreja não estará presente quando da manifestação do anticristo no período da Grande Tribulação. Mas são inúmeros os textos que claramente ensinam que a Igreja passará pela Grande Tribulação e sofrerá perseguição:(Mt 24.15-31; Mc 13; L 21; Jo 15.18, 20, 21; 16.1,2,33; Fp 1.21,28,29; 3.10; 1 Ts 3.3,7; 2 Ts 1.4-7; Ap 1.9; 2.3,9,10,13; 6.9s; 7.9-17; 11.1-10; 12.11, 17; 13.7,8; 14.1-5,13). E como afirmei em meu estudo, O ensinamento de Paulo se encaixa perfeitamente com o ensino de Cristo, que afirmou: “Logo em seguida à tribulação daqueles dias, o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento e os poderes dos céus serão abalados. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do homem vindo sobre as nuvens do céu com poder e muita glória. E ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus” (Mt 24.29-31).

    ResponderExcluir
  9. Me ajuda por gentileza, e me retifique se eu estiver enganado.
    O texto parece conter uma contradição (mas é claro que não há), pois no versículo 3 o texto diz: "Não vos deixeis seduzir de modo algum por pessoa alguma; porque deve vir primeiro a apostasia, e aparecer o homem ímpio, o filho da perdição, o adversário, ...". O texto é claro na informação de que a volta de Cristo não será iminente, mas antes deverá acontecer a apostasia e o aparecimento do "homem ímpio (anticristo)".
    A minha dificuldade está justamente no versículo 6,7 e 8 , que tem sido o foco do nosso amigo Jose IIdo. "Então aparecerá o ímpio" vers 8. O que o apostolo quis dizer com o termo aparecerá? Ele já não teria sido revelado no vers 3 antes do "dia do Senhor"? Ou será que o apostolo está apenas informando que a revelação da identidade do anticristo será por ocasião da volta gloriosa de Cristo para destruir o mesmo (vers 8), mas antes disso ele já estava atuando sem revelar a sua identidade?

    ResponderExcluir
  10. Quero apenas retificar o comentário anterior, eu disse conforme o nosso amigo José IIdo (para afirmar a teoria de que o anticristo só se manifestará depois do arrebatamento, quando na verdade eu quis dizer João Bessa.

    ResponderExcluir
  11. a paz do SENHOR! vou responder a pergunta do tema que diz:"A IGREJA PASSA PELA GRANDE TRIBULAÇÃO?"meu nome é luiz e estou no japão!
    a Igreja não passa pela grande tribulação!lógico que não!porisso não devemos nem ler,nem ouvir,nem guardar as palavras do livro de apocalipse que diz:Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.apocalipse fala da "GRANDE TRIBULAÇAO TAMBÉM"!e PRA QUE VOU PEDER TEMPO LENDO SE VOU SER ARREBATADO ANTES?JESUS VAI ARREBATAR A IGREJA EM MENOS DE UM SEGUNDO!VAMOS PASSAR UMA TEMPORADA COM JESUS NOS "ARES"SÓ ATÉ PASSAR OS 7 ANOS,daí JESUS volta para a terra com a Igreja pra fazer a guerra de EZ 38,39!porisso ja nem perco tempo lendo TESSALÔNICENSES!O que me importa saber como vai ser a manifestação do filho do pecado??JESUS ja previa sobre as pessoas que pensam que vão ser arrebatas antes da GRANDE TRIBULAÇÂO!Então Ele disse:"TARDANDO O NOIVO",todas as virgens dormiram!MAS a meia noite veio um clamor dizendo,"AÍ VEM O ESPOSO,SAÍ AO ENCONTRO DELE!!A meia-noite fica difícil comprar azeite né??vou ser claro!!eu não tenho a certeza se a Igreja passsa a GRANDE tribulaçao ou não,mas,tenho "TODA"certeza que,a Igreja vai ver o filho da perdição!alguns pensam que vão ser levados antes!"OUTROS"pensam que vão passar a parte mais "leve"da grande tribulação",e "outros ainda"pansam que vão passar por tudo!Pior que,todos os 3 grupos de pessoas, tem base na palavra para afirma sua conclusão não é verdade??Mas o relógio de DEUS não para!tic tac tic tic "ISRAEL"..tic tac"APRENDEI A PARÁBOLA DE FIGUEIRA" tic tac !quando começarem a "VEREM"estas coisas acontecerem...tic..tac..não passara "ESTA GERAÇÃO"sem que tudo isso aconteça tic tac tic tac!SL 90:10 quanto tempo tem uma geraçao biblicamente?

    ResponderExcluir
  12. Luiz,
    Seu comentário ficou um tanto confuso para mim. Não entendi sua posição a respeito do tema. Poderia esclarecer.
    Muito obrigado!

    ResponderExcluir
  13. sobre apostasia: há muitas interpretações uns fala sobre os desvio da fé outros sobre falsas doutrinas etc... No meu entendimento a apostasia que O APOSTOLO Paulo diz está ligada ao anticristo no qual será mundial a ponto dele se assentar(estabelecer sua imagem) no templo de Deus querendo parecer "Deus" ,em Apocalipse 13:3 5 NOS MOSTRA QUE A BESTA BEM ANTES DE DECRETAR O 666 JÁ ESTARÁ SENDO ADORADA POR TODA A TERRA ISTO SIM SERÁ APOSTASIA LITERALMENTE.Quando se diz que antes vinda do dia de Cristo virá a apostasia apocalipse nos mostra CLARAMENTE a apostasia mundial ,então após isto é que de fato virá o arrebatamento ITess 5:3,4 nos mostra que será num tempo de falsa paz no mundo liderada pelo anticristo conferir Daniel 9:27 e Mateus 24:15 há uma distinção sobre esta duas passagem e I Tess5:3 diz que a falsa paz será destruida por Cristo quando ele vier como ladrão de noite (arrebatar a igreja) ,já em Daniel 9:27 o anticristo quebra a alinça na metade dos sete anos com Israel e arabes, já em Mateus 24:15 Jesus nos mostra quando começa a grande tribulação no qual será na metade dos sete anos.

    ResponderExcluir
  14. A paz do Senhor!

    Só vou citar aqui uma passagem que a maioria das pessoas que discutem sobre este assunto desconhecem Atos 1v9-11;
    Somente os discípulos viram Jesus subir, de igual modo ele virá na primeira fase, somente os discípulos verão o Senhor;
    Não existe nenhuma passagem bíblia afirmando que a igreja passará pela grande tribulação, pois se tivesse alguma deveriam ter os motivos para a igreja passar pela grande tribulação e não vejo nenhum, agora quanto a Israel, a bíblia é categórica em afirmar que os judeus vão passar pela grande tribulação, e ainda relaciona os motivos, e também a questão do relacionamento dos judeus com o anticristo, e porque será que a igreja não é relacionada com o anticristo durante a grande tribulação? Mt22v29.

    ResponderExcluir
  15. Respondendo a "Cristo a única esperança": Eu já havia comentado o texto de At 1.11 neste blog exatamente para dizer o contrário do que você afirma. Primeiramente, o texto não diz que apenas os discípulos puderam ver e qualquer um que estivesse nas imediações poderia também ter visto, pois sua subida foi real e visível e não uma mera visão dos discípulos.
    Os discípulos estavam com seus pés em terra firme e puderam ver Cristo subindo aos céus e “assim virá do modo como o vistes subir” (At 1.11), o que significa que os discípulos estarão com seus pés na Terra quando começarem a ver o regresso de Jesus. A Segunda Vinda de Cristo e o conseqüente arrebatamento da Igreja nunca são descritos como sendo secretos ou silenciosos, mas sempre se apresentam como um evento: retumbante, com “grande clangor de trombeta” (Mt 24.31; 1 Ts 4.16,17); “assim como o relâmpago” (Mt 24.27); visível: “assim virá do modo como o vistes subir” (At 1.11); “aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem” (Mt 24.30); “Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até quantos o traspassaram. E todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele.” (Ap 1.7; ver também 19.11-21; Mt 26.64; Mc 14.62 e Dn 7.13) ; “pela manifestação de sua vinda” (2Ts 2.8); “Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas... bramido do mar e das ondas; haverá homens que desmaiarão de terror... pois os poderes dos céus serão abalados. Então se verá o Filho do homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória. Ora, ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei as vossas cabeças; porque a vossa redenção se aproxima.” (Lc 22.25-28; ver também Mc 8.38).
    O livro de Apocalipse tem como propósito confortar e animar cristãos que estão em grande tribulação (Ap 1.9; 2.3,9,10,13; 6.9s; 7.9-17; 11.1-10; 12.11, 17; 13.7,8; 14.1-5,13).

    O apóstolo Paulo ensina que a Segunda Vinda de Cristo e a nossa reunião com ele, reunião esta que se dá através do arrebatamento, conforme 1 Tessalonicense 4.16,17,ii “não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniqüidade, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus, ou objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus.” (2 Ts 2.3b,4).Os tessalonicenses não poderiam estar esperando um arrebatamento para os livrar da Grande Tribulação, pois eles estavam instruídos a respeito de que o desígnio de Deus para os cristãos é de tribulação: “a fim de que ninguém se inquiete com estas tribulações. Porque vós mesmos sabeis que estamos designados para isto” (1 Ts 3.3, ver também v.7; 2 Ts 1.4-7); como ensinou Jesus: “Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim... Lembrai-vos da palavra que eu vos disse: Não é o servo maior do que seu senhor. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós outros... Tudo isto, porém, vos farão por causa do meu nome, porquanto não conhecem aquele que me enviou... Tenho-vos dito estas coisas para que não vos escandalizeis. Eles vos expulsarão das sinagogas; mas vem a hora em que todo o que vos matar julgará com isso tributar culto a Deus... Esta coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. (Jo 15.18, 20, 21; 16.1,2,33).

    ResponderExcluir
  16. Olá, Maranata! Vem Senhor Jesus!

    Gostei muito dos debates. Também creio que a Igreja passará pela grande tribulação. "Não sei se passará por toda tribulação". É uma íncerteza que tenho, pois existe algumas coisas que ainda não consegui enxergar, mas com o passar do tempo, o Espírito Santo me revelará, pois é Ele quem nos ensina e guia a toda verdade.

    Bem, o ponto que quero destacar aqui é se Jesus voltará apenas uma vez, pois encontro textos, que me deixam claros que haverá a volta de Jesus para arrebatar a igreja (nos ares) e Vir as sete pragas sobre a humanidade, ou seja, àqueles que ficarem após o arrebatamento, e textos que falam sobre a volta dele no cavalo branco (tempo de julgar, etc.).

    Creio que serão dois eventos diferentes, porque Jesus disse que não sabemos o dia nem a hora, creio, tratando do arrebatamento, embora todos o VERÃO NAQUELE MOMENTO.

    Mas, quando ele vier no cavalo branco, diz que os reis da terra, juntamento com a besta (o anticristo) se congregarão para a batalha daquele grande dia, (Ap. 16:14,16 / Ap. 19:19), ou seja, já estarão esperando-O, e entendo que é um evento para a Igreja e o outro é para o mundo.

    O que o irmão tem a dizer sobre isso?

    Na paz de Cristo: Jânio

    Obs: Também tenho um site falando sobre os acontecimento dos últimos dias e este é o endereço para acesso: http://www.ejaaultimahora.com.br

    ResponderExcluir
  17. Ori
    Olá!!!Meu irmão José Ildo!!!
    Espero que esteja bem!

    Li acuradamente todas as perguntas e respostas a respeito dos assuntos escatologicos elencados no teu blog.

    Quero primeiro salientar que o "EK" grego nunca poderá ser traduzido por "na" "no"e sim "da" "do"(do meio). Ele nos Livrara da hora...e nao na hora(no meio).

    Segundo: O argumento contextualizando Mt 24 e o proprio Dn 9, refere-se explicitamente aos eventos impostos pelo Imperador Tito a Israel, no ano 70 da nossa era.(aquela grande tribulação, jamais se repetira na historia).

    Terceiro: É obvio que no mundo teremos aflição e passaremos por muitas tribulações. Elas contribuem para o nosso aperfeicoamento.

    Grande tribulação no entanto, só houve uma.(Esta foi profetizada apenas para Israel).

    É certo que a Igreja não passará pelo que ja aconteceu.

    Nem esta sujeita ao "dia da ira do nosso Deus". Ele não se irará contra a Noiva do cordeiro.

    A presença do homem da iniquidade que se tem confundido com a Grande Tribulação e que nada tem a ver uma coisa com outra, tambem pode ser chamado de o dia da ïra de Deus.

    A presença do "homem da iniquidade" nada tem haver com grande tribulação.

    Quinto: Assentados no Trono como Deus, tem aparecidos muitos Anti-Cristo, desde o primeiro segulo da Igreja,até nos dias atuais. Isso ninguem pode negar.
    A Patristica Crista, tem nos mostrado os Pais da Igreja em todas as épocas e eles certamente diriam que viram o Anti-Cristo e nós continuaremos a ve-los, pois que ele não pode ser uma exclusividade de uma epoca da Igreja.

    Apesar de se manifestar em duas fases, vem um, depois, o outro.

    "Estejais apercebidos" é espera continua e eminente, conforme se alfere com qualquer erudito em grego.

    E Por último, quero que saibás que expresso apenas o que tem crido até aqui, o que torno público pela primeira vez com muito respeito, tremor e temor por todos os santos irmãos meus em Cristo, que propunham-se a passar adiante a Palavra do reino e que pensam diferente de mim.
    Abraços!
    Obs. A não citaçao de Cap e Vrs é proposital.

    ResponderExcluir
  18. paz a todos! eu sempre pensei que a igreja passaria pela grande tribulacao, devido a 1 tessa: cap:2
    mais a pergunta é: é melhor se prepara para a grande tribulacao ou viver como se nao fosse passar por ela? pois tal qual eu penço logo vivo, se penço que a igreja irá passar pela G tribulaçao vivo de uma forma, se penço que a igreja irá passar pela G tribulaçao
    como irei viver diferente! ou quero deizer: VIVEREI COM MAIS TEMOR! nao achao? esse é que ten que ser o foco do Cristao.

    ResponderExcluir
  19. De acordo com os textos já mencionados no estudo, Jesus sempre alertou aos discípulos a respeito das tribulações que haveriam de enfrentar. Todo seguidor de Jesus deve estar pronto a carregar a sua própria cruz. O servo não é maior do que o Senhor, se perseguiram o Senhor, perseguirão também aos seus servos. "Importa entrar no Reino dos Céus através de muitas tribulações". "No mundo tereis aflições". "Sereis odiados por todas as nações por causa do meu nome".
    Jesus nos adverte para que estejamos preparados, mas tenha bom ânimo, pois ele venceu o mundo e estará conosco até a consumação dos séculos!

    ResponderExcluir
  20. ricardo - (estados unidos)
    permita-me fazer um comentario: jesus disse que ninguem sabe o dia que ele voltara (vira como um ladrao da noite ), portando a sua teoria nao tem fundamento, pois segundo a sua teoria poderiamos calcular quando jesus voltara, pois veriamos a manifestacao do anti-cristo,promovendo a paz em irsael, e logo assim,esperariamos 7 anos e saberiamos que jesus estava voltando, pois a grande tribulacao durara 7 anos, apos a manifestacao do anti-cristo
    assim como fez em sodoma e gomorra, jesus livrara os justos da ira futura paz do senhor

    ResponderExcluir
  21. Caro Ricardo,

    Esta não é minha teoria, mas, sim, o ensino de Jesus, que deixou claro que a Igreja passaria pela Grande Tribulação e que também ensinou que ninguém saberia a hora de sua Segunda Vinda. Veja que Jesus ensina que a sua segunda vinda será "após a Tribulação daqueles dias" (Mateus 24.29) e, um pouco mais adiante, no mesmo contexto, no v. 36, Jesus diz: "Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe". Portanto, sua crítica se lenvanta contra as próprias palavras de Cristo e não apenas contra a minha "teoria".
    Além deste, Jesus nos falou de diversos outros sinais de seu retorno, mas tais sinais não servem para calcular a data exata de seu retorno. Sugiro a leitura do texto que escrevi a respeito dos sinais da Segunda Vinda publicado neste blog.

    ResponderExcluir
  22. No meu entender a igreja não passará a grande tribulação I TESSALONICENSES 5: 9 DIZ QUE DEUS NÃO NOS DESTINOU PARA A IRA(GRANDE TRIBULAÇÃO) MAS PARA AQUISIÇÃO DA SALVAÇÃO(LIVRAMENTO NO DIA DO ARREBATAMENTO).
    UM ABRAÇO

    ResponderExcluir
  23. minha posição é anti midi acordo de sete anos , ou seja o acordo com Israel será de sete anos, o anticristo romperá o acordo na metade,´mas antes de chegar a metade a igreja será arrebatada.
    não há base biblica para ser sete anos de grande tribulação ,mas sim de três anos e meio. Mateus 24:15 nos mostram sendo na metade o rompimento do acordo. e II Tessalonicenses 2:4 DÁ BEM CLARO QUE SERÁ NA METADE E DANIEL 9:27 AFIRMA MELHOR ISTO.
    UM ABRAÇO:

    ResponderExcluir
  24. O arrebatamento da igreja
    1. Sobre o arrebatamento a maioria das doutrinas ensinam que será antes dos sete anos os que assim acreditam são pré tribulacionistas, porque afirmam que a grande tribulação será de sete anos ,eles misturam o pacto que o anticristo fará com Israel e Árabes .Mas na palavra de Deus não encontramos base para esta crença .O pacto de sete anos registrado em Daniel 9:27 esta relacionado com Israel no qual a besta quebrará , nada a ver com a igreja. mundo ,este império era a sexta cabeça da besta Apocalipse 17:10 E são sete reis: cinco já caíram, e um existe ; o outro ainda não é vindo ; e quando vier ,convém que dure um pouco tempo. Cada cabeça representa um império que governou o mundo e cada um refere-se ao seu tempo uma besta.Roma foi à sexta cabeça da besta ,também caiu, hoje ainda falta sétima cabeça que será o ultimo império mundial Quando e que época a igreja será arrebatada?Vamos analisar com base bíblica II Tessalonicenses 2: 1 Paulo fala da nossa reunião com Cristo ou "seja" o arrebatamento. Obs: este versículo não tem nada a ver com a segunda vinda de Cristo visível "mas" sim da vinda para o arrebatamento. II Tessalonicenses 2:2,3 Paulo nos faz uma grande alerta para não sermos enganados por ninguém. Para aquele que acreditam na tribulação que antes do sete anos virá o arrebatamento ,vemos que esta crença não encaixa na profecia porque o texto afirma que o arrebatamento (vinda de Cristo para a igreja) só acontecerá após a vinda da apostasia II Tessalonicenses 2:3 Ninguém de maneira alguma, vos engane , porque não será assim sem que antes venha(chega) a apostasia e se manifeste o homem do pecado( a besta) ,o filho da perdição. Então de acordo com o texto o arrebatamento só acontecerá após a vinda da apostasia da besta. Quem irá cometer esta apostasia será o mundo Apocalipse 13: 3,4 nestes versículos afirmam que a besta sofrerá um atentado mortal por um milagre diabólico será ressuscitada e toda a terra ira prestar adoração a ponto de fazer uma imagem a ela Apocalipse 13:14 tudo isso irá acontecer antes de vir a grande tribulação no mundo ,para entendimento após acontecer à apostasia é que a igreja será arrebatada .Que época será ? I Tessalonicenses 5:3 Afirma que o arrebatamento acontecerá na época da falsa paz mundial "ou seja" dentro do acordo dos sete anos um pouco antes da metade , para confirmar que na época da falsa paz a igreja será arrebatada leremos I Tessalonicenses 5:4 Mas vós irmãos(igreja) ,já não estais em trevas para que aquele dia não vos surpreenda como um ladrão . Sabemos que Jesus virá arrebatar a sua igreja deste modo I Tessalonicenses 5:2 Porque vós mesmos sabeis muitos bem que o dia do Senhor virá com o ladrão de noite. Assim que acontecer a apostasia mundial seremos arrebatados ,logo após virá na metade dos sete anos a grande tribulação . Mateus 24:15 afirma que a besta ira profanar o templo de acordo com Daniel 9:27 será na metade em Apocalipse 13:5 apesar do reino da besta ser de sete anos por causa do acordo com Israel a fase diabólica será de três anos e meio. A posição anti midi ( a igreja sendo arrebatada antes de chegar à metade dos sete anos é baseada nas escrituras este fundamento -se encontra em I Tessalonicenses 5:3,4 época da falsa paz que a igreja será arrebatada período dentro do acordo de sete anos .A segunda vinda de Cristo visível Mateus 24:29,30,31 no fim dos três anos e meio ou “seja” no fim da grande tribulação completando assim a setenta semanas de Daniel 9:24 para Israel .Quem são os escolhidos? Não é a igreja porque na segunda vinda de Cristo visível ela voltará com Cristo Apocalipse 19:7 e 14 nos mostram a igreja voltando com Cristo derrotando a besta , então os escolhidos de Mateus 24:31 é Israel sendo arrebatados não para o céu ,mas para a terra de Israel o mesmo que aconteceu com Filipe Atos 8:39 Filipe foi arrebatado não para o céu mas, para outro lugar assim acontecerá com os judeus na volta de Cristo Ezequiel 37: 21 Isaias 43:5,6,7 nos mostram Deus trazendo o seu povo de volta a Israel).
    um abraço

    ResponderExcluir
  25. A Paz de Cristo a todos!

    Quando leio o que Jesus passou, os nossos irmãos da igreja primitiva, as gerações passadas de cristãos que ameaçavam a autoridade da Igreja Romana e logo eram massacrados, a geração de cristãos do início do século XX que iniciou o Movimento Pentecostal e após isso enfrentou a I Guerra Mundial e a Gripe Espanhola; quando lembro dos nossos irmãos que morreram nas maõs do Nazismo(pois não foram só judeus, mas muitos cristãos), então não posso aceitar que merecemos um arrebatamento. Eles mereciam. E, se eles sofreram, quem somos nós pra sonharmos com essa falsa idéia de arrebatamento? Quem ensina isso na verdade expressa covardia!!

    ResponderExcluir
  26. A verdade é que os pretribulacionistas tem o maior medo de sofrerem nas mãos do anticristo, pois não sabem se resistirão a perseguição e ao sofrimento pela fé cristã. A melhor maneira de se saber se a igreja será arrebatada ou não antes ou depois da grande tribulação é viver o dia de sua manifestação, ai o bicho vai pegar. Eu já estou preparado e preparando pessoas para o grande tribulação. Embora meus pastores todos foram pretribulacionistas e não conheci esse conceito doutrinário antes do seminário, eu sou postribulacionista premilenista desde a minha conversão, somente lendo e estudando a Palavra de Deus sem a intevenção da palavra humana tendenciosa. Boa sorte aos meus queridos irmãos pretribulacionistas, nos veremos na grande tribulação, não se preocupem, serei um dos muitos irmãos que os ajudarão a passarem por esse periodo de maneira vitorioso, voces não serão esquecidos. Abraços.

    ResponderExcluir
  27. Caro amigo José Ildo... Concordo plenamente com você quanto a presença da Igreja na Terra durante a grande tribulação. Até onde conheço, não existe na Palavra texto que justifique claramente opinião contrária. Ao contrário, em diversas passagens bíblicas percebemos claramente que a grande tribulação é a ocasião derradeira em que testemunharemos a todas as nações terrestres e celestiais que somente o Senhor é santo, Deus único e amor gratuito. Nossa situação de "criaturas caídas" pelo pecado, que insistem em louvar a Jesus Cristo mesmo diante de um contexto de profundo sofrimento e tentação (como será o da grande tribulação), é testemunho universal de que o Anjo Rebelde realmente estava errado. Lembremos que, segundo a Palavra, a Terra é espetáculo para os céus e, portanto, somos testemunhos vivos daquilo que significa viver distante do Deus verdadeiro. Desta maneira: sabendo que sem o Espírito Santo o homem é capaz de cometer qualquer atrocidade contra o seu próximo ou contra Deus; sabendo também que a presença temporária do Espírito Santo na Terra é a única coisa que ainda possibilita nos convencermos do pecado e nos arrependermos em Cristo e que, portanto, "segura" os ventos apocalípticos que nos conduzirão ao fim desta civilização; sabendo, por fim, que o Espírito Santo será retirado do Planeta em algum momento relacionado à Segunda Volta, e que, sem Ele, não haverá mais possibilidade de arrependimento, não havendo nenhuma razão para se prorrogar qualquer tipo de sofrimento na Terra, a partir de tais considerações, caro amigo José Ildo, sem resvalar para o campo das elucubrações que tantas vezes fazem substituir a inspiração dada pelo Espírito Santo por construções lógicas racionais humanas que nos distanciam da Verdade, gostaria de saber sua opinião sobre a possibilidade de "aquele que agora detém o iníquo" ser a figura do Espírito Santo?

    ResponderExcluir
  28. Olá, gostaria de deixar um comentário. Eu acho q a Igreja passando ou ñ pela tribulaçao, devemos estar preparados para Tudo, pois esse é o ensinamento q nos deixa a Bíblia.

    ResponderExcluir
  29. Olá Túlio,
    Sim, é possível, embora seja difícil afirmar qualquer coisa a respeito, pois para isto precisaríamos ter estado lá e participado dos estudos anteriores ministrados pelo Apóstolo Paulo aos crentes daquela igreja. Mas ainda que fosse uma menção ao Espírito Santo, não faria sentido entender que ele tenha de ser retirado da Terra. E não há nada ali que indique um arrebatamento da igreja antes do advento do anticristo.

    ResponderExcluir
  30. Amado, li o seu artigo e deixei meu comentário. Acesse meu blog: www.filhodoreino.blogspot.com. Escreví um artigo com o tema: "A farsa do arrebatamento da igreja".
    Por favor, deixe sua opinião, seu comentário. Obrigado.

    ResponderExcluir
  31. caro pastdor josé ildo permita-me discordar do senhor.Não creio que a igreja passará pela grande tribulação.Em prim.tessal.5;9 Paulo falando sobre a volta de CRISTO disse que DEUS não nos destinou para a ira que se nifestará de forma mais intensa na grande tribulação,mas para aquisição da salvação.

    ResponderExcluir
  32. Quanto a questão da vinda de CRISTO em duas etapas não vejo dificuldade;Na prim. etapa a igreja é arrebatada,começa a tribulação,ao final desta, CRISTO retorna para destruir o anticristnno e estabelecer o milenio,ao final desse período, satanás é solto e promove a última rebelião,mas é destruido e lançado no lago de fogo onde já estão a besta e o falso profeta e serão atormentados para sempre.

    ResponderExcluir
  33. Caro Eduardo,
    Li e gostei de seu artigo e fiz um breve comentário em seu blog.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  34. Caro "anônimo",
    Seria melhor que você se identificasse. Você tem todo o direito em discordar de mim e também tem direito de acreditar que o Arrebatamento será secreto, mas não precisa manter-se em secreto!!! Bricandeiras à parte, eu sei que não fez por mal. Pode ter sido esquecimento devido a correria do dia a dia. Mas é bom que todos se identifiquem para facilitar a nossa comunicação.
    Respondendo a suas perguntas, observo que, em 1 Ts 5.9, Paulo está contrastando a ira com a salvação: "Deus não nos destinou para ira, mas para recebermos a salvação". Sendo assim, a "ira" aqui é uma referência a condenação do juízo final. Lembro também que o Senhor Jesus orou para que não fossemos tirados do mundo, mas, ao mesmo tempo intercedeu para que fôssemos livres do mal. É preciso fazer distinção entre as pragas e juízos de Deus contra os impenitentes e a perseguição do Anticristo. Assim como o povo judeu foi protegido das pragas que caíram sobre o Egito, assim também os crentes estão debaixo da proteção divina quando os juízos de Deus são derramados sobre a Terra (Ap 9.4). Mas em Ap 13.7, vemos que a Besta recebe autorização para perseguir e matar os cristãos, o que está de acordo com o texto de Apocalipse 7 que descreve a visão dos mártires na glória que haviam sido mortos no período da Grande Tribulação (7.14). Espero que isto ajude a esclarecer suas dúvidas.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  35. Perfeita explicação. Acredito que passaremos pela tribulação. É evidente que que haverá os Santos na tribulação e muitos morrerão e serão martirizados. É um engano achor que seremos poupados, até porque essa geração (ao meu ver) é a menos fiel a Cristo. A tribulação, sería uma ótima oportunidade de separar o joio do trigo e firmar os que amam a Deus na verdade. Cabe a nós estarmos preparados para esse evento!


    Paz do Senhor

    acesse: vigiliadocasarao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  36. j. Geraldo, sou metodista livre, entendo que cada um tem uma interpretação! como chegar a uma conclusão coerente.

    ResponderExcluir
  37. A pas do Senhor Bispo Ildo. Eu fiz escatologia com o senhor no ano de 2003. Adorei
    Eu acredito que a igreja já está vivendo a tribulação e se tiver uma outra ela passará, mas a minha duvida é como Eu explico mateus 24:29,31 que diz que em seguida a tribulação daqueles dias o sol escurecerá......(vinda do filho do homem sobre as nuvens) eu entendo que essa tribulaçao de mateus 24 já aconteceu com General Tito. Mas como explicar isso.

    ResponderExcluir
  38. Bispo Estudei com o senhor em 2003, Sou da Igreja Batista, talves o senhor não se lembre.

    Minha duvida é como combinar Mateus 24:15,28 com 24:29(tribulação daqueles dias) e 24:34.

    Meu imail é Arnal.de@zipmail.com.br ( eu ficaria feliz eu receber sua explicação)

    ResponderExcluir
  39. Caro Missionário Felipe,

    Isto mesmo!
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  40. Caro J.Geraldo,

    Através da hermenêutica podemos chegar a uma boa interpretação da Bíblia. A Biblia interpreta a própria Bíblia. Certamente, os apóstolos não estavam ensinando nada diferente ou contrário ao que o Senhor Jesus Cristo mesmo havia ensinado sobre os eventos escatológicos. No Sermão das Últimas Coisas, registrado em Mt 24, Mc 13 e Lc 21, Jesus claramente ensina que os discípulos seriam perseguidos e odiados por todas as nações. Jesus também diz que eles estariam vivos quando do surgimento do Abominável da Desolação, de modo que eles recebem o conselho de fugirem de Jerusalém. Jesus também ensina que aqueles dias de Grande Tribulação foram abreviados por amor aos escolhidos que estavam em sofrimento. E termina seu sermão dizendo que a sua Segunda Vinda aconteceria apenas após a Tribulação daqueles dias. Portanto, é evidente que a Igreja passa pela Grande Tribulação. Sendo claro também que a Segunda Vinda de Cristo não será um evento secreto, mas, sim, acontecerá como um relâmpago que sai do oriente e se mostra no ocidente. Um dia de muito esplendor e glória! Neste dia, acontecerá o arrebatamento da Igreja, como Jesus mesmo falou, que os anjos seriam enviados aos quatro quantos da Terra para arrebanhar os escolhidos. Portanto, a Segunda Vinda de Cristo é pós-tribulacionista. Este é o ensino claro das Escrituras, tanto que, por cerca de 1850 anos de história da Igreja, jamais se ouviu falar de opinião contrária. O pré-tribulacionismo é uma heresia recente que surgiu não do estudo da Bíblia, mas de uma profecia suspeita, conforme registrado em meus estudos publicados neste blog. Devemos julgar as profecias à luz das Escrituras e não procurar manobrar as Escrituras para se adequarem a visões modernas. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  41. Grande Arnaldo,

    Claro que me lembro de você. E tenho saudades daquela boa turma de estudos.
    Agora vamos a sua questão. Certamente, Jesus, em Mt 24.29, está se referindo a mesma Grande Tribulação mencionada nos versículos anteriores, visto que na expressão "a tribulação daqueles dias" (v.29), o demonstrativo "daqueles" só pode ser uma referência à algo já mencionado.
    Em Mt 23.35-36, Jesus disse que sobre aquela geração recairia todo o sangue justo derramado sobre a terra. Jesus disse que tudo isto se daria sobre aquela geração. A seguir ele lamenta a dureza de coração de Jerusalém e declara que a cidade ficaria deserta (23.38) e também anuncia que o templo seria destruído (24.2). Daí, veio a pergunta dos discípulos: "Dize-nos quando acontecerão estas coisas? E qual será o sinal da tua vinda e do final dos tempos?" Perguntas estas que suscitam a resposta de Jesus registradas no Sermão Escatológico de Jesus. Sabemos que a Destruição do templo se deu no ano 70, ou seja, naquela mesma geração conforme as palavras de Jesus. Durante 7 anos, de 63 a 70, Jerusalém foi sitiada pelo exército Romano. O historiador Josefo afirmou que aqueles foram os anos mais terríveis de angústia e tribulação da história de Jerusalém. Tal Grande Tribulação culminou com a destruição do templo e da cidade.
    Sabemos também que a Segunda Vinda de Cristo não se deu imediatamente após a tribulação daqueles dias. Em Mt 24.33, Jesus também disse: "Assim também, quando virem todas estas coisas, saibam que ele está próximo, às portas." E, em Apocalipse 22.12, Jesus diz: "Eis que venho sem demora". E o livro de Apocalipse apresenta-se como um tratado referente "as cousas que em breve devem acontecer" (Apocalipse 1:1)... "Pois o tempo está próximo" (1:3). Vemos, portanto, que não é tarefa fácil compreender as menções de tempos em textos proféticos. Pedro responde aos que zombam da esperança da Segunda Vinda alegando tratar-se de uma ilusão pois era esperada para acontecer em breve, mas os anos haviam se passado e nada. Veja a resposta de Pedro em 2 Pe 3. Bem, não podemos negar que a profecia sobre os juízos de Deus que se abateriam sobre Jerusalém e que culminariam com a destruição do templo se cumpriram literalmente naquela geração. No entanto, Cristo não veio logo após aqueles dias. Este logo parece prolongar-se por muito mais tempo do que se podia imaginar. Da nossa perspectiva, parece demorado demais. Pedro diz que da perspectiva divina, mil anos são como um dia. Talvez, não nos demos por satisfeitos com a argumentação de Pedro. Creio que esta é uma questão difícil que exige de nós muita fé e esperança. Assim como a profecia da Grande Tribulação de Jerusalém e da destruição do templo se cumpriram cabalmente naquela geração, esperamos também que a profecia relativa ao Retorno de Cristo aconteça para juízo final contra o mal e o estabelecimento da plenitude do Reino de Deus.

    ResponderExcluir
  42. Oi Meu Caro Pastor,
    Ao ler um comentário no seu blog, percebi uma palavra no minimo estranha, diz: "não há nenhuma palavra que diga que a igreja nao passará pela tribulaçao". Que interpretação o meu caro da a apocalipse 3.10? - Ah!! Nao esqueca que os versos 13 e 21 do mesmo capitulo 3, nao deverão ser excluídos da resposta.
    Obviamente se quiseres responder, é claro.

    ResponderExcluir
  43. Graça e paz Bispo,

    Em Mt 24, 21 Jesus nos informa sobre a destruição do templo de Jerusalém, e sobre este dia afirma Jesus: "porque nesse tempo haverá grande tribulação como desde o princípio do mundo até agora não tem havido, nem haverá jamais".
    Esta parte da profecia se cumpriu no ano de 70 d.C. Quando Tito invadiu Jerusalém. Se estou certo na minha conclusão, não haverá dias piores como aqueles dias.
    Os pré-tribulacionista devem desconhecer a história do Cristianismo, será que eles nunca leram o que Flávio Josefo comentou sobre este período? O próprio Cristo afirmou q não haverá dias piores. É bem possível que eles não tenham conhecimento destes fatos. Basta lermos a história da igreja nos 3 primeiros séculos da era cristã? O que os crentes sofreram na mão dos imperadores romanos.
    Por qual razão Deus nos pouparia de morrermos em prol do evangelho? Isto é gloria p/ aqueles que viver é Cristo e morrer é lucro.
    Não vejo cristo alertando os crentes a acreditarem num livramento, mas antes perseverá até o final.

    ResponderExcluir
  44. Prezados,

    Tenho pensado: A doutrina do arrebatamento pré-tribulacional nasceu no século XIX, por volta de 1850. Antes disso nenhum pensador da igreja chegou a produzir esse tipo de exegese.
    Hoje a maior parte das igrejas evangélicas professam esse pensamento, q é bem possível que esteja errado, por diversos motivos que não quero aqui neste momento pontuar.
    Pensar num arrebatamento secreto da igreja pode ser a grande mentira de satanás p/ a igreja atual, pois isso permitira´que o anticristo esteja atuando na terra s/ que a igreja identifique-o, pois segundo ela, o arrebatamento deve preceder a sua manifestação.
    Certamente mts evangélicos apoiarão a besta e serão enganados, mas os eleitos não será conforme a palavra de Jesus.
    Foi exatamente um teologia errada acerca da vinda de Cristo que levaram os judeus a cometerem o grande erro de rejeitar o messias, certamente será por uma exegese errada da igreja que parte da igreja militante será induzida ao erro.
    Que Deus nos fortaleça na fé, na esperança e no amor!

    ResponderExcluir
  45. Caro Souza,
    Respondendo a sua mensagem de 5 de Abril, ressalto o parágrafo que escrevi a respeito de Ap 3.10:
    Um texto usado pelos pré-tribulacionistas em defesa de que a Igreja não passará pela grande tribulação é o de Apocalipse 3.10: “Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei (tereo) da (ek) hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra.” Erickson faz uma excelente exegese do texto dizendo que o sentido primário da preposição ek, “sair de dentro”, refuta a interpretação pré-tribulacionista do versículo. Para a Igreja emergir de dentro da hora do teste, deve ter estado presente durante aquele teste. O mesmo se dá em Apocalipse 7.14, onde os mártires saem “fora da (ek) grande tribulação”. A pergunta importante é por que João não empregou apo em Apocalipse 3.10, que pelo menos permitiria uma interpretação pré-tribulacionista. “Outra questão importante em Apocalipse 3.10”, conforme ressalta Erickson, “é o significado do verbo tereo. Quando está em vista uma situação de perigo, tereo significa ‘guardar’. O perigo está implícito na idéia de guardar. Sendo assim, se a Igreja está no céu nesta ocasião, conforme o ensino pré-tribulacionista, então, qual poderia ser o perigo que necessita a mão protetora de Deus sobre ela? Em João 17.15, tereo também ocorre juntamente com a preposição ek: ‘Não peço que os tires (airo) do (ek) mundo; e, sim, que os guardes (tereo) do (ek) mal’”.vii Portanto, em João 17.15, as palavras de Jesus nos ensinam que podemos ser guardados do mal sem necessariamente sermos tirados do mundo. O povo hebreu foi guardado das pragas que caíram sobre o Egito, mesmo estando dentro do Egito. Eles não precisaram ser arrebatados para serem guardados das pragas. É preciso também que se faça distinção entre “ira de Deus” e “perseguição do Anticristo”. Concordamos que a Bíblia ensina que seremos protegidos da ira de Deus (1 Ts 1.9-10; 5.9; Rm 5.9), mas, como já vimos, não é necessário ser arrebatado para ser guardado do mal.
    Portanto, não existe nenhuma base bíblica para ensinar que a Igreja não passará pela Grande Tribulação. Mas, ao contrário, como vimos, existem dezenas de textos que ensinam que a Igreja passará pela Grande Tribulação.
    Bem, francamente não entendi a questão relacionada aos versos 13 e 21 do capítulo 13 de Apocalipse, poderia esclarecer como estes versículos estariam relacionados com a questão da Grande Tribulação.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Biblia diz que os santos da Grande Tribulacao serao derrotados pelo anti cristo, nao diz que serao tirados. Eles pagarao com suas cabecas que serao degoladas.

      Excluir
    2. Então, Souza, o santos de Apocalipse são os santos da igreja que serão martirizados no período da Grande Tribulação, uma multidão enorme de crentes em Jesus Cristo de todos os povos, tribos e nações conforme lemos em Apocalipse 6 e 7.

      Excluir
  46. Caro Nilson,
    De pleno acordo! Que o Senhor nos ajude a combater o bom combate, a completar a nossa carreira, perseverando até o fim com fidelidade e amor.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  47. A paz do Senhor!
    O texto de Mt.24:15-28 está diretamente relacionado ao texto de Daniel 9:24-27 (70 semanas de Daniel).A maioria dos interpretes dessa profecia dizem que das 70, 69 já se cumpriram na aclamação de Jesus como Rei pelos judeus Lc 18:37,38 e posteriormente sua morte e no ano 70 a destruição de Jerusalém. Restou 1 semana que é justamente os 7 anos da grande tribulação. Ao observarmos Dn. 9:24, fica claro que a profecia em sua totalidade tem uma referência direta ao povo de Daniel que são os judeus e não a igreja. percebemos também que a aliança do anti-cristo é com o povo judeu. por isso Jesus alertou sobre a fuga no sábado. pelo que eu entendo, quem guarda o sábado ou é aventista ou judeu. Outra coisa, qual seria a necessidade do arrebatamento após a grande tibulação. Satanás, o anti-crito o falso profeta não estarão operando no mundo, pois depois do amargedom vem o milênio Ap. 19:11-21; 20:1-2, onde Cristo reinará com os seus durante mil anos na terra. Por que o arrebatamento se ele virá para terra? Toda essa divergência se dá pelo fato de não se separar o advento do arrebatamento do advento da segunda vinda em glória. A igreja é arrebatada antes da grande tribulação. Em 2 Ts. há diferença entre a reunião dos santos com Cristo e o Dia do Senhor . a referência do vers. 3 é sobre o Dia do Senhor Jr. 30:4-11Vers. 2 e não o Vers. 1 arrebatamento. Devemos estudar apocalipse em conjunto com Daniel para enterdermos de forma completa.

    ResponderExcluir
  48. Caro Mario,
    Voce está correto em perceber que o Sermão das Últimas coisas de Cristo registrado em Mt 24 se relaciona as Setentas Semanas de Daniel. Tanto Daniel como Jesus estão descrevendo a mesma coisa, ou seja, falam da morte do ungido que desencadeia um juízo sobre Jerusalém que se dará em termos de um príncipe de um povo que há de vir, o abominável da desolação, que sitiará a cidade e causará grande aflição aos moradores de Jerusalém como jamais se viu em toda a história e que, por fim, profanaria e destruiria o templo. Jesus, em Mt 23, disse claramente que isto aconteceria naquela geração responsável pela morte do Ungido e seus seguidores. E assim aconteceu, como bem documentou o historiador Josefo dizendo que são sem precedentes os sete anos de tribulação que a cidade de Jerusalém sofreu e que culminaram com a destruição de toda a cidade, profanação e destruição do templo. As profecias de Cristo a este respeito se cumpriram cabalmente.
    Já a Grande Tribulação mencionada em Apocalipse nada tem a ver com Jerusalém ou com o templo. Desafio a qualquer um a provar o contrário. Em Apocalipse também não há nenhuma menção ao Abominável da Desolação que profana templo e cerca Jerusalém. O que temos em Apocalipse é a descrição de um Anticristo e não um antisemita. A Besta apocalíptica persegue a Igreja. As cartas do Apocalipse foram destinadas a igrejas que padeciam grande tribulação sob a tirania de despotas romanos. A multidão dos mártires é compostas por cristãos que alvejaram suas vestiduras no sangue do cordeiro e que morreram no período da Grande Tribulação como bem ensina Apocalipse 7.14.
    Portanto, Jesus profetizou que o templo seria destruído, e assim aconteceu. Nem Jesus e nem os seus discípulos jamais ensinaram que o templo seria reconstruído novamente. Tal ensino não é cristão. Ensinar que a reconstrução se faz necessária vai de encontro ao ensino do autor de Hebreus que mostra a superioridade da Nova Aliança sobre a Antiga. Deus não habita em templos construídos por mãos humanas! A Igreja é o Corpo de Cristo em que Deus habita!

    ResponderExcluir
  49. Naaliel Nascimento5 de julho de 2010 16:05

    Pastor José, quero fazer algumas perguntas ao senhor, Meu nome é Naaliel, pra começar, parabéns pelo site, tive que refazer toda minha Idea de Escatologia. Eu não sei se isso tem haver, pelo que ouço falar, a nova ordem mundial vai criar um super-chip que será implantado no corpo humano pra substituir o RG, CPF, Habilitação, Cartões de Créditos (principalmente) e etc. Mas, qualquer cidadão que quiser comprar de um palito de dente a um satélite artificial tem que ter esse chip. O senhor sabe de tudo isso muito mais que eu, é claro. E esse chip vai surgir muito antes de o ante cristo se revelar, e com certeza, quando o governo ordenar que todo o cidadão coloque o chip, não vai dizer: “Vamos pessoal, coloquem o chip da besta”. Será se todo crente, ou pelo menos aqueles que se intitulam crente, vendo seus vizinhos e amigos com a vida bem organizada, ganhando muito dinheiro, só por causa de um “chipezinho” que todo mundo fala que é apenas pra micro informação, vai se negar pro chip? E quando der a ele duas opções, a primeira: “Se você colocar o chip, você vai ganhar carro, casa e um salário de R$ 20.000,00(valor em 2010)”. A segunda: “Se não colocar o chip, é preso”. E aí ??????? E olhe que um ministro de uma igreja disse nos bastidores pra mim que temos que ganhar almas pra aumentar a renda da igreja e os nossos salários. Outro desse que, a progressão financeira dele do ano foi comprar um ônibus pra a igreja pra pegar muita gente e aumentar o salário dele. Será que esses pastores vão negar essa vida boa do chip pra ser preso? Pastor José, isso é muito pior que na igreja primitiva. É muito mais fácil um soldado vir e perguntar: “É crente?” Dizendo o cara que é, é morto, pelo menos o crente sabe que vai pra o céu. Pelos meus cálculos, 90% dos crentes aceitariam esse chip desse jeito, por que o problema não é a prisão, e sim a vida boa que o cara vai perder. Eu era pré-tribulacionista, mas por causa do senhor sou agora pós-tribulacionista. Mas tem uma parte de mim que acredita que a igreja não vai ser entregue pro Diabo desse jeito não. O que o senhor acha de tudo isso? (risos).

    ResponderExcluir
  50. Olá Naaliel,

    Fico feliz em saber que os estudos ajudaram você a rever seus conceitos.
    Respondendo a sua pergunta, é muito provável que o Anticristo faça uso de toda a tecnologia que estiver ao seu dispor para exercer o seu governo tirano. Mas fica difícil precisar como isto acontecerá de fato. Temos muitos exemplos de anticristos na história da Igreja de modo que podemos observar um determinado padrão de comportamento que é exatamente o mesmo descrito nas Escrituras. O último e derradeiro anticristo, a última e derradeira manifestação da Besta apocaliptica deverá seguir o mesmo padrão, obviamente fazendo uso de todos os avanços científicos e tecnológicos que estiverem ao seu dispor.

    ResponderExcluir
  51. Na Grande Tribulação PREVALECE o poder do anticristo. Se os Santos que se manifestarem com o Senhor Jesus Cristo na sua vinda, nao for a Igreja. Então rasguemos nossas biblias. Porque as Portas do Infernos prevaleceram.
    Meus amados a volta de Jesus ESTA iminente e a palavra MARANATHA é sua maior exclamaçao.
    Todos estarao sujeitos ao anticristo e serao derrotados ou mortos e Israel nao será dizimado por causa da intervencao do Senhor.

    ResponderExcluir
  52. Os santos são uma referência a Igreja. Vemos nas epístolas que esta era uma maneira apostólica de se referir aos cristãos. Os santos estão presentes no período da Grande Tribulação. A Besta recebe autorização para pelejar contra os santos" (Ap 13.7). E, no versículo 10 do mesmo capítulo, lemos: "Aqui está a perseveranca e a fidelidade dos santos". O tema da perseverança dos santos em meio a Grande Tribulação também aparece no Sermão apocalíptico de Jesus: "então sereis atribulados e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome... aquele porém que perseverar até o fim, esse será salvo." (Mt 24.9-13). Os santos são descritos como uma grande multidão de mártires provenientes da Grande Tribulação e que estão vestidosde uma vestidura branca de linho (Ap 6.9-11; 7.9-14; 19.8). Reparar que este mesmo grupo de santos é descrito como um grande exército celeste que acompanha Jesus em sua Segunda Vinda e que estão vestidos de vestiduras de linho finíssimo, branco e puro (Ap 19.8 e 14). Na ocasião da Segunda Vinda de Cristo, os mortos em Cristo ressuscitarão e os crentes vivos serão transformados e receberão tais vestiduras e encontrarão com o Senhor nos ares e o acompanharam em sua descida a Terra. O dia da manifestação de Cristo será também o dia da revelação dos filhos de Deus! (Rm 8.19).

    ResponderExcluir
  53. Olá meus queridos.
    Graça e paz.

    Sem dúvida não há indícios de que a igreja não passará pela tribulação, muito pelo contrário. De todas as formas somos agraciados, pois padecer por amor a Cristo não é uma tortura, e sim uma graça, como o apóstolo Paulo já nos disse em Filipenses 1:29.

    Abaixo está o link de um estudo meu em relação aos 144 mil descritos no livro de Apocalipse. Lá, expresso o que a bíblia diz sobre quem são essas pessoas.
    http://escatologiaaberta.blogspot.com/search/label/Quem%20s%C3%A3o%20os%20144%20mil%20descritos%20no%20Apocalipse%3F

    Você, Ildo, é uma benção. Que Deus continue te usando dessa forma sublime !
    A paz..

    ResponderExcluir
  54. Prezado Bispo, a Paz do Senhor Jesus, concordo plenamente com as sua palavras e creio sim que a igreja passara pela grande tribulação, pra mim o problema da teologia atual é que Jesus Cristo como Rei dos reis e Senhor do senhores esta sendo muito pouco pregado entao surgem aqueles que só querem se beneficiar das coisas de Deus e por isso morrem de medo de sofrer por causa de Jesus pois nao conhecem conhecem Ele, se nao conhecem o verdadeiro jesus como vao sofrer por Ele. Uma benção seu artigo. Deus continue revelando a mais avontade Dele pro irmão. Paz.

    ResponderExcluir
  55. É isso aí, Vado! "PORQUE A VÓS VOS FOI CONCEDIDO, EM RELAÇÃO A CRISTO, NÃO SOMENTE CRER NELE, COMO TAMBÉM PADECER POR ELE" (Fil. 1.29).

    ResponderExcluir
  56. evangelista samuel-bahia.

    estamos ha muitos anos em dores.
    não passarão pela grande tribulação
    os que dormirem antes no senhor.É o
    caso da santa Salviana minha genitora
    serva fiel que Deus chamou.Os sabios
    entenderão que passarão,os tolos não;
    daniel cap.12-O tempo do fim.Deus estará com a igreja,vamos para a peneira de Jeová.

    ResponderExcluir
  57. ( Revelação do arrebatamento )

    O DIA do arrebatameno está revelado pelo próprio filho de Deus ! Mas só entende quem tem em mente o envento do arrebatamento : veja !

    Em 1 TSS 4 : 13 em diante , Paulo diz QUE Jesus vai ( DESCER ) do céu etc...etc.... e que os mortos vão ressucitar (PRI-ME-I-RO) , e os vivos vão ser trasformados CONFORME Paulo acrescenta em 1 CO 15 : 51 em diante , e ambos os grupos vão ser ( AR-RE-BA-TA-DOS JUN-TOS)nos ares !
    Paulo fala que de "MODO ALGUAM" os vivos vão ser arrebatados na frente dos que dormem e virce versa !Tudo isso está em 1 TSS 4 : 13 em diante .

    AGORA UMA PERGUNTA QUE ATÉ UMA CRIANÇA CRISTÂ DE 12 ANOS SABE RESPONDER .....
    QUEM É QUE RESSUCITA OS MORTOS ?????

    "E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no ULTIMO DIA." (João 6 : 39)

    JESUS DISSE QUE A RESSURREIÇÃO É 7 ANOS ANTES DE GRANDE TRIBULAÇÃO? O QUE ? AINDA NÃO ENTERNDERAM ? ENTÃO VEJA OUTRO VERSO :

    "Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no ULTIMO DIA." (João 6:40)

    AGORA SIM , JESUS DISSE ( 2 VEZES )

    OQUE???
    VOCÊ AINDA NÃO ACREDITA POR QUE APRENDEU NA TEOLOGIA DA REVISTINHA DA ASSEMBLEIA DE DEUS QUE TEM QUE TER 3 VERSOS PARA CONFIRMAR ???? EMBORA ISSO SEJA UMA BESTERIA DA TEOLODIA , JESUS VAI FALAR A TERCEIRA VEZ , VEJA :

    "Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia." (João 6:44)

    AHHHH AGORA JA FORAM 3 VEZES , MAS SÓ PARA VOCÊ TER CERTEZA QUE A RESSURREIÇÃO DA IGREJA É NO ULTIMO DIA , ENTÃO VEJA MAIS UMA VEZ JESUS SENDO ATÉ CHATO EM ENSISTIR :

    "Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia." (João 6 : 54)

    BOM ....4 VEZES BASTA NÉ ?!
    VOCê COME E BEBE A CARNE DE JESUS ?
    JESUS NÃO DISSE QUE VAI RESSUCITAR A IGREJA 7 ANOS ANTES DE GRANDE TRIBULAÇÃO ; DISSE ? NEM 3 ANOS E MEIO ; DISSE ?
    ULTIMO DIA NÃO É 7 ANOS ANTES DE GRANDE TRIBULAÇÃO.

    E AS PESSOAS DA ÉPOCA APRENDERAM BEM COM JESUS ; VEJA :

    "Disse-lhe Marta: Eu sei que há de ressuscitar na ressurreição do último dia." (João 11 : 24)

    O ARREBATAMENTO DA IGREJA (NÃO) PODE ACONTECER SEM QUE , PRI-ME-I-RO OS MORTOS RESSUCITEM, CONFORME PAULO MOSTROU EM 1 TSS 4 : 15 , 16 CORRETO ? )CLARO QUE ESTÁ CORRETO !
    SEM RESSURREIÇÃO NAÕ TEM TRANSFORMAÇÃO DE CORPOS , E SEM TRASFORMAÇÃO NÃO TEM ARREBATAMENTO , POIS NEM CARNE E NEM SANGUE PODEM HERDAR O REINO DE DEUS .

    E SE O ARREBATAMENTO DA IGREJA SÓ ACONTECE ( DEPOIS ) QUE OS MORTOS RESSUTAM , E SE JESUS SÓ RESSUCITA OS MORTOS NO ÚLTIMO DIA , NO ULTIMO DIA , NO ULTIMO DIA , NO ULTIMO DIA , ENTÃO QUANDO SERÁ O DIA DO ARREBATAMENO ? ----NO ULTIMO DIA----
    NÃO SEI QUAL É ESSE DIA E HORA , MAS SEI QEU NÃO É 7 ANOS ANTES DA GRANDE TRIBULAÇÃO , E SIM , NO ULTIMO GRANDE DIA !

    OUTRO PONTO É ESSE PESSOAL :
    TUDO COMEÇA QUANDO O MESM
    O SENHOR DESCER DO CÉU ; conforme Paulo explica em 1 TS 4:13 em diante ; correto ?
    O que detem Jesus descer do ceú ???

    Pedro tem a resposta ; veja : ATOS 3 : 20,21
    .....E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado.
    O qual convém que o céu contenha (até) aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio.

    ahhhh o céu contem Jesus até o tempo da restauração de todas as coisas ?
    E o que precisa ser restaurado ?

    POR QUE SE JESUS ESTÁ DESCENDO DO CÉU EM 1 TSS 4 , É POR QUE TUDO ESTÁ RESTAUDO .

    SE ALGUEM TIVER DUVIDAS SOBRE ISSO , MEU END É LUIZ.TACI@MSN.COM.BR

    paz de Jesus para todos os que amam a sua vinda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem observado, Luiz!

      A ressurreição dos mortos precederá, mesmo que em milésimos de segundos, o arrebatamento. E a ressurreição é algo que acontecerá apenas no último dia! Portanto, o arrebatamento é algo que acontece no último dia e não sete anos antes do último dia como ensinam os premilenistas e nem três anos e meio como como querem os midi.
      Tudo isto acontecerá no mesmo dia, quando Cristo descer dos céus, como um relâmpago que sai do oriente e se mostra no ocidente, em chamas flamejantes! Todo olho o verá! Não há margem para dúvida!

      Valeu!

      Excluir
  58. Necessário é também fazer uma observação sobre quando começará, o que é, e em que período se dará a Grande Tribulação. Daniel 9.27 aponta para uma semana de anos, ou seja, 7 anos; uma semana que ainda está por vir, pois as 69 semanas previstas já aconteceram. Um estudo sobre as 70 semanas de Daniel, esclareceria melhor a questão. Grande tribulação na verdade é a segunda metade da 7ª semana de Daniel. O Anticristo aparecerá na 1ª metade da semana e se manifestará no início da 2ª metade Assim sendo,a Igreja estará na terra durante a 1ª metade da semana e será tirada no início da 2ª metade da semana, pois a Bíblia diz que não ocorrerá o Arrebatamento, sem que antes se manifeste o homem do pecado. Ele se manifestará a partir da quebra do pacto que fará com Israel e,isso se dará, no meio da semana. Assim, percebemos que a Igreja será tirada nesse período, pois a partir da quebra do pacto é que se dará a intensa perseguição à terra e, isso, também, confirma que os tempos foram abreviados por causa da intensa perseguição que será desencadeada a partir de então. Embora os textos apresentados indiquem uma visão pós-tribulacionista do Arrebatamento, eles não confirmam a tese pós-tribulacionista do Arrebatamento. Prefiro ficar com a tese que defende a visão pre-tribulacionista, pois coaduna-se melhor com a revelação bíblica em seu contexto geral.

    ResponderExcluir
  59. jbrodrigues, recomendo a leitura do estudo que escrevi sobre as Setentas Semanas de Daniel: http://escatologiacrista.blogspot.com/2008/02/70-semanas-de-daniel.html

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  60. Olá Ildo!!!
    Espero que esteja bem!
    Caro Amigo,
    Nao sei se vc é apostolo, profeta, evangelista, pastor ...mestre(Ef. 4.12-13). Porem, fica claro que afirmas, o que nao podes e, nem tens autoridade para afirmar: "Nao há nenhum lugar na biblia que diz que a igreja nao passará pela grande tribulacao". Isto é falta de leitura simples. veja: Ap. 3.10 a Igreja seria livre a da(ek) hora Tribulacao. E para que nao te enganes, pensando tratar-se de uma experiencia especifica de uma Igreja local. Lembro-te do verso 13, deste mesmo capitulo: "Quem tem ouvido ouça o que o Espirito diz AS IGREJAS". Parece tratar-se da igreja, que em quaisquer epocas e/ou localidades, podem dar ouvidos ao Espirito - vc concorda? - aonde quer que eu e tu estejamos, essa palavra chegará e anunciada pelo Espirito Santo. Portanto a Biblia diz o que quer dizer e quaisquer "bobagem"que ela afirma é mais sabia que nossas especulacoes interpretativas.

    Meditacao:

    Li acuradamente todas as perguntas e respostas a respeito dos assuntos escatologicos elencados no teu blog.

    Quero primeiro salientar que o "EK" grego nunca poderá ser traduzido por "na" "no"e sim "da" "do"(do meio). Ele nos Livrara da hora...e nao na hora(no meio).

    Segundo: O argumento contextualizando Mt 24 e o proprio Dn 9, refere-se explicitamente aos eventos impostos pelo Imperador Tito a Israel, no ano 70 da nossa era.(aquela grande tribulação, jamais se repetira na historia).

    Terceiro: É obvio que no mundo teremos aflição e passaremos por muitas tribulações. Elas contribuem para o nosso aperfeicoamento.

    Grande tribulação no entanto, só houve uma.(Esta foi profetizada apenas para Israel).

    É certo que a Igreja não passará pelo que ja aconteceu.

    Nem esta sujeita ao "dia da ira do nosso Deus". Ele não se irará contra a Noiva do cordeiro.

    A presença do homem da iniquidade que se tem confundido com a Grande Tribulação e que nada tem a ver uma coisa com outra, tambem pode ser chamado de o dia da ïra de Deus.

    A presença do "homem da iniquidade" nada tem haver com grande tribulação.

    Quinto: Assentados no Trono como Deus, tem aparecidos muitos Anti-Cristo, desde o primeiro segulo da Igreja,até nos dias atuais. Isso ninguem pode negar.
    A Patristica Crista, tem nos mostrado os Pais da Igreja em todas as épocas e eles certamente diriam que viram o Anti-Cristo e nós continuaremos a ve-los, pois que ele não pode ser uma exclusividade de uma epoca da Igreja.

    Apesar de se manifestar em duas fases, vem um, depois, o outro.

    "Estejais apercebidos" é espera continua e eminente, conforme se alfere com qualquer erudito em grego.

    E Por último, quero que saibás que expresso apenas o que tem crido até aqui, o que torno público pela primeira vez com muito respeito, tremor e temor por todos os santos irmãos meus em Cristo, que propunham-se a passar adiante a Palavra do reino e que pensam diferente de mim.
    Abraços!
    Obs. A não citaçao de Cap e Vrs é proposital.
    5 de abril de 2009 04:44
    Anônimo disse...

    paz a todos! eu sempre pensei que a igreja passaria pela grande tribulacao, devido a 1 tessa: cap:2
    mais a pergunta é: é melhor se prepara para a grande tribulacao ou viver como se nao fosse passar por ela? pois tal qual eu penço logo vivo, se penço que a igreja irá passar pela G tribulaçao vivo de uma forma, se penço que a igreja irá passar pela G tribulaçao
    como irei viver diferente! ou quero deizer: VIVEREI COM MAIS TEMOR! nao achao? esse é que ten que ser o foco do Cristao.
    Abracos,
    Amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro irmão Souza, eu não sou Apóstolo, mas apenas um servo de Jesus Cristo. Apocalipse 3.10 não pode estar afirmando que a Igreja não passará pela Grande Tribulação, pois, se assim o fosse, estaria em franca contradição com o restante do livro que claramente fala da Igreja sofrendo tremenda perseguição e o martírio no período da Grande Tribulação. Lembrando que o livro também foi escrito com o propósito de consolar as igrejas perseguidas do primeiro século (Ap 2.3, 10, 13; 3.8-12).

      Ap 6..9-11: "9 Quando ele abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas daqueles que haviam sido mortos por causa da palavra de Deus e do testemunho que deram. 10 Eles clamavam em alta voz: “Até quando, ó Soberano, santo e verdadeiro, esperarás para julgar os habitantes da terra e vingar o nosso sangue?” 11 Então cada um deles recebeu uma veste branca, e foi- lhes dito que esperassem um pouco mais, até que se completasse o número dos seus conservos e irmãos, que deveriam ser mortos como eles."

      Ap 7.13 e 14: "Então um dos anciãos me perguntou: “Quem são estes que estão vestidos de branco, e de onde vieram?” Respondi: Senhor, tu o sabes. E ele disse: “Estes são os que vieram da grande tribulação e lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro."

      Ap 13:5-10: "À besta foi dada uma boca para falar palavras arrogantes e blasfemas, e lhe foi dada autoridade para agir durante quarenta e dois meses. 6 Ela abriu a boca para blasfemar contra Deus e amaldiçoar o seu nome e o seu tabernáculo, os que habitam nos céus. 7 Foi- lhe dado poder para guerrear contra os santos e vencê- los. Foi- lhe dada autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação. 8 Todos os habitantes da terra adorarão a besta, a saber, todos aqueles que não tiveram seus nomes escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a criação do mundo. Aquele que tem ouvidos ouça: Se alguém há de ir para o cativeiro, para o cativeiro irá. Se alguém há de ser morto à espada, morto à espada haverá de ser. Aqui estão a perseverança e a fidelidade dos santos."

      Ap 13.15: "Foi- lhe dado poder para dar fôlego à imagem da primeira besta, de modo que ela podia falar e fazer que fossem mortos todos os que se recusassem a adorar a imagem."

      Ap 20.4 "4 Vi tronos em que se assentaram aqueles a quem havia sido dada autoridade para julgar. Vi as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus. Eles não tinham adorado a besta nem a sua imagem, e não tinham recebido a sua marca na testa nem nas mãos. Eles ressuscitaram e reinaram com Cristo durante mil anos."

      Tribulação é algo que faz parte deste nosso tempo, só não fará mais parte da nova ordem que está porvir! ( Ap 21.4).

      Quanto a preposição "EK"- implica em “sair de dentro”, o que refuta a interpretação pré-tribulacionista do versículo. Para a Igreja emergir de dentro da hora do teste, deve ter estado presente durante aquele teste. O mesmo se dá em Apocalipse 7.14, onde os mártires saem “fora da (ek) grande tribulação”. Sabemos que tais mártires foram perseguidos e mortos durante a Grande Tribulação.

      Excluir
    2. Quanto ao seu Segundo ponto, concordo que a Grande Tribulação mencionada em Mateus 24 seja uma referência ao Abominável da Desolação de que falou o Profeta Daniel e que tem a ver com os juízos de Deus contra o povo de Israel. O Antigo Testamento relata como Jerusalém foi duramente castigada em decorrência de seus pecados, sendo queimada e destruída por Nabucodunosor. Jeremias profetizara que o cativeiro duraria 70 anos, e assim o foi, mas Daniel recebe uma visão afirmando que mais assolações estavam reservadas para Jerusalém em termos de 70 semanas. Neste período haveria a resconstrução da cidade e do templo, mas o Ungido seria morto, e em decorrência disto, o príncipe de um povo que haveria de vir cercaria e destruiria a cidade. Jesus é o ungido que foi morto e o principe de um povo que há de vir é o General Tito, filho do Imperador Vespasiano, que sitiou Jerusalém, por volta de 63 da Era Cristã. O cerco durou 7 anos. Josefo afirmou que aqueles foram os anos da maior agonia que Jesuralém experimentou em toda a sua história. No final, no ano 70, o exército Romano destruiu a cidade, Tito profanou o templo. Ele é o abominável da desolação de que falou Daniel.

      Jesus profetiza uma nova destruição de Jerusalém e do templo: Mt 23.33-37: “Serpentes! Raça de víboras! Como vocês escaparão da condenação ao inferno? 34 Por isso, eu lhes estou enviando profetas, sábios e mestres. A uns vocês matarão e crucificarão; a outros açoitarão nas sinagogas de vocês e perseguirão de cidade em cidade. 35 E, assim, sobre vocês recairá todo o sangue justo derramado na terra, desde o sangue do justo Abel, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem vocês assassinaram entre o santuário e o altar. 36 Eu lhes asseguro que tudo isso sobrevirá a esta geração.
      37 “Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram. 38 Eis que a casa de vocês ficará deserta."

      Mt 24.2 - “Vocês estão vendo tudo isto?”, perguntou ele. “Eu lhes garanto que não ficará aqui pedra sobre pedra; serão todas derrubadas”.

      Jesus orienta seus discípulos a fugirem de Jerusalém quando da aproximação do exército inimigo (Mt 24.15-20). Eles não serão arrebatados, por isto devem fugir.

      Bem, é interessante notar que este Sermão Escatológico de Cristo que trata da destruição de Jerusalém consta apenas dos Evangelhos Sinóticos que sabemos terem sido todos escritos antes do ano 70. Já o Evangelho de Jõao, escrito posteriormente, nada menciona a respeito. A razão provável para isto é que quando João escreveu, tal texto já não era mais profecia, mas, sim, história! Todavia, uma nova abordagem é vista para o tema da Grande Tribulação no livro de Apocalipse que também foi escrito em período posterior a destruição de Jesualém. A Grande Tribulação mencionada em Apocalipse nada mais tem a ver com Jerusalém e nem com os judeus. Não se trata de um juízo de Deus contra os ímpios e incrédulos, mas tem a ver com o sofrimento dos cristãos que estão sendo perseguidos e mortos por amor a Cristo. Portanto, existe uma Grande Tribulação de caráter judaico que tem a ver com o juízo de Deus contra Jerusalém que mata os profetas e o próprio Ungido e há uma outra espécie de Grande Tribulação que diz respeito aos seguidores de Cristo procedentes de todas as partes do mundo.

      A Igreja não foi destinada a ira de Deus, cujos juízos se voltam contra os malfeitores seguidores da Besta que, no Dia da Ira de Deus, clamarão para que as rochas caiam sobre suas cabeças (Ap 6.11-17; Ap 11.18). Mas, embora a Igreja não esteja destina à Ira, ela está destinada à Tribulação conforme lemos em 1 Pe 2.20-21; At 14.22; Jo 16.33; Rm 8.18, 23, 35, 36; 2 Co 8.2).

      Obrigado por seus comentários. Deus o abençoe!

      Excluir
    3. Quanto ao seu Segundo ponto, concordo que a Grande Tribulação mencionada em Mateus 24 seja uma referência ao Abominável da Desolação de que falou o Profeta Daniel e que tem a ver com os juízos de Deus contra o povo de Israel. O Antigo Testamento relata como Jerusalém foi duramente castigada em decorrência de seus pecados, sendo queimada e destruída por Nabucodunosor. Jeremias profetizara que o cativeiro duraria 70 anos, e assim o foi, mas Daniel recebe uma visão afirmando que mais assolações estavam reservadas para Jerusalém em termos de 70 semanas. Neste período haveria a resconstrução da cidade e do templo, mas o Ungido seria morto, e em decorrência disto, o príncipe de um povo que haveria de vir cercaria e destruiria a cidade. Jesus é o ungido que foi morto e o principe de um povo que há de vir é o General Tito, filho do Imperador Vespasiano, que sitiou Jerusalém, por volta de 63 da Era Cristã. O cerco durou 7 anos. Josefo afirmou que aqueles foram os anos da maior agonia que Jesuralém experimentou em toda a sua história. No final, no ano 70, o exército Romano destruiu a cidade, Tito profanou o templo. Ele é o abominável da desolação de que falou Daniel. Jesus advertiu seus discípulos para que fugissem quando ouvissem que

      Jesus profetiza uma nova destruição de Jerusalém e do templo: Mt 23.33-37: “Serpentes! Raça de víboras! Como vocês escaparão da condenação ao inferno? 34 Por isso, eu lhes estou enviando profetas, sábios e mestres. A uns vocês matarão e crucificarão; a outros açoitarão nas sinagogas de vocês e perseguirão de cidade em cidade. 35 E, assim, sobre vocês recairá todo o sangue justo derramado na terra, desde o sangue do justo Abel, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem vocês assassinaram entre o santuário e o altar. 36 Eu lhes asseguro que tudo isso sobrevirá a esta geração.
      37 “Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram. 38 Eis que a casa de vocês ficará deserta."

      Mt 24.2 - “Vocês estão vendo tudo isto?”, perguntou ele. “Eu lhes garanto que não ficará aqui pedra sobre pedra; serão todas derrubadas”.

      Jesus orienta seus discípulos a fugirem de Jerusalém quando da aproximação do exército inimigo (Mt 24.15-20). Eles não serão arrebatados, por isto devem fugir.
      Bem, é interessante notar que este Sermão Escatológico de Cristo que trata da destruição de Jerusalém consta apenas dos Evangelhos Sinóticos que sabemos terem sido todos escritos antes do ano 70. Já o Evangelho de Jõao, escrito posteriormente, nada menciona a respeito. A razão provável para isto é que quando João escreveu, tal texto já não era mais profecia, mas, sim, história! Todavia, uma nova abordagem é vista para o tema da Grande Tribulação no livro de Apocalipse que também foi escrito em período posterior a destruição de Jesualém. A Grande Tribulação mencionada em Apocalipse nada mais tem a ver com Jerusalém e nem com os judeus. Não se trata de um juízo de Deus contra os ímpios e incrédulos, mas tem a ver com o sofrimento dos cristãos que estão sendo perseguidos e mortos por amor a Cristo. Portanto, existe uma Grande Tribulação de caráter judaico que tem a ver com o juízo de Deus contra Jerusalém que mata os profetas e o próprio Ungido e há uma outra espécie de Grande Tribulação que diz respeito aos seguidores de Cristo procedentes de todas as partes do mundo.

      A Igreja não foi destina a ira de Deus, cujos juízos se voltam contra os malfeitores seguidores da Besta que, no Dia da Ira de Deus, clamarão para que as rochas caiam sobre suas cabeças (Ap 6.11-17; Ap 11.18). Mas, embora a Igreja não esteja destina à Ira, ela está destinada à Tribulação conforme lemos em 1 Pe 2.20-21; At 14.22; Jo 16.33; Rm 8.18, 23, 35, 36; 2 Co 8.2).

      Obrigado por seus comentários. Deus o abençoe!

      Excluir
  61. Prezado irmão José Ildo. Ontem tive um bate papo com um irmão que cria nas duas vindas. Na graça de Deus essa conversa começou após eu ter levantado a questão na família dele, composta por esposa e três filhas, e imagine que ele tinha o dever de defender o que ele acreditava pois do contrário como teólogo teria que se virar para corrigir os ensinamentos junto a sua família.
    O debate ocorreu de forma muito educada, mas por fim acabei concluindo algo ruim.
    Jesus deixa muito claro a sequência dos acontecimentos; princípio das dores (na minha opinião é a época atual), tribulação (perseguição que não se compara a vivida atualmente) e depois de alguns sinais que podemos ver em apocalipse termos o arrebatamento.
    A minha infelicidade é que não consta em apocalipse o arrebatamento claramente após os sinais que Cristo descreve, pois se estivesse o problema já estaria solucionado.
    Na opinião dele a referência de Apocalipse 19 é quando a igreja volta a terra para seguir triunfante, e se a igreja está vindo com Cristo é porque já tinha subido então não esteve durante a tribulação. Mas em contrapartida ele não soube dizer em que momento a igreja foi retirada, apesar de tentar dizer que foi depois do capítulo 3 de apocalipse e antes do 4.
    Concluindo, claro ou não que a igreja irá passar pela tribulação será inevitável que algumas pessoas prefiram crer que não passará. Não penso mais em debater sobre o assunto e posso até parecer covarde nessa decisão, já que vou acabar vendo que no final cada um vai querer crer no que quiser. Oro pra que todos busquem a santificação pois sem ela ninguém poderá estar com Deus no arrebatamento, seja ele em que momento que for (mas imagino a surpresa dos cristão quando verem o anticristo e todos os sinais do apocalipse)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado irmão Edson, como o arrebatamento é um evento que acontece no Dia Glorioso da Manifestação do Filho de Deus. Sendo assim, ele está implicitamente mencionado em Apocalipse como acontecendo depois de todos aqueles sinais que precedem a Segunda Vinda de Cristo. Jesus descreve o arrebatamento acontecendo no Dia da Vinda de Cristo após a "tribulação daqueles dias" (Mt 24.29-31). Paulo também diz que a Segunda Vinda de Cristo e a Nossa Reunião com ele se dará após a aparição do Anticristo (2 Ts 2.1-3). De modo que a Segunda Vinda de Cristo e a Nossa Reunião com ele que se dá através do Arrebatamento são um evento único, razão pela qual o autor de Apocalipse não menciona o Arrebatamento como algo distinto da Segunda Vinda de Cristo. Se ele fosse pretribulacionista, certamente faria isto! O Apocalipse é claramente postribulacionista! A Segunda Vinda de Cristo é descrita em termos gloriosos como acontecendo após a Grande Tribulação. O Livro de Apocalipse é escrito para confortar Igrejas que estavam vivendo o pior da perseguição Romana. Período da história da Igreja que é conhecido como a Era dos Mártires. João vê uma grande multidão de mártires cristãos na glória e lhe é dito que tal multidão de mártires foram mortos no período da Grande Tribulação (Ap 7.14).

      Excluir
  62. ..não nos esqueçamos que o arrebatamento não é uma farça ,mas sim uma realidade que se dará antes ou depois da grande tribulação.DEUS ABENÇOE A TODOS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Os postribulacionistas também creem que a Igreja será arrebatada.

      A questão é quando e como!

      Veja resposta mais detalhada abaixo!

      Excluir
  63. ...sobre a expressão farça do arrebatamento,não acho estar correta,já que a Bíblia diz que os cristãos serão arrebatados antes ou depois da grande tribulação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu jamais afirmei que o arrebatamento é uma farça. Eu creio que a Igreja será arrebatada. A questão é quando e como. Jesus ensinou que o arrebatamento (Mt 24.31) acontece logo após a Grande Tribulação (Mt 24.29) e Paulo também ensina que o arrebatamento acontecerá na Segunda Vinda de Cristo quando Jesus descer dos céus: "Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que estivermos vivos seremos arrebatados com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor" (1 Ts 4.16 e 17). Paulo, em outro texto, também ensina que o Arrebatamento e a Segunda Vinda são eventos que acontecem no mesmo dia, naquele que é conhecido como "O Dia do Senhor" e que acontece após a aparição do anticristo e da apostasia (2 Ts 2.1-3). Confira!

      Excluir
  64. Eu penso que na grande tribulação, os salvos estarão presentes e verão a grande angustia do povo ao seu lado, cumprindo Salmos 91, mil cairão ao teu lado e dez mil a tua direita mas tu não seras atingido. pois o arrebatamento dos fieis nas nuvens dos céus não será para ida ao céus dos céus, mas estes fieis Irão com o Messias para Jerusalém, onde sera estabelecido o seu reino milenar. No Reino do Messias não haverá injustiças... Saiba mais lendo O REINO MILENAR DO MESSIAS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro irmão Frederico, concordo com você quando diz que os crentes estarão presentes durante o período da Grande Tribulação, pois são inúmeros os textos que afirmam isto. Já quanto ao milênio, não posso concordar que ele seja de apenas mil anos, pois Jesus virá para reinar eternamente! Conforme profetizou Daniel; "Ele recebeu autoridade, glória e o reino; todos os povos, nações e homens de todas as línguas o adoraram. Seu domínio é um domínio eterno que não acabará, e seu reino jamais será destruído" (Dn 7.14); E: "Então a soberania, o poder e a grandeza dos reinos que há debaixo de todo o céu serão entregues nas mãos dos santos, o povo do Altíssimo. O reino dele será um reino eterno, e todos os governantes o adorarão e lhe obedecerão’." (Dn 7:25). Pedro também ensina que o Reino do Senhor Jesus é eterno (2 Pe 1.11). Portanto, os mil anos são uma figura de linguagem para representar o Reino Eterno de Cristo! Mais sobre o Reino Milenar Eterno de Cristo em http://escatologiacrista.blogspot.com.br/p/o-milenio-apocaliptico.html - Confira!

      Excluir
  65. sou o Francisco e concordo com a visão pós tribulacionista. E se não bastar as passagens de João 6 que diz que o arrebatamento será no último dia, há também a passagem de lcorintios 15;52 dizendo que o arrebatamento dar-se-á quando tocar a ÚLTIMA trombeta. O raciocínio é lógico, pois se a tribulação acontecerá conforme as trombetas vão sendo tocadas, segundo o livro de apocalipse, subentende-se que o arrebatamento será depois da tribulação...ou estou equivocado? corrijam-me por favor...mas com argumentos .

    ResponderExcluir
  66. O grande erro dos pos tribulacionistas é confundir judeus,gentios e igreja(2 Co 10.32)...a maioria dos versiculos citados pelos pos tribulacionistas,quando dizem que a igreja vai passar pela tribulação, se refere a Israel.
    Deus tem um plano com os filhos naturais de Abraão(judeus)e com os espirituais(igreja).A igreja do Senhor não passara pela grande tribulação,porque não foi destinada a ira(1 Tes 1.10).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Carlos, não confundimos judeus, gentios e igreja. Judeus são os descendentes sanguíneos de Abraão, gentios são todos os demais, e a Igreja é formada pelos salvos lavados pelo sangue de Jesus procedentes tanto do povo judeu como dos demais povos (gentios). A Igreja é o povo de Deus, congregando judeus e gentios salvos. A parede de separação foi destruída por Cristo. De ambos os povos, Deus fez um só! Isto é o que Paulo ensina em Efésios 2.11-19: "Portanto, lembrem- se de que anteriormente vocês eram gentios por nascimento e chamados incircuncisão pelos que se chamam circuncisão, feita no corpo por mãos humanas, e que 12 naquela época vocês estavam sem Cristo, separados da comunidade de Israel, sendo estrangeiros quanto às alianças da promessa, sem esperança e sem Deus no mundo. 13 Mas agora, em Cristo Jesus, vocês, que antes estavam longe, foram aproximados mediante o sangue de Cristo. 14 Pois ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um e destruiu a barreira, o muro de inimizade, 15 anulando em seu corpo a Lei dos mandamentos expressa em ordenanças. O objetivo dele era criar em si mesmo, dos dois, um novo homem, fazendo a paz, 16 e reconciliar com Deus os dois em um corpo, por meio da cruz, pela qual ele destruiu a inimizade. 17 Ele veio e anunciou paz a vocês que estavam longe e paz aos que estavam perto, 18 pois por meio dele tanto nós como vocês temos acesso ao Pai, por um só Espírito. 19 Portanto, vocês já não são estrangeiros nem forasteiros, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus, 20 edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, tendo Jesus Cristo como pedra angular, 21 no qual todo o edifício é ajustado e cresce para tornar-se um santuário santo no Senhor. 22 Nele vocês também estão sendo edificados juntos, para se tornarem morada de Deus por seu Espírito."
      A Igreja não foi destina a ira de Deus, cujos juízos se voltam contra os malfeitores seguidores da Besta que, no Dia da Ira de Deus, clamarão para que as rochas caiam sobre suas cabeças (Ap 6.11-17; Ap 11.18). Mas, embora a Igreja não esteja destina à Ira, ela está destinada à Tribulação conforme lemos em 1 Pe 2.20-21; At 14.22; Jo 16.33; Rm 8.18, 23, 35, 36; 2 Co 8.2). Jesus advertiu seus discípulos com muitas palavras a respeito das tribulações que teriam de enfrentar por amor a Cristo: "Lembrem- se das palavras que eu lhes disse: Nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês" (Jo 13.20); “Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa" (Mt 24.9). "...Estes são os que vieram da grande tribulação e lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro" (Ap 7.14). Jesus orou pedindo proteção para os seus discípulos contra todo o mal, mas claramente disse que tal proteção não implicava em retirar os discípulos do mundo: "Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno" (Jo 7.15). Tiago também enxerga os discípulos de Cristo enfrentando e vencendo a provação através da perseverança na fé em Jesus: "Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam" (Tg 1.12).

      Excluir
  67. Caro José Ildo,
    Em sua resposta a postagem de 05 de abril, datada de 07 do mesmo mes, o senhor teria dito não entender porque cito Ap. cap. 3. vrs 13 e 22, pois bem! Ë simples - Em ambos versos O Espírito Santo diz a todas as Igrejas "quem tem ouvido para ouvir oucam". Sobre uma Tribulação vinda ao mundo, e, da qual eles seriam livres. Ora! Não temos registro de tal evento posto sobre a humanidade com insenção da Igreja.
    Quanto a referencia ao comentario do Sr Erickson, saliento que "EK"é traduzindo no seu sentido etimologico, ou seja "do"ou "da"e o indicativo grego, sugere, da hora do evento e não na hora. Até porque, qual sentido de uma tribulação, se a igreja for salva do meio dela? E quem seria os martires de vestes brancas, vindos da Grande tribulaçao?
    Afinal de contas, foram salvos [livres) dela ou perderam suas vidas no meio dela pelo nome de Jesus?
    Creio que colocaremos a justiça de Deus em cheque, qdo vimos ele oferecer uma DUPLA VINDA DE JESUS para os judeus, oferecendo-lhes o re-enxerto e negando essa mesma oportinidade aos gentios. Lembre-se que nada no Velho Testamento, dava uma idéia da vinda do Messias dos judeus em duas fases como vimos acontecer e esperamos acontecer de novo, bem como Israel sonha com esta vinda/volta ...

    Deus, em Cristo continue te abencoando meu irmao.

    Do Seu Mano: Souza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro irmão Souza, em Ap 3.10, não há nada que indique um arrebatamento como meio de guardar os cristãos do período da provação que há de vir sobre todo o mundo. Jesus orou pedindo proteção para os seus discípulos contra todo o mal, mas claramente disse que tal proteção não implicava em retirar os discípulos do mundo: "Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno" (Jo 7.15). Tiago também enxerga os discípulos de Cristo enfrentando e vencendo a provação através da perseverança na fé em Jesus: "Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam" (Tg 1.12). A Igreja não está destina à ira de Deus, cujos juízos se voltam contra os malfeitores seguidores da Besta que, no Dia da Ira de Deus, clamarão para que as rochas caiam sobre suas cabeças (Ap 6.11-17; Ap 11.18). Mas, embora a Igreja não esteja destina à Ira, ela está destinada à Tribulação conforme lemos em 1 Pe 2.20-21; At 14.22; Jo 16.33; Rm 8.18, 23, 35, 36; 2 Co 8.2). Jesus advertiu seus discípulos com muitas palavras a respeito das tribulações que teriam de enfrentar por amor a Cristo: "Lembrem- se das palavras que eu lhes disse: Nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês" (Jo 13.20); “Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa" (Mt 24.9). "...Estes são os que vieram da grande tribulação e lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro" (Ap 7.14).

      Agora, quanto a sua alegação de que não existem profecias no Antigo Testamento indicando uma dupla vinda de Cristo, respondo dizendo que existem, sim, no Antigo Testamento, profecias que apontam para duas vindas distintas de Cristo, uma como Servo e Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo e outra como Rei poderoso que vem sobre as nuvens do céu para reinar eternamente.
      Em sua Primeira Vinda, Cristo não veio para julgar, mas para salvar (Jo 3.16-19). Já na sua segunda Vinda ele virá para julgar os vivos e os mortos (2 Tm 4.1). Em sua primeira vinda, Jesus abre uma porta para o céu (Ap 4). Ele é a porta aberta (Jo 10.7)! Em sua segunda vinda, tal porta é fechada à semelhança do que aconteceu nos dias de Noé (Mt 25.10 cf Gn 7.16). Primeiramente a manifestação da graça através do aviso para Noé construir a Arca e pregar para o povo, depois, quando o juízo caiu em forma de dilúvio, o próprio Deus cerrou a porta da Arca (Gn 7.16). Isto nos serve como advertência (1 Co 10.11). O Antigo Testamento não fala de Cristo apenas em termos do Rei glorioso de Israel, mas também o apresenta como "Servo Sofredor" (Is 53, Sl 22), como um Rei humilde (Zc 9.9). Na primeira vinda de Cristo, Jesus se apresenta como um Rei humilde, que entra em Jerusalém montado sobre um jumentinho, e que será rejeitado e morto por seu povo (Is 53). A Segunda Vinda cumpre as profecias que apresentam Jesus como Rei vitorioso e glorioso que cavalga sobre as nuvens (Sl 68.4). Daniel profetizou a Segunda Vinda gloriosa de Cristo sobre as nuvens do céus para estabelecer o seu Reino Eterno e não de apenas mil anos! “Em minha visão à noite, vi alguém semelhante a um filho de homem, vindo com as nuvens dos céus. Ele se aproximou do ancião e foi conduzido à sua presença. 14 Ele recebeu autoridade, glória e o reino; todos os povos, nações e homens de todas as línguas o adoraram. Seu domínio é um domínio eterno que não acabará, e seu reino jamais será destruído" (Dn 7.13-14).

      Excluir
  68. Não se pertubem!

    1 - por que haveríamos de passar por coisas que não não estão destinadas a nós, os salvos?
    1 Tessalonicenses 5:9 (Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo)

    2 - se sou salvo, sou salvo.
    Rm 5.8-10 "Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores. Como agora fomos justificados por seu sangue , muito mais ainda, por meio dele seremos SALVOS DA IRA DE DEUS! Se quando éramos inimigos de Deus fomos reconciliados com ele mediante a morte de seu Filho, quando mais agora tendo sido reconciliado, seremos SALVOS por sua vida"

    3 - Por que eu seria alertado a vigiar e esperar a vinda do mestre, se ja sei o que irei passar antes desta vinda (a grande tribulação)?
    Mt 25.13 "Portanto, vigiem, porque vocês não sabem o dia nem a hora"

    4 - se ja sei que irei passar por tais coisas pra quê vigiar? é só esperar acontecer e saberemos que chegou a hora.
    Mt 24.42-44 "Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor. Mas entendam isto: se o dono da casa soubesse a que hora da noite o ladrão viria, ele ficaria de guarda e não deixaria que a sua casa fosse arrombada. Assim, vocês também precisam estar preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em
    que vocês menos esperam."

    5 - pra quê vigiar?
    Ap. 16.15 "Eis que venho como ladrão! Feliz aquele que permanece vigilante e conserva consigo as suas vestes, para que não ande nu e não seja vista a sua vergonha."

    6 - pra quê?
    Lc 21.34,35 "Tenham cuidado, para não sobrecarregar o coração de vocês de libertinagem, bebedeiras e ansiedades da vida, e aquele dia venha sobre vocês INESPERADAMENTE. Porque ele virá sobre todos os que vivem sobre a face de toda a terra

    7 - ??????????
    Mc 13.34-37"É como um homem que sai de viagem. Ele deixa em sua casa, encarrega de tarefas cada um dos seus servos e ordena ao porteiro que vigie. Portanto, VIGIEM, porque vocês não sabem quando o dono da casa voltará: se a tarde, à meia noite, ou ao cantar do galo ou ao amanhecer. Se ele vier de repente, que não os encontre dormindo! O que lhes digo, digo a todos: Vigiem!"



    Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.
    1 Coríntios 2:14

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Gerson,

      A Igreja não está destina a ira de Deus. A ira de Deus é o seu justo juízo sobre toda a impiedade (Rm 1.18). "O Dia da Ira" (Rm 2.5) e "a Ira" (Ef 5.6) são também conhecidos como "O Dia do Senhor" (Is 13.9; Joel 2.1-11; 1 Ts 5.2; 2 Ts 2.2). É o Dia do Juízo Final: "Vejam! O dia do Senhor está perto, dia cruel, de ira e grande furor, para devastar a terra e destruir os seus pecadores. As estrelas do céu e as suas constelações não mostrarão a sua luz. O sol nascente escurecerá, e a lua não fará brilhar a sua luz. Castigarei o mundo por causa da sua maldade, os ímpios pela sua iniqüidade. Darei fim à arrogância dos altivos".

      Em 1 Ts 5.9, Paulo está afirmando que os salvos em Cristo não estão destinados a condenação no Juízo Final (Rm 2.5; 5.9; Ef 5.6; Cl 3.6; 1 Ts 5.9; Ap 14.10 e 19; 19.15). "Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Rm 8.1). "Quem crê no Filho tem a vida eterna; já quem rejeita o Filho não verá a vida, mas a ira de Deus permanece sobre ele”. De modo que 1 Ts 5.9 não diz respeito a Grande Tribulação, mas sim a condenação do Juízo Final.

      No Dia da Ira de Deus, os ímpios clamaram para que as rochas caiam sobre suas cabeças tal é a expectativa de juízo condenatório (Ap 6.11-17; Ap 11.18).

      Mas, embora a Igreja não esteja destina à Ira, ela está destinada à Tribulação conforme lemos em 1 Pe 2.20-21; At 14.22; Jo 16.33; Rm 8.18, 23, 35, 36; 2 Co 8.2). Jesus advertiu seus discípulos com muitas palavras a respeito das tribulações que teriam de enfrentar por amor a Cristo: "Lembrem- se das palavras que eu lhes disse: Nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês" (Jo 13.20); “Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa" (Mt 24.9). "...Estes são os que vieram da grande tribulação e lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro" (Ap 7.14). Jesus orou pedindo proteção para os seus discípulos contra todo o mal, mas claramente disse que tal proteção não implicava em retirar os discípulos do mundo: "Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno" (Jo 7.15). Tiago também enxerga os discípulos de Cristo enfrentando e vencendo a provação através da perseverança na fé em Jesus: "Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam" (Tg 1.12).

      Quanto a necessidade de vigiar mesmo cientes de que há sinais da Segunda Vinda do Senhor:

      Jesus e Paulo claramente ensinaram que determinados sinais deveriam necessariamente acontecer antes da Segunda Vinda de Cristo (Ex: Mt 24, 2 Ts 2.1-3).

      Cristo no Sermão das últimas coisas nos ensinou que sinais deveriam preceder sua Segunda Vinda. Sinais depõem contra a idéia de “iminência”. No mesmo Sermão em que Jesus informa os sinais que precederão a sua vinda, ele também adverte a respeito da necessidade de vigiar (Mt 24, Mc 13, Lc 21). Os sinais não têm a intenção de nos conceder condições para precisar o dia da Segunda Vinda. E Jesus denuncia a fascinação por cálculos (Mt 24.33-36); os sinais mencionados por Cristo são inespecíficos para este fim, antes, o propósito é preparar o povo de Deus com a compreensão das pressões que terá de suportar. O propósito de Jesus é encorajar, não a especulação, mas a vigilância - fortalecer a fé e advertir os discípulos do que será a sua sorte como seguidores dela. Se os cristãos atentarem para as palavras de Cristo, como disse Travis, “conhecerão que a situação não está fora do controle de Deus, e que eles podem ‘perseverar até o fim e serem salvos’ (Mc 13.13) e que além dessas tribulações está o retorno triunfante do Filho do Homem (Mc 13.24-27)”.

      --- Segue ---

      Excluir
    2. --- Seqüência ---


      Por não sabermos quando se dará Sua Segunda Vinda, é necessária a vigilância (Mt 24.42-25.13). Vigilância é necessária também porque não sabemos quando será a hora de nossa morte.

      Alguns textos sugerem um tempo relativamente longo entre a ascensão e a Segunda Vinda de Cristo (Rm 9; 11; Mt 24.45-51; 2 Pe 3). O livro de Atos é um livro de história da Igreja e ninguém escreve história convencido de que o mundo está para acabar.
      Os textos que falam sobre uma “vinda súbita” e o dos “sinais”, e mesmo aqueles que apontam para uma “demora”, não são contraditórios, mas complementares. Em 1 Tessalonicenses 5, temos uma referência à “vinda súbita”, já em 2 Tessalonicenses 2, temos a menção de “sinais” que devem preceder a Segunda Vinda de Cristo. Jesus não disse que poderia vir a qualquer momento, antes profetizou uma série de eventos que se dariam antes daquele glorioso dia. Tais sinais não são suficientemente precisos para calcularmos o tempo da Sua vinda, que para nós permanece como incerta, requerendo que estejamos sempre alertas.

      Os textos mencionados por você numa tentativa de defender uma Segunda Vinda de Cristo iminente, nunca poderiam ter sido compreendidos pelos discípulos com esta intenção, pois quando foram escritos, certos eventos tinham, necessariamente, que ocorrer antes da Segunda Vinda de Cristo, por exemplo: A promessa do consolador (Jo 16.7, 13, 26); Evangelho deveria ser pregado a todo mundo (Mt 26.13; At 1.8; 9.15; 22.15; 26.2); Pedro seria morto conforme profetizado por Cristo (Jo 21.18); guerras viriam antes do fim (Lc 21.9); primeiro ocorreria a apostasia e o aparecimento do Anticristo (2 Ts 2.2,3). Paulo recebeu de Deus diversas orientações sobre o que lhe ocorreria no decurso de sua vida e ministério, inclusive sobre sua morte (At 9.15; 22.15; 26.2; 23.11; 27.24; 28.30; 2 Tm 4.5ss. Fica evidente, então, que a Igreja neo-testamentária não poderia ter esperado uma vinda de Cristo a qualquer momento. Se os textos usados pelos dispensacionalistas nunca poderiam ter significado de iminência para os leitores originais, também não têm este significado para nós, hoje.

      Suas questões se voltariam para os discípulos como Pedro e Paulo que receberam profecias a respeito de que seriam martirizados. Houve uma época em que eles bem sabiam que não veriam a Segunda Vinda de Cristo, por estarem cientes de que morreriam. Como poderiam eles vigiar e como puderam ensinar seus contemporâneos sobre a necessidade de vigilância? Paulo também exortou os tessaloniscences dizendo que eles não deveriam estar alarmados pensando que a Segunda Vinda já havia acontecido, pois antes disto haveria de acontecer a apostasia e a aparição do anticristo (2 Ts 2.1-3). Viu Gerson, como suas questões se voltam contra o próprio Cristo e seus apóstolos. Portanto, cuidado! Procure compreender melhor o significado do texto bíblico. Se não, corre o risco de chamar a Jesus e seus apóstolos de contraditórios.

      Excluir
  69. GENTE , A BIBLIA É TAO CLARO NO QUESITO DA GRANDE TRIBULAÇAO E ANTICRISTO. NAO SEI COMO ALGUNS IGNORANTES AFIRMAM QUE A IGREJA NAO PASSARA PELA GRANDE TRIBULAÇAO. VAI LER A BIBLIA, MAS ANTES PESSA O ESPIRITO SANTO PARA TE AJUDAR OK

    ResponderExcluir
  70. Aos que questionam se os Crentes teriam uma segunda chance após o arrebatamento. Respondo a pergunta com outras: Porque nao foi avisado aos judeus que Jesus viria em duas fases? - Porque duas fases de envio do Messias? - Na primeira foi rejeitado pelos tais e na segunda será restaurada a casa de Davi? Então Deus teve mais misericordia dos Judeus, do que tera com os crentes?
    Onde no velho testamento, fala de uma dupla vinda do Messias?
    Meus caros para o carater de justiça de Deus; seria de bom tom que os pesos e as medidas se equilibrassem, tanto para os gentios, como para os judeus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Souza, a este respeito, Jesus ensinou que não haverá oportunidade de salvação após a Segunda Vinda de Cristo. A Parábola das Dez Virgens, por exemplo, deixa isto muito claro. Deus manifesta sua misericórdia antes de manifestar o seu juízo. Em sua Primeira Vinda, Cristo não veio para julgar, mas para salvar. Já na sua segunda Vinda ele virá para julgar os vivos e os mortos. Em sua primeira vinda, Jesus abre uma porta para o céu. Ele é a porta aberta! Em sua segunda vinda, tal porta é fechada à semelhança do que aconteceu nos dias de Noé. Primeiramente a manifestação da graça através do aviso para Noé construir a Arca e pregar para o povo, depois, quando o juízo caiu em forma de dilúvio, o próprio Deus cerrou a porta da Arca. Isto nos serve como advertência. O Antigo Testamento fala de Cristo não apenas em termos do Rei de Israel, mas também o apresenta como "Servo Sofredor" (Is 53, Sl 22), como um Rei humilde (Zc 9.9). Na primeira vinda de Cristo, Jesus se apresenta como um Rei humilde, que entra em Jerusalém montado sobre um jumentinho, e que será rejeitado e morto por seu povo (Is 53). A Segunda Vinda cumpre as profecias que apresentam Jesus como Rei vitorioso e glorioso que cavalga sobre as nuvens (Sl 68.4). Daniel profetizou a Segunda Vinda gloriosa de Cristo sobre as nuvens do céus para estabelecer o seu Reino Eterno e não de apenas mil anos! “Em minha visão à noite, vi alguém semelhante a um filho de homem, vindo com as nuvens dos céus. Ele se aproximou do ancião e foi conduzido à sua presença. 14 Ele recebeu autoridade, glória e o reino; todos os povos, nações e homens de todas as línguas o adoraram. Seu domínio é um domínio eterno que não acabará, e seu reino jamais será destruído" (Dn 7.13-14). Portanto, temos no Antigo Testamento profecias que apontam para duas vindas distintas de Cristo, uma como Servo e Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo e outra como Rei poderoso que vem sobre as nuvens do céu para reinar eternamente.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Caro Ildo,
      Permita-me tomar a liberdade de dizer que [ Creio ] estas equivocado;
      Primeiro,Jesus nunca ensinou isso. Você apenas interpreta assim ...
      Segundo, se for para deixar claro, deixa de ser parabola (clareza e parábola são antagônicas)...E se queres vê uma parabola como algo claro. Então aproveite a oportunidade para contextualizar o fato das cinco virgens imprudentes voltarem com o azeite, isto é, Espírito Santo ( sentido do azeite nas escrituras). E para que Espírito Santo neste caso? – A menos que seja para capacitar alguém à perder a vida, literalmente degolada. Lembremos no entanto, nada é afirmado, que isto seja uma parábola.
      Obs. As cinco prudentes foram arrebatadas, em dias semelhantes aos de Noé e Ló (comiam e bebiam, casavam e se davam em casamento. Compravam e vendiam, plantavam e edificavam (Lc. 17. 26-28). Portanto, evento iminente e surpreendente. Ë de bom tom, observar o contexto, pois que, aqui no arrebatamento, uns são levados e outros deixados ( Lc. 17.34-36).
      Terceiro, que as misericórdia de Deus é manifesta antes do juízo é verdade, porém, é também verdade, que as misericórdias deste mesmo Deus TRIUNFA no referido juízo.
      Quarto, na segunda vinda, Jesus virá para salvação de Israel como nação. Para salvação dos não arrebatados e, isto ocorrerá logo depois da manifestação do homem da iniquidade, o anticristo (2a Ts. 2.2-8). Em meio a proibição de fazer quaisquer negocio, quaisquer comércio sem a plena permissão da marca da besta (Ap. 13.16-17). O que contraria Lc. 17.26-28. O Arrebatamento ninguem sabe precisar a hora, porém a volta quando nada o anticristo precisou perfeitamente, pois estava reunido com seus exercitos, prontos para fazer a guerra contra o Cristo, esperando o Cristo voltar, conforme Ap. 19.19
      Quinto, as portas do inferno ‘PREVALECERÃO” contra os santos, conforme Ap. 13. 7, o que não pode ser a IGREJA, pois as portas do inferno “NUNCA”e nunca em português significa: nunca. Portanto os santos vencidos neste contexto, são, os não arrebatados, a menos que rasguemos Mt. 16. 18 das escrituras. Felizmente, não há como. É que a Igreja foi arrebatada em 1a Ts. 4.13-17.
      Sexto, o estabelecimento do milênio, ocasião esta, que a justiça de Deus cumprirá seu proposito de salvar nações, que serão atraídas pelo testemunho de Cristo, manifestado pelo seu governo em Israel, que, salva como nação, terá o Rei-Messias governando no trono de Davi e todas as nações terão a mesma oportunidade de ser atraída ao Deus de Israel, cumprindo assim, o proposito de Deus de ter a nação israelense como sua testemunha para as nações, conforme Rm. Cap. 11; 12;13.
      Sétimo, Jesus Juiz, só por conta do pos-milenio, quando os impios enfretarão a ira de Deus e do seu Cristo.
      Espero sinceramente meu amado irmão, que medites nestas coisas e ouça, com sensibilidade do Espírito Santo, pois assim tento compreender o que escreves.
      Deus continue abençoando a te e aos teus co-blogueiros.

      Excluir
    4. As parábolas são muito ilustrativas. Um poderoso recurso pedagógico usado por Jesus para facilitar a compreensão dos discípulos. Os de fora é que acabavam não entendendo direito, não os de dentro do grupo de discípulos. Jesus esclarecia verdades profundas do mundo espiritual através de parábolas e socorria os discípulos quando eles demonstrava alguma dificuldade em compreender. O Intuito de Jesus sempre foi o de usar parábolas para esclarecer e para ensinar seus discípulos.
      O azeite servia como fonte de energia para a lâmpada pudesse estar acesa. O ensino é que após o arrebatamento, será tarde demais para recorrer ao Espírito Santo ou a graça de Cristo, tarde demais para se arrepender, tarde de mais para encontrar perdão e salvação. Este é o ensino claro! Buscai ao Senhor enquanto se pode achar!
      Sim, será como nos dias de Noé, as pessoas estarão tocando sua vida e as nações serão surpreendidas com a chegada do Dia do Senhor assim como ficaram com a chegada do dilúvio os dias de Noé. A gloriosa Vinda de Cristo promoverá o arrebatamento da Igreja e o juízo final. As nações clamaram pedindo que as rochas caiam sobre suas cabeças tal será a expectativa de condenação no juízo. A porta da Arca se fechou e a porta da salvação também se fechou para as virgens imprudentes, simbolizando que naquele dia será fechada a porta da graça e não haverá mais possibilidade de salvação. O que contraria todo o ensino pré-tribulacionista que diz que haverá salvação depois do arrebatamento.
      Seu quinto ponto: os santos em Apocalipse 13 são uma clara referência aos cristãos que serão martirizados e que são mencionados também em Ap 7.14. Eles estão sendo mortos fisicamente, mas triunfam espiritualmente. A Igreja triunfa no final! As portas do inferno jamais prevalecerão contra os santos. A Igreja será bem sucedida no cumprimento de sua missão de fazer discipulos de todas as nações. Apocalipse 6 e 7 mostra uma multidão incontável de cristãos nos céus procedentes de todos os povos, tribos e nações. As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja, pois Babilonia cairá! O diabo e seus seguidores serão condenados.

      Quanto ao milênio, minha resposta se encontra no estudo que escrevi e que pode ser lido no seguinte link: http://escatologiacrista.blogspot.com.br/p/o-milenio-apocaliptico.html

      Um abraço!
      Ildo

      Excluir
    5. Caro Ildo,
      Paz no Senhor Jesus e agradecimentos pela tua longanimidade em dialogar.
      Não questiono o poder da comunicação por parábola; até porque, não se questiona as ferramentas que Senhor Jesus usou. Isso no entanto, não anula o fato do antagonismo entre a clareza e as parábolas. O objetivo das subjetividades das parábolas, também foram explicados mais tarde; eram para que eles [israelenses], "ouvindo não entendessem" ... Fazia parte do plano ilusivo do SENHOR, O PODEROSO CRIADOR, em alcançar nós gentios. Os esclarecimentos quanto a palavra, ficaria a cargo do Espírito Santo. O que ocorreria com o surgimento da Igreja; então, ele [a seu tempo] lembraria de tudo que fora dito pelo Senhor.
      Nem sempre o Senhor usou parábola; seus ensinos mais fundamentais fora aplicados sem parábolas, haja visto 'SERMÃO DO MONTE', entre outros.
      Meu caro! - Há verdades nas entre linhas das tuas ponderações, porém, alguns equívocos, pois, apenas com a morte física o homem poderá ser sentenciado ao juízo; enquanto houver vida haverá a misericórdia do Senhor e só depois da morte pode seguir o juízo.
      Os que estão em Cristo, já foram julgados e não entra em condenação com o mundo, restando-nos [inclusive eu e você] o TRIBUNAL DE CRISTO, onde nossas obras manifestarão ás qualidades dos materiais (razões) que foram utilizados para pratica-las. Lembre-se que este julgamento não se dará na terra quando Cristo voltar, e, sim, "no encontro com o SENHOR JESUS, nas nuvens do céus, onde estaremos para sempre com ele" e de onde desceremos, como santos anjos, para ao seu lado governas a terra por mil anos. Neste momento haverá o julgamento da dupla satânica ( o anticristo e o falso profeta), a qual esperará por satanás, que amarrado por mil anos pelo Senhor, será solto no final do milênio; para após a manifestação da Ira de Deus, o basta final ser decretado, com julgamento de toda humanidade, exceto os que está em Cristo. Portanto, o Espírito Santo estará aqui, ate que o ultimo ser humano tenha seu destino finalizado.
      Uma Grande Tribulação, que ponha em cheque [possivelmente], menos da metade da raça humana, privilegiando uns [os que não passarem por ela] e expondo a outros [os que passarem] a maior risco de perder a vida eterna, com certeza, NÀO ESTA DE ACORDO COM O CARATER DO CRIADOR, pois, só ás suas misericórdias, podem achar alguns dignos de fugir de tudo isso e se achar diante de Cristo, obviamente pelo arrebatamento da Igreja.
      Por favor meu caro Ildo, se "as pessoas estão tocando a suas vidas", como nos dias de Noé e Ló, onde então, está a Grande Tribulação? - A menos que realmente antes desta, as pessoas estejam muito desligadas das questões Divinas, e sejam surpreendidas com o Arrebatamento pois, no período chamado Grande Tribulação, só a intervenção do Senhor Jesus, poderá parar com as hostes de Satanás. Lembre-se será controle total.

      Excluir
    6. O Grande dia Deus, se dará no final do milênio, com a aniquilação do diabo e seus anjos. Aqui, sim, a expectativa do juízo trará este terror que você se refere.
      Portanto, os TRIBULICIONISTAS, PRE-TRIBULICIONISTAS e tantos outros que estão em Cristo, vivem "uma leve e momentânea tribulação", a qual contraria as garras do anticristo, essa promessa vale à todas as gerações; o PODEROSO "vela pela sua palavra para cumpri-la".


      Quanto ao quinto ponto, saliento que a palavra espiritual é subjetiva neste contexto, pois a Igreja é humana, seu cabeça é um homem eterno, o maior dos seres humanos, suas tentações e vitórias passou pelo humano, veio para Israel como Rei e Servo, ambos humanos e de uma só vez, se apresentou com ambas características. Suas tentações foram no corpo humano. Todas as profecias tiveram seu cumprimento literal. Hoje, agora, amanhã e até a consumação dos séculos, as portas do inferno não podem prevalecer. A Igreja vive por meio de Jesus, o Cristo. Uma única derrota a ela, é a derrota de Cristo e por favor, não confundam ações localizadas em determinados países, que culminam em morte dos santos locais e/ou da igreja local, com a derrota na Noiva universal, pra um tal anticristo. Quem esta debaixo dos pés dos santos, não poderá derrota-los. Se os tais, citados em Ap. 13, são Igreja, eles foram vencidos, é o que esta escrito ... Eles podem até ser membro dela, o Senhor Jesus, o Cristo, já antecipou a revelação final da sua amada.
      Por fim, a vitória da Igreja, nada tem a vê com a queda da babilônia;
      ESTA VITORIA OCORREU A DOIS MIL ANOS NA CRUZ, E SERÁ COMEMORADA NAS NUPCIAS, LOGO APÓS O ARREBATAMENTO, se não nos conhecermos aqui, te verei lá.

      Abracos,

      Souza.

      Excluir
    7. Errata: onde se lê "plano ilusivo", leia-se plano inclusivo.
      (Postado em 15.06.2012, as 00.47hm)

      Excluir
    8. Caro irmão Souza, as parábolas não são um enigma para a Igreja, mas são belas ilustrações das verdades espirituais em termos do cotidiano visando a instrução dos discípulos. Quando se fez necessário, o próprio Jesus esclareceu o significado das parábolas para os discípulos. As parábolas escatológicas do Reino de Deus registradas, por exemplo, em Mateus 13, esclarecem muito a Natureza do Milênio ou do Reino terreno de Cristo na terra. O Reino e Deus é como um grão de mostarda que cresce paulatinamente e é também como uma plantação de trigo onde o inimigo também plantou o joio; e é também como um pescador que lançou sua rede ao mar e pescou todo tipo de peixes, bons e maus; e é como um semeador que saiu a semear e onde apenas uma quarto delas caíram em terra boa, etc... Todas apontam para um Reino de Deus que está em processo de desenvolvimento onde o mal também está presente. Um Reino que não se encaixa de maneira alguma no sistema pré-milenista. Mas concorda perfeitamente com a descrição de Paulo em 1 Coríntios 15.25 "é necessário que ele reine até que todos os seus inimigos sejam postos debaixo de seus pés e o último inimigo a ser destruído será a morte" e sabemos que a morte será destruída por ocasião da Segunda Vinda de Cristo, de modo que este reino referido por Paulo só pode se dar antes da Segunda Vinda de Cristo, no período da Igreja, que vai da primeira a Segunda Vinda de Jesus.
      O Dia do Senhor se dará no Dia da Segunda Vinda de Cristo quando ele virá sobre as nuvens dos Céus com Grande Poder e glória, neste dia haverá a ressurreição dos mortos, o arrebatamento da Igreja e o Juízo Final, conforme Jesus nos ensina em Mt 24 e 25.

      Excluir
    9. Caro irmão Souza, mesmo em um contexto de Grande Tribulação as pessoas estarão tocando a sua vida conforme Paulo nos ensina dizendo: "pois vocês mesmos sabem perfeitamente que o dia do Senhor virá como ladrão à noite. Quando disserem: “Paz e segurança”, a destruição virá sobre eles de repente, como as dores de parto à mulher grávida; e de modo nenhum escaparão" (1 Ts 5.2 e 3).
      Veja que este é mais um texto que confirma que o Dia do Senhor é o Dia da Segunda Vinda de Cristo que trará o juízo final. Despois da Segunda Vinda de Cristo não haverá mais escape! Os não salvos, "de modo nenhum escaparão" (1 Ts 5.3).

      Excluir
    10. Não meu caro, no contexto de Grande Tribulaçao ninguem poderá fazer nada livremente. Não se poderá comprar, vender, platar, colher, etc. Tudo será controlado, inclisive liberdade religiosa, pois ele se levantará contra tudo que se chama Deus ...
      São os momentos que precedem o ARREBATAMENTO que caracteriza-se pela plena trivialidades, as tribulações dos santos hoje, é chamada de "leve e momentanea ..." sendo assim, cada homem conduzem sua vida plenamente desligada e, envolvida com as coisas do cotidiano. Ai, serão surpreendidos se não vigiarem e estiverem apercebidos, 'o seu Senhor virá quando não esperam".
      Imagine Irmão Ildo! - Em meio a Grande Tribulação, alguém poderia lê a Escritura que chama sua tribulação de "leve e momentanea"? - Não seria no minimo esquisito?
      As vidas não seguiram normalmente. A Tribulação será mundial, ninguem será livre; não havera democracia ou qualquer outro tipo de regime politico. O anticristo matará uns (quem não aceitar seu nome/numero) e escravizará à outros. A Salvação será por mereciemnto (serão martirizados), pois como tu mesmo sabes: "A porta da graça se fechou".
      Oro meu amado, para que os Espírito da verdade, possa de fato nos conduzir a toda ela.
      QUE O PAI DAS LUZES nos abençoe.
      Souza

      Excluir
    11. Atente, por exemplo, para o fato de que é exatamente no contexto do derramamento das taças da ira de Deus que lemos: “Eis que venho como ladrão! Feliz aquele que permanece vigilante e conserva consigo as suas vestes, para que não ande nu e não seja vista a sua vergonha.” (Ap 16.15). Sinal de que a Igreja estará presente quando as taças forem derramadas como juízos preliminares contra a Besta e seus adoradores. E a Segunda Vinda de Cristo e o Arrebatamento ainda estão por vir.

      Um grande absurdo sua afirmação de que a "Salvação será por merecimento", pois ninguém pode ser salvo através das obras: "Portanto, ninguém será declarado justo diante dele baseando-se na obediência à Lei, pois é mediante a Lei que nos tornamos plenamente conscientes do pecado (Rm 3.20). Ninguém jamais merecerá a salvação (Rm 3.10). "Ninguém", nem mesmo os judeus: "visto que existe um só Deus, que pela fé justificará os circuncisos e os incircuncisos" (Rm 3.30). "Não por obras para que ninguém se glorie" (Ef 2.8-9). A salvação é e sempre será pela graça de Deus e pelos méritos de Cristo (Tt 3.5).

      E a heresia torna-se ainda maior quando se imagina salvação pelas obras após a Segunda Vinda de Cristo. O Dispensacionalismo é mesmo uma grande heresia!

      Excluir
  71. A PAZ QUERIDOS IRMÃOS E AMIGOS EU VENDO ESTE COMENTARIO RESOLVI TAMBEM AQUI DEIXAR NÃO MINHA OPINIÃO MAIS FALAR DIACORDO COM A PALAVRA DE DEUS.
    VI ALGUNS COMENTARIOS DE AMIGOS E IRMÃOS PREOCUPADOS COM ALGUMAS QUESTÕES TIPO, DEVEMOS ESTAR MAIS TRANGUILOS PORQUE JESUS SO VAI VIR QUANDO O ANTICRISTO FOR MANIFESTADO?
    AI ES A QUESTÃO:
    QUANDO JESUS SERTAVEZ FALOU PARA UM HOMEM LOUCO SI HOJE EU TIPEDIR A TUA ALMA QUE TENS PARA MIM DAR?
    A BIBLIA JA DIZ BEM AVENTURADOS OS QUE JA DORMEM EM CRISTO PÓS ESTÃO LIVRES DA CONDENAÇÃO.
    O FATO É PELA MORTE DO IMPIO O JUSTO PASSA TAMBEM, TODOS OS DIAS UM LOUCO COMO NOS PARTE DESTA VIDA PARA OUTRA DE MANEIRA SÚBITA OU POR MORTE NATURAL, OU ACIDENTES, E A PERGUNTA DE CRISTO É QUE TENS PARA MIM AGORÁ LOUCO?
    A BIBLIA DIA QUE APOS A MORTE SE AGUARDA O JUIZO.
    O FATO É NÃO TEM DE MENOS NEM TÃO POUCO DEMAIS. O FATO É TEMOS QUE ESTAR PREPARADOS OU PARAGRANDE TRIBULAÇÃO OU PARA HORA DE NOSSA MORTE QUE NÃO SABEMOS COMO PASSAREMOS DESTA VIDA PARA OUTRA.
    FATO É: CHAGARÁ O DIA EM QUE TODOS DE MANEIRA OU OUTRA DECIDIRAM A SEGUIR A CRISTO OU NÃO, O RICO FICARÁ COM SUA RIQUEZA OU SEGUIRÁ A CRISTO NEGANDO O ANTICRISTO, ESTARÁ VINDO DIAS SOBRE ATERRA COMO NUNCA OUVE EM TODA HISTORIA DO CRISTIANISMO, AS RELIGIÃOS QUE ESTÃO DENTRO DE SINAGOGAS PESEGUIRAM OS CRISTÃOS COMO JA TEMOS MUITOS PERSEGUIDOS, BASTA ALGUEM PREGAR ENTRE ELES O NOVO MANDAMENTO DE CRISTO O NOVO TESTAMENTO, SEM SALMOS E POEZIAS MAIS O PURO SOFRIMENTO O COMPARTILHAR DO PÃO O DIVIDIR COM OS POBRES, AI JA COMEÇA A PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA.
    O PROPIO CRISTO QUANDO PREGAVA NAS SINAGOGAS O NOVO MANDAMENTO DO PAI QUE IA DE ENCONTRO A LEI DE MOISES OS FARISEUS, ESCRIBAS E SARCERDOTES E REIS O PERSEGUIRAM, EO LEVARAM A CRUZ, ASSIM SERÁ COM NOS CRISTÃO. JESUS DIZ: QUANDO FOREM VOZ ESTAR PERANTES REIS, GONVERNADORES NÃO ESTAREIS PREOCUPADOS PORQUE O ESPIRITO SANTO COLOCARÁ PALAVRAS DE SABEDORIA EM VOSSA BOCA.
    ENTÃO AMADOS NÃO TEMOS PARA ONDE FUGIR TEMOS QUE ESTAR PREPARADOS DE UMA MANEIRA OU DE OUTRA, POIS QUEM ME GARANTE QUE A PÓS EU TERMINAR ESTE TEXTO ESTAREI VIVO?
    QUEM ME GARANTE MEU E TEU AMANHÃ CONVIDA AQUI NA TERRA?
    PROCUREMOS NÃO ESQUECER DAS PALAVRAS DE JESUS: LOUCO SE HOJE EU PEDIR A TUA ALMA QUE TENS PARA ME DAR?
    SERA QUE ESTAMOS LIVRES TOTALMENTE DE HOMENS MAUS?
    JESUS NOS DIAS QUE SOMOS OVELHAS EM MEIO A LOUBOS.
    PELA MORTE DO IMPUI O JUSTO PASSA É BIBLICO.
    JESUS DIZ NÃO TEMEI AQUEM PODE MATAR APENAS VOSSO CORPO, MAIS TEMEIS AQUELE QUE ALEM DE MATAR O VOSSO CORPO PODE CONDENAR AO INFERNO, JESUS SI REFERIA A DEUS O UNICO QUE PODE CONDENAR AO INFERNO,E QUE OS HOMENS SO CONSEGUEM MATAR O CORPO.
    UM FORTE ABRAÇO NOS VEREMOS POR AI AFORA COMO FUGITIVOS RSRS
    AMEM!

    ResponderExcluir
  72. AOS QUE ACREDITÃO EM SALVAÇÃO APOS A VOLTA DE CRISTO,:

    A BIBLIA DIZ QUE NOS SOMOS O SAL DA TERRA QUANDO SAL É RETIRADO PARA NADA SERVE O QUE ESTAVA SENDO CONSERVANDO O SAL A NÃO SER PARA SER LANÇADO NO FOGO!
    LANÇADO NO FOGO SABEMOS QUE SÃO OS IMPIOS.
    QUEM SÃO OS CRISTÃOS ALEM DE NOS?
    A BIBLIA DIZ QUE O ANTICRISTO PERSEGUIRÁ OS CRISTÃOS, SE OS CRISTÃOS SÃO TIRADOS DA TERRA AQUEM ELES VÃO PERSEGUIR, POIS A SALVAÇÃO É POR JESUS CRISTO NINGUEM VEM AO PAI A NÃO SER POR ELE, E A SALVAÇÃO DEIXO DE TER PRIVILEGIOS PARA UNS E OUTROS NÃO, AGORA TANTO PRECISA CRER NELE JUDEOS E GENTIOS QUE SOMOS NOS.
    POS TODOS ESTÃO DISTITUIDOS DA GLÓRIA DE DEUS.
    E PARA SER SALVO SO CRENDO EM SEU SACRIFICIO.
    ABRAÇO A TODOS ME CHAMO KLEBER LISBOA
    MEU EMAIL É LISBOA_GUITA@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Kleber Lisboa, concordo com sua opinião, pois não faz sentido imaginar o anticristo se manifestando quando o Corpo de Cristo já não mais estiver no mundo. E o Apocalipse descreve uma incontável multidão de cristãos martirizados no período da Grande Tribulação (Ap 7.14).
      Também concordo com seu comentário que ressalta que devemos estar vigilantes não apenas porque não sabemos a hora da Vinda de Cristo, mas também por não sabermos a hora de nossa morte. Vigiemos sempre!

      Excluir
    2. Caro Lisboa,
      Pense! - O Senhor Jesus desceu as partes mais baixa da terra e pregou ao que; cativos pela morte estavam. So ele tem o poder de chamar um morto e este ouvilo, Lazaro quem o diga, assim como os muitos ressuretos na sua ressureição. Enquanto houver folego de vida, O PODERO CRIADOR não desistirá do homem e só com o juízo Final e não a volta de Jesus, o Cristo a esperança se encerrará. Com um linda observação: AS MISERICÓRDIAS DO SENHOR "TRIUNFARÁ NO JUÍZO.

      Abraços

      Souza

      Excluir
    3. Caro irmão Souza, você não acha arriscado, baseado em um texto tão difícil de ser compreendido, concluir que haverá possibilidade de salvação após a morte e até mesmo após a Segunda Vinda de Cristo sendo que existem tantos textos claros que ensinam exatamente o contrário?

      Excluir
    4. Caro Irmão ildo,
      Paz e graca no amado Jesus ...

      Permita-me a liberdade: Não há texto dificil, a escatologia bíblica é revelada, pois "quem tem ouvido para ouvir ouça". NÃO CREIO EM SALVAÇÃO APóS A MORTE. Após a morte, diz as escrituras: "... segue o juízo ... " .

      O que escrevi[QUIS DIZER] é que: O JUÍZO FINAL, TAMBÉM CHAMADO DE GRANDE TRONO BRANCO encerra a historia do homem adamico;dos pecados no universo, aniquilando-o.
      Portanto, o Arrebatamento da Igreja, definição dos bem-aventurados da 1a ressureiçao)e posterior reunião com ele (sua volta a terra, com envio de anjos aos quatro cantos da mesma, nao pode se confundir, com um toque de trombeta, por uma voz de arcanjo nas nuvens, que é definiçao de 'Arrebatamento" . A 2a volta do Senhor Encarnado e em Humanidade (veio em carne e virá nela glorificado), define os destinos dos que nao foram arrebatados (ficaram), assim como a salvacao de Israel como Nacao, e oportunidade para outras nacoes.
      No mais meu carississimo irmão em Cristo, o que escrevi condiz exatamente com o que a biblia quis dizer, e nós sabemos que ela queria dizer o que de fato disse. O resto, claro ou não, são interpretações.
      Sendo assim, reitero, só o juízo final, e não o arrebatamento ou volta do Senhor poderá encerrar a historia da humanidade.

      Souza

      Excluir
    5. Caro irmão Souza, bom saber que você não defende a idéia de que os mortos podem ter uma segunda chance de salvação após a morte. Mas ainda me preocupa ver que você defende a idéia de que haverá esperança de salvação após a Segunda Vinda de Cristo, pois isto está em franco desacordo com os ensinos de Jesus Cristo que diz que o Juízo Final se seguirá a sua Segunda Vinda, onde acontecerá a separação do joio e do trigo, dos bodes das ovelhas. A Porta se fechará para as virgens néscias. Na Segunda Vinda de Cristo, as nações se lamentaram e os homens buscarão a morte e não a acharam, pedirão até para que as pedras caiam sobre suas cabeças, tal será a expectativa deles de que chegou a juízo final. Portanto, a expectativa das nações é de juízo final e não de um desfrute de um milênio.
      No Dia da Segunda Vinda de Cristo, os povos e nações adoradores da Besta serão condenados e jamais terão parte no Reino de Deus. Depois do Arrebatamento da Igreja que acontecerá no Dia do Senhor (2 Ts 2.1-3) não haverá mais nenhuma oportunidade de salvação. Pedro também ensinou que o juízo dar-se-á imediatamente após a Segunda Vinda de Jesus:
      "O dia do Senhor, porém, virá como ladrão. Os céus desaparecerão com um grande estrondo, os elementos serão desfeitos pelo calor, e a terra, e tudo o que nela há, será desnudada.
      Visto que tudo será assim desfeito, que tipo de pessoas é necessário que vocês sejam? Vivam de maneira santa e piedosa, esperando o dia de Deus e apressando a sua vinda. Naquele dia os céus serão desfeitos pelo fogo, e os elementos se derreterão pelo calor" (2 Pe 3.10-12).

      Excluir
    6. Meu amado Irmão Ildo,
      Eu não defendo nenhuma idéia, nem aferro-me a elas, creio apenas, no que a Bíblia diz; ou quando nada, no que o Espírito Santo me trás revelação.
      A Bíblia diz que após a morte sucede o juízo, é nisto que creio.
      Diz que ao ressoar a trombeta, com voz de arcanjo (singular), o Senhor Jesus virá nas nuvens e arrebatará sua noiva [aguardo].
      Diz que Israel será restaurada e salva como nação, quando clamar ao seu CRIADOR (O TODO PODEROSO cumpri suas promessas).
      Diz que o CRIADOR ouvirá a Israel e que a partir dai, então se vera o sinal do filho do homem vindo sob as nuvens do céus com poder e muita gloria;
      Diz que o Senhor Jesus Cristo pisará em terra e, enviara os anjos (no plural) ao 4 cantos da terra. Neste momento o anticristo e seus exercitos estarão esperando-o, na planicie de mergido, para enfrenta-lo. Logico serão derrotados!!!.
      Diz que por ocasião da sua 2a VOLTA, havera muitas festas de jubilo, envio da dupla satanica para o inferno, onde agardarão satanas que depois de preso por mil anos, será solto, derrotado pessoalmente e enviado para junto dos seus companheiros.
      Diz que se estabelecerá o periodo milenial, onde juntamente com sua agora esposa, governará no Trono de Davi.
      Diz que no fim do milenio, após derrota de satanas e seu seguidores (o Dia da Ira de Deus), sera estabelecido o GRANDE TRONO BRANCO.
      Observe meu caro, não é por conta da volta do Senhor que se estabelece todos os julgamento, pois aqui ocorre o estabelecimento do melenio e após o milenio, não antes, todos serão julgados.
      MARANATHA!!!

      Abracos

      Excluir
  73. A Igreja passará pela Grande Tribulação? NÃO!
    Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.
    Mateus 24:42

    Hoje temos um exército de ministros nos púlpitos (pregadores da "paz")
    a dizerem: Relaxem! Está tudo bem com vc e comigo! Relaxem...
    Jesus não vai voltar agora, pq ainda há de se cumprir tal evento!
    E assim enganam a muitos!

    Mas não se engane!
    Disse Jesus:
    O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.
    Mateus 24:35
    Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai.
    Mateus 24:36

    Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem.
    Mateus 24:27

    Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.
    Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.
    Romanos 5:8-9
    A Paz...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Sidinei, recomendo muito cuidado, pois sua acusação se volta contra Jesus e Paulo que claramente ensinaram que determinados sinais deveriam necessariamente acontecer antes da Segunda Vinda de Cristo (Ex: Mt 24, 2 Ts 2.1-3).
      Os textos mencionados por você numa tentativa de defender uma Segunda Vinda de Cristo iminente, nunca poderiam ter sido compreendidos pelos discípulos com esta intenção, pois quando foram escritos, certos eventos tinham, necessariamente, que ocorrer antes da Segunda Vinda de Cristo, por exemplo: A promessa do consolador (Jo 16.7, 13, 26); Evangelho deveria ser pregado a todo mundo (Mt 26.13; At 1.8; 9.15; 22.15; 26.2); Pedro seria morto conforme profetizado por Cristo (Jo 21.18); guerras viriam antes do fim (Lc 21.9); primeiro ocorreria a apostasia e o aparecimento do Anticristo (2 Ts 2.2,3). Paulo recebeu de Deus diversas orientações sobre o que lhe ocorreria no decurso de sua vida e ministério, inclusive sobre sua morte (At 9.15; 22.15; 26.2; 23.11; 27.24; 28.30; 2 Tm 4.5ss. Fica evidente, então, que a Igreja neo-testamentária não poderia ter esperado uma vinda de Cristo a qualquer momento. Se os textos usados pelos dispensacionalistas nunca poderiam ter significado de iminência para os leitores originais, também não têm este significado para nós, hoje.
      Cristo no Sermão das últimas coisas nos ensinou que sinais deveriam preceder sua Segunda Vinda. Sinais depõem contra a idéia de “iminência”. Os sinais não têm a intenção de nos conceder condições para precisar o dia da Segunda Vinda, Jesus denuncia a fascinação por cálculos (Mt 24.33-36); os sinais mencionados por Cristo são inespecíficos para este fim, antes, o propósito é preparar o povo de Deus com a compreensão das pressões que terá de suportar. O propósito de Jesus é encorajar, não a especulação, mas a vigilância - fortalecer a fé e advertir os discípulos do que será a sua sorte como seguidores dela. Se os cristãos atentarem para as palavras de Cristo, como disse Travis, “conhecerão que a situação não está fora do controle de Deus, e que eles podem ‘perseverar até o fim e serem salvos’ (Mc 13.13) e que além dessas tribulações está o retorno triunfante do Filho do Homem (Mc 13.24-27)”.1 Por não sabermos quando se dará Sua Segunda Vinda, é necessária a vigilância (Mt 24.42-25.13). Alguns textos sugerem um tempo relativamente longo entre a ascensão e a Segunda Vinda de Cristo (Rm 9; 11; Mt 24.45-51; 2 Pe 3). O livro de Atos é um livro de história da Igreja e ninguém escreve história convencido de que o mundo está para acabar.
      Os textos que falam sobre uma “vinda súbita” e o dos “sinais”, e mesmo aqueles que apontam para uma “demora”, não são contraditórios, mas complementares. Em 1 Tessalonicenses 5, temos uma referência à “vinda súbita”, já em 2 Tessalonicenses 2, temos a menção de “sinais” que devem preceder a Segunda Vinda de Cristo. Jesus não disse que poderia vir a qualquer momento, antes profetizou uma série de eventos que se dariam antes daquele glorioso dia. Tais sinais não são suficientemente precisos para calcularmos o tempo da Sua vinda, que para nós permanece como incerta, requerendo que estejamos sempre alertas.

      Excluir
  74. A proposito, interpretando 1 Tess 4.13-18, tenho que dizer que os sonidos divinos são acontecimentos espirituais tanto que fala primeiros sobre os mortos em Cristo e depois dos vivos que serão transformados nos dando uma clara explicação que tal evento se dará num plano sobrenatural espiritual, onde só aqueles que realmente estiverem vivendo uma vida santificada participaram de tal evento...
    A Paz...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sidinei, os sonidos de1 Ts 4 são tão verdadeiros e físicos quanto a ressurreição dos mortos! Neste texto, Paulo está claramente se referindo a Segunda Vinda de Cristo quando Ele descerá dos céus, como se lê nos versículos de 15 a 17: "Dizemos a vocês, pela palavra do Senhor, que nós, os que estivermos vivos, os que ficarmos até a vinda do Senhor, certamente não precederemos os que dormem. 16 Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. 17 Depois nós, os que estivermos vivos seremos arrebatados com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre". Jesus ensinou que sua Segunda Vinda não seria em nada secreta, como lemos em Mt 24.30-31: “Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as nações da terra se lamentarão e verão o Filho do homem vindo nas nuvens do céu com poder e grande glória. 31 E ele enviará os seus anjos com grande som de trombeta, e estes reunirão os seus eleitos dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus". Repare que tanto Paulo como Jesus descrevem a Segunda Vinda como uma descida visível de Cristo sobre as nuvens do céus e ambos também mencionam o soar da última trombeta e o arrebatamento da igreja. E João registra o mesmo em Apocalipse1:7: "Eis que ele vem com as nuvens, e todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram; e todos os povos da terra se lamentarão por causa dele. Assim será! Amém." Jesus virá com som retumbante e também como um visível relâmpago que se "mostra" e não se pode esconder, Mt 24:27: "Porque assim como o relâmpago sai do Oriente e se mostra no Ocidente, assim será a vinda do Filho do homem". Falar da Segunda Vinda de Cristo em termos espiritualizados é que é uma grande heresia similar aquela dos Adventistas para explicar o não cumprimento literal da profecia de William Miller que profetizara o retorno de Cristo para 22 de Outubro de 1844. Jesus disse que não deveríamos crer naqueles que ensinam que Cristo vem na surdina (Mt 24.26). Pois sua vinda será visível e portentosa! "Voltará da mesma forma como o viram subir” (At 1.11). Em 2 Ts 1:7, Paulo diz que a Segunda Vinda de Cristo será visível com chamas flamejantes: "...Isso acontecerá quando o Senhor Jesus for revelado lá dos céus, com os seus anjos poderosos, em meio a chamas flamejantes". Não há motivo algum para dúvida. Os textos são abundantes e claros sobre que a Segunda Vinda de Cristo será visível e gloriosa! Assim será o Arrebatamento no Dia glorioso da Segunda Vinda: “Então se verá o Filho do homem vindo nas nuvens com grande poder e glória. E ele enviará os seus anjos e reunirá os seus eleitos dos quatro ventos, dos confins da terra até os confins do céu" (Mc 13.26-27). Espero ajudá-lo a compreender melhor esta importante questão. Um abraço! Ildo

      Excluir
  75. Caro Kleber Lisboa, concordo com sua opinião, pois não faz sentido imaginar o anticristo se manifestando quando o Corpo de Cristo já não mais estiver no mundo. E o Apocalipse descreve uma incontável multidão de cristãos martirizados no período da Grande Tribulação (Ap 7.14).
    Também concordo com seu comentário que ressalta que devemos estar vigilantes não apenas porque não sabemos a hora da Vinda de Cristo, mas também por não sabermos a hora de nossa morte. Vigiemos sempre!

    ResponderExcluir
  76. Escatologia é um tema realmente polêmico como foi mostrado aqui nos debates . Verdade é que todos encontrarão embasamento bíblico para suas crenças . Toda heresia vem de algum versículo interpretado fora do contexto . Acredito que a igreja não passará pela grande tribulação , mas não me preocupo se vamos passar ou não . O mais importante na vida do cristão é estar realmente preparado , vivendo em Cristo , guiado e dirigido pelo Espirito Santo de Deus . Afinal se estivermos aqui durante este período que estejamos com Cristo , se estivermos nos céus estaremos com Cristo , entao o mais importante é o caminhar , o testemunhar de Cristo , o resto são especulações . Mas, claro que se qualquer um de nós seguirmos o exemplo de Daniel , e se atormentados pelo desejo de compreender estes eventos , dobrarmos nossos joelhos em oraçao e jejum , assim como Deus enviou a compreensao a eles , enviará a qualquer um de nós . Fica o conselho , se você tem dúvidas , se necessita de maior compreensao sobre este assunto pergunte direto ao mestre dos mestres : Jesus , afinal o véu ja se rasgou e de uma coisa ninguem aqui é contrario que temos livre entrada ao trono da graça de Deus , e enquanto ainda temos esta liberdade vamos aproveitar ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo que devemos buscar respostas nos ensinos de Cristo, que claramente ensinou que seus discípulos passariam pela Grande Tribulação e que, "logo após a tribulação daqueles dias" (Mt 24.29), se dará a Sua Segunda Vinda será um evento visível como um relâmpago que "se mostra" e que não se pode ocultar ou acontecer de modo secreto (Mt 24.27) e abalará céus e terra (Mt 24.30) e que o arrebatamento acontecerá neste mesmo dia (Mt 24.31). Com a Segunda Vinda de Cristo vem o Juízo Final ( Mt 25). E que a expressão "virá como ladrão" não significa que Jesus virá de modo invisível, mas, sim, que virá de modo inesperado conforme Paulo também ensina em 1 Ts 5.2-4: "pois vocês mesmos sabem perfeitamente que o dia do Senhor virá como ladrão à noite. Quando disserem: “Paz e segurança”, a destruição virá sobre eles de repente, como as dores de parto à mulher grávida; e de modo nenhum escaparão.
      Mas vocês, irmãos, não estão nas trevas, para que esse dia os surpreenda como ladrão."
      Em nenhum lugar na Bíblia se diz que o arrebatamento é um evento secreto, invisível, distinto da Segunda Vinda de Cristo, separado por 7 anos de Grande Tribulação. Em nenhum lugar na Bíblia, lemos que o arrebatamento acontecerá antes da Grande Tribulação. Nenhum texto bíblica ensina que a Igreja não passará pela grande tribulação. Muito pelo contrário! São inúmeras as passagens bíblicas que afirmam que a Igreja passará pela grande tribulação e que o Arrebatamento acontecerá exatamente no Glorioso Dia do Senhor em que Jesus virá sobre as nuvens dos céus com grande poder e glória para julgar os vivos e os mortos.

      Excluir
  77. Caro Pastor Jesus jamais afirmou que haveriam sinais para o arrebatamento da Igreja, vide Mat 24. 36 Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai.
    E muito menos Paulo fala sobre algum sinal para a Igreja ser arrebatada, vide 1 Cor 15. 51-52 Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos mas todos seremos transformados,
    NUM MOMENTO NUM ABRIR E FECHAR DE OLHOS, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados.
    Paulo afirma que tal acontecimento será repentino a qualquer momento, quer dizer IMINENTE!
    Então percebe-se que não podem haver sinais, pois assim perderia o sentido de IMINÊNCIA.
    Os SINAIS, são sinais dos tempos e épocas dirigidos aos Judeus e lembrado aos irmãos em Cristo como Paulo afirma em 1Ts 5. 1-5.
    A Grande Tribulação será a ira de Deus derramada sobre a terra e seus habitantes, neste tempo de tribulação Cristo estará a desposar sua Noiva, a saber a Igreja em lugar seguro, nas bodas do Cordeiro de Deus.

    A Paz...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Sidinei,
      Jesus ensinou que o arrebatamento acontecerá por ocasião da gloriosa aparição do Senhor sobre as nuvens dos céus (Mt 24.30). Observe que o arrebatamento é descrito no versículo subseqüente, nos seguintes termos: "E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus" (Mateus 24:31). Os dois eventos estão acontecendo simuntaneamente e como Jesus deixa bem claro em todo o seu discurso, tanto a Segunda Vinda de Cristo como também a nossa reunião com ele que se dará através do arrebatamento somente acontecerão após todos aqueles sinais elencados por Jesus, sendo que o vérsículo 29 diz com todas as letras que será "logo após a Tribulação daqueles dias". Dias estes de grande tribulação que Jesus acabara de descrever. Tudo está numa sequencia lógica. Inclusive o versículo 36 mencionado por você e que diz respeito ao arrebatamento também está situado após todos aqueles sinais, introduzindo uma nova série de advertências aos discípulos para que eles estejam sempre alertas e preparados para a Vinda do Senhor.
      Em 2 Ts 2.1-3, Paulo também está ensinando o mesmo que Jesus, a saber, que A Segunda Vinda de Cristo e a Nossa Reunião com Ele são um evento único que acontecem simultaneamente, e que não acontecerão sem que primeiro aconteça a Apostasia e se manifeste o Filho da Perdição.

      Nossa reunião com Jesus que se dá através do arrebatamento será precedida por dois sinais apostasia e manifestação do anticristo.

      A respeito da Segunda Vinda de Cristo, os cristãos tessalonicenses só poderiam estar aguardando o arrebatamento, pois sabiam bem que quando regresar, os mortos ressuscitarão e os crentes vivos serão transformados e arrebatados.

      Portanto o arrebatamento não poderia ter sido iminente do ponto de vista de Paulo. Lembrando que foi ele mesmo quem escreveu 1 Ts 4! Ele não pode estar ensinando coisas contraditórias! Paulo era um homem muito coerente! Espero tê-lo ajudado a entender melhor este importante tema de Nossa Bendita Esperança. Um grande abraço!

      Excluir
  78. Presb. Mauro Lopes
    A Paz do Senhor Jesus, meus amados não devemos nos preocupar ser Cristo vem antes da tribulação, no meio ou no final e nem tão pouco se haverá segunda oportunidade, devemos sim nos santificar a cada dia e ter a certeza da nossa Salvação. E não esquecer do ide e pregar o Evangelho a toda criatura, essa e nossa missão na terra, e resgatar Almas para Cristo como também um dia fomos resgatado.
    Ficam na Paz do Senhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Presb. Mauro Lopes, concordo com você em que o que mais importa é estarmos santificados e firmes na fé, jamais esquecendo de nossa missão de pregar o Evangelho como testemunho a todas as nações. Mas também devemos dar a devida atenção aos preciosos ensinos bíblicos a respeito da Segunda Vinda de Cristo e do Reino de Deus. Quanto melhor compreendermos nossa missão, mais estaremos atinados com os eventos derradeiros. Pois nossa missão tem tudo a ver com a Segunda Vinda de Cristo. Um dos sinais mais importantes é que se faz necessário que este Evangelho do Reino seja pregado como testemunho a todas as nações, pois só então virá o fim (Mt 24.14). Devemos atentar para os sinais e para todas as advertências feitas por Cristo em Mateus 24, Marcos 13 e Lucas 21. Devemos estar confiantes na providência divina. O Senhor certamente estará conosco até a consumação dos séculos! Um grande abraço!

      Excluir
  79. nao tem como provar na biblia, que 1 semana sao 7 anos, tudo suposicoes, interpretacoes de doutores, ninguem sabe o dia e nem a hora. O arrebatamento sera depois da rressurreicao,dos mortos que sera ao soar da ultima trombeta. no apocalipse sao 7 trombetas; entao a ultima trombeta nao pode ser antes da grande tribulacao.pra quem nao fugiu da escola e so contar as trombetas; a ultima nao pode ser tocada primeiro. afff. sou assembleiano, fui ensinado a vida inteira errado; mas no dia que resolvi estudar por conta propria descobri que fui enganado pelos doutoures. nao existe essa vinda invisivel na biblia, encontrei, suposicoes e interpretacoes.

    ResponderExcluir
  80. Olá Samu,

    De igual modo, eu cresci aprendendo que o arrebatamento seria secreto e que a igreja não passaria pela Grande Tribulação. E foi só através do estudo puramente bíblico que eu pude perceber que não há base alguma para o pré-tribulacionismo. Se não há base bíblica para o pré-tribulacionismo, há uma abundância de textos bíblicos que ensinam exatamente o contrário, ficando patente que a Igreja passa pela Grande Tribulação e que a Segunda Vinda de Cristo e o conseqüente arrebatamento da Igreja será um evento portentoso e visível que dará após a Grande Tribulação. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  81. Prezados,
    Qualquer pessoa que vai as Escritura sem passar por um doutrinamento que fala de arrebatamento secreto não consegue achar essa doutrina absurda nas Escrituras.
    Um homem no século XIX sonhou que no cap 4,2 de Apoc a igreja foi arrebatada. Que bela hermenêutica! Já pensou lançar mão desse alegorismo em outros Textos? a Bíblia ficaria insuportável de se interpretada.
    a igreja nunca ensinou esse espírito de covardia, o que dizer dos santos mártires dos primeiro séculos do Cristianismo? Deus não os arrebatou, mas antes glorificou o seu nome no sangue derramado dos santos que está até hoje enchendo a taça da ira de YHWH e serve de semente para o crescimento da igreja.
    Não Há um único texto Bíblico que fala de um arrebatamento seguido de sete anos de tribulação. Essa doutrina é toda costurada, pegue um texto aqui, outro ali e vai fazendo um malabarismo teológico até força o texto a falar o que se deseja. Pede alguém par ler sem essas lentes que vc não conseguirá encontra base para aquilo que as igrejas pregam hoje sobre o tal de arrebatamento secreto. O negócio será tão secreto que ninguém irá ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Nilson. A prova disto é que não há nenhum registro de pré-tribulacionismo em toda história da Igreja até quase meados do século XIX quando tal conceito surgiu através de uma profecia e não através de estudo bíblico. Porque o ensino natural e claro das Escrituras é que a Segunda Vinda de Cristo é um evento visível em que se dá a ressurreição dos mortos e o arrebatamento da igreja, tudo acontecendo após a Grande Tribulação.

      Grato,
      Ildo

      Excluir
    2. Perdoe-me a sinceridade, porem, esse argumento é muito fragil; basta recordar que nao foi só o arrebatamento da Igreja que ficou adormecido por alguns seculos; foram tambem: Salvaçãoo pela Fé, Dons do Espritio Santo; batismo por asperção e muitos outras verdades que, após a reforma luterana ganharam restauraçao na vida da Igreja. E é verdade tambem que o termo aramaico "MARANATHA"que significa: ... VEM SENHOR NOSSO ... , expressão que só faz sentido seu uso, se houver expectativa iminente. Essa termo também deixou de ser usado e era frequentemente utilizado pela Igreja Primitiva.
      Abracos
      Souza

      Excluir
    3. Caro Souza, não se trata de "alguns séculos", mas de 18 séculos sem sequer um único vestígio de pré-tribulacionismo. Já o mesmo não se pode dizer dos temas por você mencionados, pois encontramos vasta literatura sobre eles na história da Igreja, inclusive e principalmente na igreja primitiva. Não entendi porque foi que você mencionou o batismo por aspersão, pois esta sempre foi uma pratica constante em toda a história da igreja até os dias de hoje.
      Já o termo "maranata" não implica em iminência, mas sim no anseio da Igreja que almeja que o retorno glorioso de Cristo sobre as nuvens dos céus se dê o mais rápido possível.

      Excluir
  82. A minha contribuição:

    O que fez, historicamente falando , Cristo ser condenado pelos judeus? Foi uma escatologia errada dos religiosos sobre o Messias. Pensavam a vinda de Cristo de uma maneira e não aceitaram a forma como ele veio.
    Agora pense comigo: Como será que muitos serão enganados hoje. A Bíblia afirma que: "se possível fosse enganaria até os escolhido" Certamente para a igreja ser enganada (menos os escolhidos) ela terá que estar aqui, mas como ?
    Eu penso que a teologia equivocada do arrebatamento prestará um grande favor. O anti-Cristo está entre nós, mas mts não acreditarão que será ele, pois estarão esperando um arrebatamento que não vai acontecer, ou melhor, somente quando Cristo voltar triunfante.

    Cresci aprendendo esse teologia (não Bíblica) sobre arrebatamento secreto, até que, lendo as Escritura, a verdade me libertou dessa visão covarde da igreja moderna.
    Contudo, pensar diferente sobre esse assunto não serve de motivo para não termos comunhão.
    Mas com toda sinceridade, todos que acreditam no arrebatamento secreto deveria fazer um estudo sobre a origem dessa doutrina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nilson,

      Sim, penso que a idéia escapista de uma arrebatamento secreto que removerá a Igreja da Terra antes da Grande Tribulação será um prato cheio para o anticristo promover engano e confusão.
      Além disto, crentes que aguardam um arrebatamento como escape da Grande Tribulação poderão ficar chocados e até se escandalizarem diante da perseguição do anticristo.
      Certamente, um estudo da história do pré-tribulacionismo pode contribuir para abrir os olhos de muitos.

      Um grande abraço,
      Ildo

      Excluir
  83. Prezado IIDO MELLO A PAZ O SENHOR !

    CONCORDO COM VOCÊ QUANDO DIZ QUE O ARREBATAMENTO SERÁ DEPOIS DA GRANDE TRIBULAÇÃO, POIS A PRIMEIRA RESSUREIÇÃO-ARREBATAMENTO ACONTECE EM ARMONIA COM A VOLTA DE JESUS NA BATALHA DO ARMAGEDDON.

    SÓ ME EXPLIQUE O VERSC. DE TESSALONISSENSES: SOMENTE HÁ UM QUE RESISTE ATÉ QUE DO MEIO SEJA TIRADO.

    OS PRÉ TRIBULACIONISTAS DIZEM QUE SE REFERE AO ESPÍRITO SANTO QUE SERÁ TIRADO.

    NA MINHA OPINIÃO SIGNIFICA QUE OS SERVOS DE DEUS/IGREJA SANTA SERÃO EXPULSOS DO TEMPLO PELO ÚLTIMO GOVERNO CORRUPTO DO MUNDO.

    POR FAVOR ME EXPLIQUE O VERSC.

    ABRAÇO !

    DIEGO SANCHEZ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Diego,

      É difícil precisar, pois o Apóstolo não foi explicito, mas certamente não se trata da remoção do Espírito Santo, pois que é onipresente e nem da igreja através do arrebatamento, pois neste mesmo capítulo Paulo deixou claro que o arrebatamento não acontecerá sem que primeiramente seja manifestado o anticristo. Lembrando que tal exortação do Apóstolo Paulo se fez necessária devido os tessaloniscences terem dado ouvidos a heresia de que o arrebatamento já havia acontecido, o que Paulo disse ser impossível pois o arrebatamento só acontecerá depois do surgimento do anticristo.

      O mais provavel é que "este que o detém" seja uma referência a respeito aos desígnios de Deus que espera que a Igreja seja bem sucedida em sua missão proclamadora do Evangelho. "É necessário que primeiro este Evangelho do Reino seja pregado para testemunho a todas as nações, só, então, virá o fim" (Mt 24.14). Isto é o que Paulo chama de a plenitude dos gentios: "Irmãos, não quero que ignorem este mistério, para que não se tornem presunçosos: Israel experimentou um endurecimento em parte, até que chegue a plenitude dos gentios" (Rm 11.25).

      Assim, como Cristo só veio no tempo determinado por Deus, assim também o anticristo só virá quando Deus assim o permitir. Deus controla a história! Conforme lemos:

      Gl 4.4 "Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da Lei".

      Paulo fala de Deus restringindo o mal e também entregando os homens as suas próprias concupiscências em Romanos 1.28, lemos: "Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam."

      Espero ter ajudado com tais explicações.

      Um grande abraço,
      Ildo

      Excluir
  84. Prezado IIDO MELLO A PAZ O SENHOR !

    POR FAVOR ME ESCLAREÇA SE A IGREJA VAI SOFRER AS SETE TAÇAS DE DEUS, OU VÃO SER POUPADOS POR FAVOR DÊ REFERENCIAS DIRETAS NA BÍBLIA.

    OBRIGADO !

    ABRAÇO

    DIEGO SANCHEZ

    ResponderExcluir
  85. Olá Diego, as taças da ira de Deus são derramadas sobre a Besta e seus seguidores, assim como as pragas tinham como o alvo Faraó e os egípcios. Assim como Deus foi capaz de proteger os hebreus das pragas que caíram sobre o Egito sem arrebatá-los de lá, assim também protegerá a Igreja. Assim como o povo hebreu padeceu sob o governo de faraó, a Igreja padecerá sobre o governo da Besta. A igreja sofre a perseguição da Besta, mas não é objeto da Ira de Deus.
    Ap 16.2 "O primeiro anjo foi e derramou a sua taça pela terra, e abriram- se feridas malignas e dolorosas naqueles que tinham a marca da besta e adoravam a sua imagem."
    Ap 16.10-12: "O quinto anjo derramou a sua taça sobre o trono da besta, cujo reino ficou em trevas. De tanta agonia, os homens mordiam a própria língua, e blasfemavam contra o Deus dos céus, por causa das suas dores e das suas feridas; contudo, recusaram arrepender- se das obras que haviam praticado."

    Repare que neste mesmo contexto do derramamento das taças da ira de Deus é que lemos: “Eis que venho como ladrão! Feliz aquele que permanece vigilante e conserva consigo as suas vestes, para que não ande nu e não seja vista a sua vergonha.” (Ap 16.15). Sinal de que a Igreja estará presente quando as taças forem derramadas como juízos preliminares contra a Besta e seus adoradores. E a Segunda Vinda de Cristo e o Arrebatamento ainda estão por vir.

    Deus o abençoe muito.
    Bispo Ildo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas respostas e foram muito proveitosas !
      Abraço

      Diego Sanchez

      Excluir
  86. Os santos da Igreja ou a mesma? - Cuidado com o que tu vais fazer das escrituras, para não crer ,não só que a Igreja será derrotada pelo anticristo, como sugerir derrota, à própria palavra do CRIADOR, com afimações equivocadas.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Souza, eu não faço malabarismo teológico como o fazem os pré-tribulacionistas. A igreja jamais será derrotada pela Besta ou Anticristo, mas muitos cristão serão martirizados no período da Grande Tribulação (Ap 7.14, Ap 13 e Mt 24).

      Excluir
    2. Outra coisa, Souza, não está de acordo com o espírito do Evangelho encarar o martírio como derrota, pois foi exatamente através do martírio que Jesus venceu Santaná: "e, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre eles na cruz" (Col 2.15, ver também Jo 12.32; 19.30; At 2.23 e 24). "Que diremos, pois, diante dessas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que não poupou seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos dará juntamente com ele, e de graça, todas as coisas? Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada. Como está escrito: “Por amor de ti enfrentamos a morte todos os dias; somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro. Mas em todas estas coisas, somos mais do que vencedores" (Rm 8.31-37).
      Para os cristãos, como Paulo, sofrer por Cristo é um imenso privilégio! O que é sinal de destruição e derrota para os pagãos é sinal de vitória e honra para os cristãos: "sem de forma alguma deixar-se intimidar por aqueles que se opõem a vocês. Para eles isso é sinal de destruição, mas para vocês, de salvação, e isso da parte de Deus; pois a vocês foi dado o privilégio de não apenas crer em Cristo, mas também de sofrer por ele" (Fp 1.28-29).
      Que honra poder seguir os passos do Grande Mestre, carregando cada um a sua própria cruz! "Então Jesus disse aos seus discípulos: “Se alguém quiser acompanhar- me, negue- se a si mesmo, tome a sua cruz e siga- me. 25 Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a sua vida por minha causa, a encontrará" (Mt 16.24-25).
      Caro irmão Souza, medite nestas coisas e reveja seus conceitos a respeito da cruz de Cristo e do martírio cristão. Falo em amor, pois vejo que és um cristão sincero. Deus o abençoe ricamente. Seu irmão, Ildo.

      Excluir
    3. Com o espírito do Evangelho encara-se o martirio individual com instrumento da "prova de nossa fé ...". Quanto ao Senhor Jesus, este se fez pecado voluntariamente (... Deus o fez pecado por nós ... ), e todo o pecado tende a ser aniquilado. Sem falar que seu martirio é substituitivo é sofreu em nosso lugar, pagou pelo castigo que deveria ferir-nos. Foi ferido por nossas culpas. Ocorre que era justo os descendente de Adão pagar o que devia e ele rasgou a cedula que era contra nós. Tu poré, esta falando que os filhos da nova raça, de modo coletivo (IGREJA). Noiva do Cordeiro, seja derrotada pelo anticristo. E o mesmo que dizer que os pecados dos pecantes menbro da Igreja macula a mesma. Assim como os pecados individuais sao tratados individuamente pelo sangue do Cordeiro. Os sofrimentos rederão a "coroa da vida aos aprovados"e isto em todas as épocas e não apenas numa Grande tribulação.
      Amado quase tudo que dizes acima é verdade, porem, o contexto destas verdade, não podem ser confundidas com o especifico periodo de Grande Tribulação. Todas essas verdade fazem parte da "leve e momentanea tribulação"e nada tem a ver com Grande Tribulação.
      Portanto, te imploro pelas misericordias de Deus, que medites nas verdades da Palavra e a deixe penetrar as tuas entranhas e entao compreenderas essa boa, perfeita e agradavel vontade de Deus.
      No mais ja renunciamos tudo a 2000 anos atras, numa Rude Cruz de ignomia.
      Que o Santo Espírito da Verdade lance feixe de luz em tudo isso.

      Abraços

      Souza

      Excluir
    4. Caro Souza, você pareceu usar o mesmo argumento daqueles pré-tribulacionistas que afirmam que "os santos" mencionados em Apocalipse 13 não se referem a Igreja, pois, para eles, estes "santos" experimentarão derrota diante da Besta, o que não seria possível, visto que Jesus profetizou que as "portas do inferno não prevalecerão" contra a igreja. Por isto foi que fiz questão de demonstrar que tal argumento pré-tribulacionista é equivocado. Pois a morte não derrotou a Jesus e nem derrotará a igreja!
      Foi através da morte que Jesus venceu os demônios e fez deles um espetáculo público, triunfando sobre eles na cruz" (Co 2.15, ver também Jo 12.32; 19.30; At 2.23 e 24).

      O Apóstolo Paulo afirma que nem a morte pode nos separar do amor de Deus e que, mesmo diante dela, somos mais do que vencedores (Rm 8.31-37)!

      
O que é sinal de destruição e derrota para os pagãos é sinal de vitória e honra para os cristãos (Fp 1.28-29).

      
Você disse que quase tudo o que eu disse é verdade. Favor esclarecer o que é que eu tenho dito que não condiz com o ensino das Escrituras.

      Excluir
  87. Caro Souza,

    O que vc quis afirmar com isso:

    " basta recordar que nao foi só o arrebatamento da Igreja que ficou adormecido por alguns seculos; foram tambem: Salvaçãoo pela Fé, Dons do Espritio Santo; batismo por asperção e muitos outras verdades que, após a reforma luterana ganharam restauraçao na vida da Igreja."

    Nenhuma dessas coisas que vc informou desapareceram ao longo de toda a história da igreja. Vários movimentos, santos e pensadores da igreja defenderam a salvação pela fé" Agostinho de Hipona foi um, os dons do Espírito Santo sempre estiveram presente, basta estudar história do cristianismo que vc verá que está repleto de relatos nesses dois mil anos de cristianismo; batismo tanto o de asperção quanto o de imersão foram praticados sempre pela igreja desde os primórdio (leia um documento datado do fim do primeiro século chamado Didaque), se vc é partidário da imersão, a igreja católica praticou a imersão por toda a idade média, a igreja oriental até hoje. Ambos os batismos sempre foram aceitos pela igreja e temos prova documentadas que a igreja do primeiro século também aceitava.
    Obs: Nenhuma das informações apresentada por vc estiveram ausente da igreja. Estude a história da igreja de modo sério e comprometido que vc verá, mas a doutrina do arrebatamento nunca foi ensinada, nem os pais apostólico( homens que tiveram contato com os apóstolos) ou qualquer outro cristão.

    Como tal doutrina que se fundamenta num sonho e numa profecia do século 19 pode ter a pretensão de arrogar para si veracidade? Ela não apresenta um único texto de modo claro, de que a igreja sobe e pessoas ficam na terra por um período de 7 anos ( para isso precisa fazer retalhos, pegando aqui e ali para basear a doutrina);o que nenhum homem santo de Deus ensinou ao longo da história da igreja hoje é aceito como se fosse a verdade ensinada ao longo de toda história da igreja.
    A verdade é que ninguém que acredita nessa doutrina quer estudar a origem, a base de como ela surgiu, as pessoas se sentem ofendidas em pensarem na possibilidade de estarem enganadas por muitos anos. É compreensivo, pois foi isso que ouviram a vida toda.

    Arrebatamento secreto é heresia !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caros Senhores e amados em Cristo Jesus,
      Não confundam "movimentos" com vida normal da Igreja e/ou totalidade do SER da Igreja.
      Os dons do Espírito Santo estiveram presente subjetivamente, pois, aqueles que detinha o controle da igreja visivel, jamais permitiriam qualquer manifestação deles. Haja visto, que a este servo ignorante, que não conhece bem outra estoria da igreja, alem de limitar-se, a creditar, como historia não maniopulada, a que as escrituras registram.
      Quanto ao batismo, não importa muito o que fazim, importa o significado etimologico da palavra ["BATISMO"],que por si mesma, indica seu propósito e forma.
      Basiar em kerigmas e didaques dos primeiros seculos, para construir mandamento e verdades doutrinas ou conceitos é o caminho mais proximos das verdadeira ciencias de desvistuar a simplicidade da Palavra Verdadeira.
      So para te da uma idéia, a duplicidade da Vida do Messias, é incomcebivel até hoje pelos meus ancestrais [judeus], porem, já se falava do rapto (arrebatamento)dos justos ANTES QUE VINHESSE O MAL"(anticristo, salvo melhor juizo), conforme esta escrito em Is. 57.1. Observe "Sao Arrebatados antes que venha o mal"[não gosto de citar endereço bíblico, desssa vez abrir excessão].
      Quanto a citação de "sonhos", não me baseio neles. Creio que um unico arcanjo e não uma sequencia de sete anjos, soara o trobeta e quando isso acontecer, dois estarão numa cama, um sera tirado e outro levado ... para encontrar com o SenhoR nos ares ... Creio também nas palavras, não de quem andou ou supostamente andou com apóstolos, porém nas palavras do BENTO, O MESSIAS DO TODO PODEROSO que diz "Vamo-nos daqui, porque o principe desde mundo vem ai e, eu nada tenho a ve com ele". Nada temos a ve com o anticristo, sabe por que? Porque fomos achados dignos de fugir de tudo isso e comparecer perante o Filhos de DEUS, portanto tudo esta escrito sobre isso, porém, "quem tem espirito para ouvir ouça ..."
      Quanto periodo de 7 anos, nunca defendir isto ...
      Quanto ao mais, exclareço que não tenho nenhuma pretenção, muito menos a de arrogar-me, o juíz da verdade não somos nós.
      Quanto a "Arrebatamento Secreto"ser heresia. Felismente, não posso dizer aos meus irmãos (Ildo e Nilson) que heresia é julgar e condenar seus irmãos e, ou proximos como herético. Nós eu e voces entre outros tantos, não o somos, somos sim, homens que são fiés às verdades que lhes foram reveladas e buscam a progressiva revelação das coisas escrituras) escritas.
      Que o PAI DAS LUZES nos ilumine.

      Abracos,
      Souza

      Excluir
    2. Caro irmão Souza, você está dando voltas para não reconhecer que não existe nem base bíblica e nem histórica para a doutrina pré-tribulacionista. É sabido e bem documentado que o conceito pré-tribulacionista é uma doutrina nova que surgiu de uma profecia e não do estudo bíblico; pois, em toda a história da Igreja até meados do século XIX , nenhum estudioso das Escrituras chegou a uma conclusão pré-tribulacionista, pelo simples fato de que tal idéia não se encontra nas Escrituras Sagradas. É uma falsa doutrina. Portanto, é uma heresia, mesmo!
      Assim como todos os cristãos dos 18 primeiros séculos da Igreja, você mesmo jamais teria chegado sequer próximo a um conceito pré-tribulacionista somente através da leitura da Bíblia. É preciso usar os óculos dispensacionalistas e as "ajudas" da Bíblia Scofield para manipular e deturpar as Escrituras para defender tal estranho conceito.
      Esqueça de tudo o que você já leu a respeito do assunto e vá para as Escrituras, permitindo que Jesus e seus apóstolos sejam seus únicos mestres.

      Deus o abençoe1

      Excluir
    3. Amado Ildo,
      Parte das tuas informaçoes são interpretações tuas ou de outros, assim como as minhas; portanto, é no minimo inabilidade de tua parte; associar-me a quaisquer escola escatológica e/ou mesmo a este Servo do PODEROSO CRIADOR, chamado Scofiel. Ja ouvir falar dele, por sinal muito bem, porém, nunca abrir se quer a Biblia anotada por ele, para blogar contigo.
      Quando não conseguirmos pontuar as questões apresentadas ou mesmo, não podermos contra argumenta-las, sugiro que simplismente aleguemos nossa questão de fé e assim evitaremos julgamento precipitados e até mesmo pecarmos un contra o outro.
      Permiti-me participar do teu blog, pela seriedade que tuas palavras passavam. Acima de tudo, porque creio que a UNIDADE E'A HARMONIA DAS DIFERÊNÇAS e não pretendo que as nossas [diferênças], principalmente num tema tão controvertido, possa abalar o que Cristo criou para nos tornar UM.
      Na paz meu irmão ...
      Souza

      Excluir
    4. Caro irmão Souza, não duvido nem um pouco de sua fé e salvação em Cristo. Boa parte de meus colegas pastores são dispensacionalistas e eu convivo muito bem com eles, pois os laços que nos unem são infinitamente superiores as nossas diferenças.

      Excluir
    5. Obrigado Amado Ildo,
      Na verdade não temo o julgamento que fazem de mim, o meu temor é ser "pedra de escandalo" aos meus irmãoS"
      Desejo Porfundamente que todos nós cheguemos ao conhecimento das profundezas do Senhor Jesus, o Filho do ETERNO E SOUBERANO DEUS.
      Osculo Santo pra te meu irmão.

      Souza

      Excluir
  88. PREZADO IIDO MELLO A PAZ DO SENHOR !

    OBRIGADO PELAS SUAS RESPOSTAS AS MINHAS PERGUNTAS FORAM MUITO PROVEITOSAS !

    SOMENTE ME TIRE MAIS UMA DÚVIDA OS 144000 SELADOS DO CAPITULO 7 QUEM SÃO?
    1° 144000 É UM NÚMERO SIMBÓLICO ?
    2º 144000 SÃO SOMENTE DO POVO DE SANGUE JUDEU ?
    3° 144000 SÃO OS CRENTES DIVERSOS PELO MUNDO ?
    4° 144000 DO CAP. 7 SÃO OS MESMOS DO CAP. 14 ?

    OBRIGADO !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, os 144 mil do capitulo 7 são os mesmos do cap. 14. Eles representam a perfeição da Igreja que é descrita como imaculada, casta e virgem, sema mancha e nem ruga (vide Ef 5:27 e a parábola das dez virgens). A igreja é também representada pelos 24 anciãos, representando os 12 patriarcas e também os 12 apóstolos. Paulo afirmou que a Igreja está fundamentada sobre os profetas e os apóstolos, sobre a base do Antigo e do o Novo Testamento, pois a parede de separação entre gentios e judeus foi derrubada e de ambos os povos Deus fez um só, que é a Igreja. No capitulo 14, os 144 mil sao descritos como seguidores de Cristo que foram selados com o nome dele! São cristãos e representam a Igreja!

      Excluir
    2. Leia também o texto que escrevi a respeito do significado dos 144.000 no seguinte link: http://escatologiacrista.blogspot.com.br/2012/06/os-144000.html

      Excluir
  89. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  90. Ao amado irmão Souza,

    Primeiramente quero deixar claro que o fato de eu acreditar ser herético algum ensino, não quer disse que o pai da heresia foi para o inferno ou não está salvo. Acredito que grandes homens de Deus ensinaram coisas erradas (a luz do entendimento que tiveram) ao longo desses dois mil anos, mas nem por isso eles deixaram de ser relevantes, santos, crentes, bons pensadores etc. Podemos citar Agostinho, Jerônimo, Tertuliano, Francisco de Assis, Lutero entre outros.
    Pensar diferente sobre essas questões que estamos discutindo não compromete a nossa salvação. A compreensão equivocada apenas limita o melhor entendimento do texto e consequentemente a sua aplicabilidade.
    Certas doutrinas possuem peso maiores, e uma compreensão errada pode descaracteriza o evangelho (ex Trindade, Salvação pela fé etc.)

    Novamente quero fazer objeção as suas colocações:
    " Os dons do Espírito Santo estiveram presente subjetivamente, pois, aqueles que detinha o controle da igreja visivel, jamais permitiriam qualquer manifestação deles.'
    De qual fonte vc extraiu essa informação? A igreja(em especial a católica) sempre aceitou as manifestações dos dons espirituais. A história da igreja, das missões estão repletas de sobrenaturalismo. vc está argumentando sem prova. Leia por exemplo o Historiador Justo Gonzales e Ruth Thuker.

    Volto afirmar que o arrebatamento secreto é uma heresia (nesse caso deu certo)
    4 razões:
    Me apresente um único texto onde está claro o arrebatamento secreto seguido de um período de 7 anos.
    Onde no Apocalipse a igreja é arrebatada?
    Quem ensinou arrebatamento secreto nos 19 séculos de cristianismo?
    Qual é a fonte de interpretação desse texto? (não foi exegese, ms sim sonho e profecia)
    Souza, você pode não ter lido Scofield, mas as fontes que vc bebeu estava fundamentada nele. você foi doutrinado indiretamente.
    As igrejas evangélicas de alguns anos para cá só ensinam essa visão escatológica.
    Isso é uma tendência da igreja evangélica contemporânea.
    A primeira pessoa a falar sobre arrebatamento secreto foi uma profetiza da seita Irvingita chamada Margaret Macdonald.
    O pai dessa heresia foi John Darby e Scofield tornou a heresia popular.
    A fonte da doutrina ninguém tem coragem de pesquisar a fundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem! Quanto ao termo "herético", sua classificação está em Gl 5.20, e não parece que a fonte de sua extração é de um salvo ou de alguém que não va pro inferno. Porém tudo bem, vale tua motivação.
      Demais comentário do contexto (heresia) concordo contigo.
      Minha fonte é ser um ex - seminarista católico, que preferir ser um leigo sensivel ao Espírito Santo, que seguir homens, que jamais disseram que Deus os usou e/ou o Espírito Santo os condiziu a emissão de quaisquer enciclica. Isto não é só no passado, continuam no presente. Lembre-se qualque grupo cahrismatico dentro da "igreja" católica, são considerados paracatólicos e até pouco tempo eram excomugado, considerados heréticos. Você baseia-se em homens isolado, sem base na fé católica.
      Volto a afirmar: Quaisquer linha de pensamento sobre este assunto, é fidelidade de cada um a fé que tens. Pois como ja disse anteriormente: "E ATÉ QUE TODOS CHEGUEMOS A UNIDADE DA FÉ". Nem seus ensinos, que penso ser inabis, podem ser chamados de héretico, pois é a luz que tens.
      So em postagem posterior a esse referencia refiri-me ao termo secreto (salvo me engano). Porem o Arrebatamento da Igreja é na hora que ninguem espera, verdade ou não? Será como o ladrão que chega sem avisar. Ta escrito ou não? Devemos ser vigilantes. Sim ou não. Ocorrerá sem que ninguem se de conta, conforme Is. 57.1 (não gosto de citar endereço bíblico, aqui abro excessão). Amigo Nilson, nao são texto, que ira desaferrar vc, para vê que a 2a volta do Senhor Jesus, que se dará no fim do governo do homem da iniquidade, no fim da Grande Tribulação, nada tem a ve com o "mistério escondido" e revelado( a igreja, povo exclusivo) em meio a outros povos, que será chamada a uma intimidade, que nem a casa de Jacó (Israel Terrena)e nem mesmo as naçoes que caminharão ao lado do Cordeiro e seus ungidos, na batalho contra o anticristo, poderão desfrutar. A NOIVA É UNICA, nem todos os salvos são NOIVAS. Podem até "voltar com azeite" alcaçar a suas misericordias que triunfarão no Juizo, podem usar as folhas das 12 arvores para curar suas enfermidade, podem enviar seus principes as portas da Grande cidade, para presentear ao que se assenta no trono e ao Cordeiro, porem, só os Lavados e branqueados pelo sangue entrarão a Cidade pelas portas. Nações inteiras virão as portas da santa Jerusalem. Nela sá a Esposa do Cordeiro estará.
      Quem tem ouvido para ouvir ouça, portanto os textos são claros, e a seu tempo, creio eu, todos nós ouviremos o ressoar da única trombeta, sobrada pelo arcanjo, para ir aos ares e reinar com Cristo para sempre, depois gloriosos desceremos com ele, para atender o grito de soccorro de Israel e os "lamentos" dos que não foram dignos de fugir de tudo isso que estar para acontecer e comparecer perante o Filho do Homem". Desceremos em glória, como santos anjos, para cumprir a 2a vinda de Cristo; para levantar o tabernaculo caido da casa de Davi; para remir a Jerusalém; e salvar as naçoes e os perseguidos, julgar outras nações; para implate do milenio; para vê o Cordeiro como Juíz e ao lado do todo poderoso julgar toda a humanidade no juizo final e dar fim a todas as coisas, quando tudo se fará novo.
      Obs. Os texto são claros a uns e a seu tempo sera a outros.

      Abracos

      Excluir
  91. Souza,

    Um irmão conversando me informou que em sua igreja ensina o arrebatamento secreto.
    Ele me contou o caso do seu professor de EBD que estava enrolado para fundamentar as resposta encima das objeções feitas pelos alunos.
    Uma nova convertida que está lendo a Bíblia sozinha sem ser influenciada por uma interpretação doutrinária disse na classe: Estou lendo Mt 24 e Apoc e não estou vendo nenhum arrebatamento secreto da igreja, pelo contrário, o que vejo é encorajamento vindo da parte de Deus para enfrentar as perseguições.
    Meu irmão, é simples: Ela para chegar a conclusão que existe arrebatamento secreto alguém terá que vim com milhares de textos desconectados do seu contexto, elaborado de modo genial (semelhante alguns grupos religiosos) para convencer que há um suposto arrebatamento secreto.
    Poderei até me convencer um dia se alguém conseguir ver arrebatamento secreto na bíblia sem ajuda de livros e revistas que advoguem a causa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É possivel sim, Nilson,
      Quem uma criança na fé não discinar bem as escrituras e que as verdades lhes sejam progressivas, para que possais então, deixar de tomar leite e se alimentar do sólido.
      Para se chagar a clonclusão do que quis dizer o Senhor Jesus, quando disse: "vamos nos daqui, o Principe deste mundo vem ai e eu nada tenho a ve com ele", basta deixar que as escrituras expliquem a si mesma.
      Já pensou Nilson, se vc passar o assunto para um leigo, sem nenhuma informação externa. Alguém que use só a Biblia, e lendo-a encontre o texto: " … fai apercebidos( vigilantes, atentos), porque vosso Senhor vem qdo não esperais... Se a vinda do ladrão não fosse [secreta], o dono da casa se prepararia. Vigiai pois!!!
      Não tenho dúvida Nilson que vc e o Ildo são homens de Deus e não se tornam heréticos por pensar diferente, assim como os amados Jonh Darby (nunca li nada sobre ele) e Scofield (tambem nunca li nada sobre sua biografia, apenas ouvir que foi um santificado homem). Lembre-se, devemos pensar o melhor de cada um, pois é "até que cheguemos a UNIDADADE DA FÉ".
      Abraços,
      O Sujeito Leigo Citado (Souza)

      Excluir
  92. A importância dos pais da igreja, apologistas e polemista é singular;

    Como protestante vejo a Escritura como única regra de fé, mas como cristão não posso ser orgulhoso e pensar que a verdade da fé cristã está comigo, com a minha igreja ou apenas com a Reforma do séc 16 p/ cá. Não podemos ter a síndrome de Adão (acreditar que somos os únicos e os primeiros)
    Faço parte de uma igreja que existe a dois mil anos, não sou romano, mas eles são parte da história da noiva de Cristo.
    O Novo Testamento não existia para as comunidades dos primeiros séculos, portanto, os escritos dos pais da igreja são de grande importância para compreendermos uma série de questões que lançam luz sobre textos obscuros na bíblia.
    Devemos lembrar que foram exatamente os pais da igreja que formaram o cânon do NT. Negar a importância dos seus escritos é dar um tiro no pé, ou melhor na cabeça rs rs.
    São 2000 anos de tesouro que temos a explorar e a guardar com mt carinho e respeito por homens que são verdadeiros heróis da fé, falhos , mas piedosos e santos.

    ResponderExcluir
  93. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  94. Amado Irmão Nilson,
    Não sou protestante e nem mesmo me considero evangélico. Tento apenas viver por meio de um homem chamado Jesus, o Cristo.
    Quanto ao fato de "não ser orgulhoso e pensar que a verdade estar" [consigo], precisas relêr seus escritos, pois os mesmos indicam exatamente o contrário [é possivel que eu também precise reler os meus].
    Não tenho Igreja, sou parte da que existe a dois mil anos, a qual tem um unico dono, pois o Senhor Jesus referiu-se a igreja fundmentada nEle, usando pronome possessivo no singular "MINHA IGREJA". portanto só existe uma Igreja, que se manisfesta por localidade e ela tem um unico amo e dono: Jesus, o Cristo, o Senhor.
    A Patristica cristã tem meu respeito, nunca disse o contrario, o que não podemos é usar-na para dogmatizar ou formar doutrina.
    Não creio que eu, vc ou o Ildo tenhamos a sindrome de Adão, pois, para nós seria uma sindrome, para Adão seria um fato, ele era único. rsrrss!!
    Se vc refere-se aos católicos como sendo os romanos que fazem parte da história da Igreja, lembro-lhe que Lúcifer também faz parte. Sendo assim, fazer parte da dessa historia é muito subjetivo.
    As Cartas, juntamente com os escritos antigo alimentavam as primeiras comunidade cristães.
    Você ja deve ter ouvido falar nos rios negro e solimões. E a melhor analogia que temos a historia da Igreja, pois as águas limpidas do santo "solimões" fazia seu leito ao lado das turvas águas do "negro" modo romano. Fazer parte da história não contitue-se em mocinho.
    Amado lembre-se há muito mais luz hoje do que a 2 mil anos atras. Os ornamentos da Noiva estão mais completos hj que ontem e o Rei glorioso esta mais perto hj que nunca. O Santo Espírito garante esse crescimento de degraus em degraus, de gloria em glorias … MARANATHA!!!
    Por fim, não posso negar a beleza das informações " documentadas", porém, creio que os escritos do Novo testamento foram separados pelo TODO PODEROSO CRIADOR, e é suficiente para alimento da Igreja.

    Só uma observação: manifesto minhas falas, com muito temor e respeito, pois creio que nossas motivações não são disputas carnais, mais profundo desejo de cooperar com a edificação mutua.
    Osculpo Santo a Você e o Ildo.
    Abracos,
    Souza

    ResponderExcluir
  95. Meu amigo Souza,
    Interessante vc ter sido seminarista católico, eu fui Católico praticante durante muitos anos e quase fui seminarista tb, vc ficou qts anos no seminário?

    Quanto a questão heresia, eu realmente penso que o ensino do arrebatamento secreto conforme foi ensinado por esses expositores que falei anteriormente, são heréticos mesmo. Na minha opinião, que já li várias vezes a posição desses autores, não tem fundamento exegético nenhum e a fonte de interpretação é falsa como seus desdobramentos, mas conforme eu afirmei anteriormente, isto não é matéria essencial. Ficamos naquilo que nos une.
    Quanto ao ensino católico sobre a presença dos dons, diversos homens considerados santos foram agraciados com dons segundo a visão católica. O que quis afirmar é que em maior ou menor grau essas doutrinas ou pensamento existiam na igreja, diferente do arrebatamento secreto.
    Fora essa questão que creio que não chegaremos a nenhum lugar sobre o assunto, pois já pensei como vc durante anos, e hoje não penso mais, permanecemos escatologicamente unidos: na volta de Cristo e na necessidade de se preparar para ela.
    Graça e paz meu amado irmão

    ResponderExcluir
  96. Caro Nilson,
    Frequentei o centro de vocacionados (seminário catolico) localizado no Bairro de Cardial da Silva, no periodo 1982/83, aqui em Salvador. Fui instruido e acompanhado pelo Bispo Primaz do Brasil, Dom Avelar Brandão Vilela e Bispo auxiliar, Dom Thomaz Muphia.
    Quanto ao teu conceito de "herético", é uma pena, porém, cabe ao GRANDE AUTOR DA CRIAÇÃO, revelar-nos, o que há de ser revelado. Infeliz ou felismente não conseguir achar, um unico texto nas Escrituras Sagradas que desse quaisquer margem ao conceito de que a Igreja passe pelas mãos do anticristo.
    No mais, caro Nilson e Ildo,
    não obstante, ser o Blog um espaço livre, considero o mesmo, também um pouco privado, pelo que, temo ser mal educado, questiona-lhes com demaziada retorica. Gostaria de poder ir mais fundo na questão, ajudando-nos a enxergar as Escrituras, principalmente no que tange a escatologia de modo mais macro. Meu email é: geuori@hotmail.com.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Souza, este blog é um canal aberto ao debate. Todos são livres para expressar suas opiniões. Sinta-se à vontade.

      Não entendo como é que você pode afirmar que não consegue achar um único texto que mostre a igreja se deparando com o Anticristo, sendo que todas as vezes que o Anticristo (Besta) é mencionado, a Igreja está em cena como o objeto de sua perseguição. O nome dele já indica isto, pois como anticristo, ele age contra Cristo, e a Igreja é o Corpo de Cristo aqui na terra. Bem, não vou repetir aqui todos os textos bíblicos que demonstram esta verdade, mas apenas duas passagens para sua consideração especial:


      O apóstolo ensinou aos cristãos tessaloniscenses que um dos sinais que precederiam a Segunda Vinda seria a aparição do anticristo, afirmando que a Igreja se veria face a face com o anticristo, e que este só seria destruído por ocasião da Segunda Vinda de Cristo:

      "Irmãos, quanto à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com ele, rogamos a vocês que não se deixem abalar nem alarmar tão facilmente, quer por profecia, quer por palavra, quer por carta supostamente vinda de nós, como se o dia do Senhor já tivesse chegado. Não deixem que ninguém os engane de modo algum. Antes daquele dia virá a apostasia e, então, será revelado o homem do pecado, o filho da perdição... Então será revelado o perverso, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e destruirá pela manifestação de sua vinda." (2Ts2.1-3, 8).

      E, coerentemente, O Apocalipse descreve uma grande multidão de mártires cristãos de todos os povos, tribos, línguas e nações que foram assassinados pelos anticristo no período da Grande Tribulação: "Então um dos anciãos me perguntou: “Quem são estes que estão vestidos de branco, e de onde vieram?” Respondi: Senhor, tu o sabes. E ele disse: “Estes são os que vieram da grande tribulação e lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro" (Ap 7.13-14).

      Deus o abençoe!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Caro José Ildo,

      Reportando-me a postagem de 27/06 do corrente, exclareço que:

      01. Agradeço-lhe pela liberdade concedida para expressar-me neste.
      02. Não obstante desfrute, de tal liberdade, temo pelos pequeninos, principalmente, aqueles que estão no inicio da fé, e, portanto, cheios de buscas, as quais, não seriam bem filtradas no meio de manisfestaçoes pologeticas deste nivel (não é leite).
      03. Tambem não entendo como é que você pode afirmar que não consegue achar um único texto que mostre a igreja não se deparando com o Anticristo". Esta é a fonte onde reside o problema, pois todas as vezes que as Escrituras referem-se ao anticristo, com relação a Igreja, é dito exatamente que ela será livre dele. Veja no contexto, uma delas: "Quem tem ouvidos ouçam o que o Espírito diz as Igrejas"(Apc. 3.13,22). Neste caso, o que o Espírito ta dizendo é o seguinte [para qualquer leigo e simples]: ... Também EU (Jesus) te guardarei "DA" hora da TRIBULAÇÃO que há de vir ...
      Entretanto, meu caro, vou tentar argumentar de outra forma, talvez menos simples, ja que não consigo ser mais simples que o que é dito nas Escrituras:
      Os superlativos aplicados a Igreja, sugere sempre a existencia de uma relação paralela. Tipo: "Geração eleita" [ Segere outras gerações paralelas (vivendo mesmo periodo) porem, não eleita].
      "Sacerdócio Real" [Sugere outros (s) não real (ais]
      "Nação Santa" [Segere outro tipo de nação que se define diferente], pois só ela é santa.
      "Povo adquirido" [sugere exclusividade, que só pode ser, se for em relação a outrem e/ou outros] (1a Ped. 2.9).
      Observe agora os habitantes da NOVA JERUSALËM e os Principes dos Reis da Terra que virão as portas da cidade trazer suas ofertas.
      Observe que as nações terão doenças que serao curadss com as Folhas das Arvores que cercam a fonte (Apc. 22.2). Fica obvio meu caro, que a Esposa do Cordeiro habitará ao lado do seu Marido, que por sua vez, estará ao lado do Eterno Pai, reinando sobre todo universo: Pai, Filho, Esposa e Espírito Santo formam a UNIDADE indizivel e indissoluvel. O Senhor Jesus, o Cristo é muito mais que um Rei para a Igreja, Ele é MARIDO!, e como tal, Governará as "nações da terra", tendo como base o Trono de David, no qual se assentará, não como MARIDO, porém como REI, e, assim Jerusalem Terrestre será capital mundial das nações e Jerusalem Celestial, sera a CASA do Quarteto Eterno.
      Se nós ignorarmos os niveis de salvação e os niveis de perdição, certamente, jamais compreenderemos os demais sentidos do final de tudo isso.
      Portanto, se o nosso debate, for com base no que as Escrituras querem dizer, e o que ela quer dizer é exatamente o que diz, deixando as interpretaçoes que correm o risco de cair nos "vans humanos"; se considerarmos que a REVELAÇÃO esta revelada, será facil percebermos que não há como, quem está debaixo dos nossos pés, nos colocar debaixo dos seus, nos vencendo. A Vitoria da Igreja se da no campo humano, foi conquistada na Cruz e nenhuma provação a superará.
      COM CERTEZA A IGREJA NÃO PASSARÁ PELA GRANDE TRIBULAÇÃO PELO SIMPLES MOTIVO DE ESTAR OCUPADA NAS NÚPCIAS DO CORDEIRO ... "Estará nos ares". Mas, ela se manifestará com o Senhor Jesus, o Cristo, NA SUA 2a VINDA, para derrotar o anticristo, socorrer os remanescentes e exercer seu Sacerdocio Real, reinando com Cristo por mil anos; equanto aguarda a batalha final, que culminará na setença do derrotado satã. Aguarda também descer do céu a cidade que o Senhor foi preparar na casa do Pai, a NOVA JERUSALEM, que descerá do céu ataviada como Noiva, para, nela, o Pai receber o CASAL BENDITO e habitar para sempre com eles. Amem.
      Sugestão: Comprometer-nos em apenas deixar a Escritura explicar-se a si mesma.

      Abraços

      Souza

      Excluir
    4. Caro Souza, continuo afirmando que não há nenhum texto bíblico ensinando que a Igreja será arrebatada para não passar pela Grande Tribulação. Jesus orou para que seus discípulos não fossem tirados do mundo, mas que fossem guardados do mal. Portanto, não precisamos ser tirados do mundo para sermos protegidos contra o mal. Deus protegeu seu povo das pragas que caíram sobre o Egito sem que para isto fosse preciso removê-los de lá. Foram protegidos das pragas mesmo estando no Egito.
      Onde é que encontramos na Bíblia um versículo sequer dizendo que a Igreja será arrebatada para não se deparar com o anticristo? Onde é que encontramos que o arrebatamento será um evento distinto e separado por sete anos da Segunda Vinda de Cristo? Se a Igreja, que é o Corpo de Cristo, já não mais estiver na terra quando do surgimento do anticristo, este tal será anti o quê? Anti-semita? Por que teria o nome de anticristo visto que se levaria quando o povo de Cristo não estivesse mais aqui na terra?
      Jesus foi claro ao ensinar que a Segunda Vinda e o consequente arrebatamento da Igreja aconteceria logo após a tribulação daqueles dias (Mt 24, Mc 13, Lc 21). Paulo também foi claro ao ensinar que a Segunda Vinda de Cristo e a Nossa Reunião com ele não se daria antes do aparecimento do anticristo (2 Ts 2.1-3). O Apocalipse claramente ensina que uma multidão de cristãos serão martirizados, gente de todos os povos, línguas, tribos e nações (Ap 7.14). O estudo que escrevi a respeito do assunto é bastante bíblico e de simples compreensão até mesmo para os novos convertidos. As Bodas do Cordeiro acontecem após a Segunda Vinda de Cristo que é um evento glorioso e manifesto assim como um relâmpago que sai do oriente e se mostra no ocidente. Após o arrebatamento da Igreja, não haverá mais oportunidade alguma de salvação como ensina a Parábola das Dez Virgens, pois é chegado o Dia do Juízo de Deus.
      Um grande abraço!

      Excluir
  97. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  98. Primeiro eu queria me desculpar em talvez ter feito uma pergunta repetida, são muitos comentários e fiquei com preguiça de ler.
    Gostei muito de seu texto, parabens pelas palavras!
    Mas, o que devemos fazer? Vamos passar pela tribulação mas a ira do senhor nao nos atingirá, mas vamos ser perseguidos pelo AntiCristo. Devemos construir um 'forte' embaixo da terra e estocar alimentos?
    Já que com a vinda da marca da besta tudo vai mudar, será a moeda unica e nós cristão não vamos aceitar isso, e vamos pagar juros altissimos por nao usarmos a tal tecnologia e isso irá acarretar a falencia de muita gente.
    Qual seu ponto de vista? Creio seriamente que a volta de Jesus não demora nem mais 10 anos, todas as profecias estão se cumprindo.
    O que vc vai fazer para se proteger?
    Abraços!
    Deus abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Rafael, a Igreja passará pela Grande Tribulação, muitos cristãos serão perseguidos e martirizados. Os juízos que abateram a terra decorrentes da ira de Deus tem como alvo os inimigos de Deus e de sua Igreja. Assim como o povo hebreu foi de alguma maneira poupado ou protegido durante as pragas do Egito, assim haverá uma proteção especial para o povo de Deus quando as taças da ira divina forem derramadas sobre a terra, sem que isto implica em arrebatamento.
      Quanto a marca da besta, prefiro não ficar especulando como tantos gostam de fazer numa tentativa de adivinhar o que será. No devido tempo isto ficará claro, assim como foi claro para a Igreja Primitiva que a marca da Besta apontava para Nero e outros imperadores romanos que perseguiram cruelmente a Igreja.

      Houve muitos anticristos na história da Igreja. Creio que surgirá o derradeiro quando o fim estiver próximo, concluído o milênio, quando a Igreja já tiver cumprido sua missão de fazer discípulos de todas as nações, Satanás será solto e agirá com muito ódio contra o arraial ou o povo de Deus, sabendo que pouco tempo lhe resta. Mas isto durará pouco tempo! Cristo destruirá o anticristo com o sopro da sua boca na manifestação da sua vinda!

      Excluir
    2. Caro Rafael,
      A Igreja não passará pela Grande Tribulação, porque a mesma será arrebatada, para como esposa tornar-se a gloria do marido e, juntamente com ele, descer; cercando-o de sua gloriosa presença glorificada (Rm 8.30), e, tornando o poder da 2a vinda muito gloriosa(Mt.24.30).
      É dito em Is. 57.1: [Desaparece] o justo ( mesmo que fiél, crente), e não há quem considere isto no seu coração (o mundo ficará dando desculpas esfarrapadas pelos sumiços dos santos); os homens compassivos são retirados (rapitados), sem que alguém considere que o justo é ARREBATADO antes que venha o mal (anticristo). Veja meu Caro Rafael, Isaias ja havia visto, o que muitos de nossos santos irmãos, tais como Jose Ildo, Nilson e outros tem dificuldade de enxegar. Felismente nossos amados que pensam diferente de nós, farão parte, assim creio, da mesma da Tribuna Bema (tribunal de honra ao mérito), que nós, conforme 2a Cor. 5.10 e 1a Cor. 3.10-15. Este Tribunal é montado exclusivamente para aqueles que não podem ser julgados [condenados] com o mundo (1a Cor. 11.31-32), porque foram julgados na cruz e agora serão recompensados no Trinal de Cristo, o qual se dará paralelo a provação que o anticristo imporá aos habitantes da terra. Logo depois dessas aflições, se dará a 2a vinda do Senhor Jesus, o Cristo.

      Excluir
    3. A Igreja será arrebatada, sim, mas logo após a Grande Tribulação, por ocasião da Segunda Vinda de Cristo que é um evento visível e não secreto. Pois que também não há nada de secreto e silencioso nos relatos que descrevem o arrebatamento da Igreja (1Ts 4.16-17; Mt 24.31). Onde é que está na Bíblia que "o mundo ficará dando desculpas esfarrapadas pelos sumiços dos santos"? O que a Bíblia diz é que todo olho o verá e que todas as nações se lamentarão e que é neste mesmo dia que o arrebatamento acontecerá: “Logo em seguida à tribulação daqueles dias, o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento e os poderes dos céus serão abalados. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do homem vindo sobre as nuvens do céu com poder e muita glória. E ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus” (Mt 24.29-31).
      Estes ensinos de duas Segunda Vindas de Cristo, de duas ou mais ressurreições corpóreas, e de Dois Dias de Juízo Final são totalmente artificiais, pois não há base alguma para isto e também são abundantes os textos que ensinam que a Segunda Vinda de Cristo é um evento único e visível, em que se dá a ressurreição geral, o arrebatamento da Igreja e que será seguido pelo Juízo Final quando todos compareceremos diante de Deus para sermos julgados.

      Uma série de textos bíblicos também ensinam que a Ressurreição será Geral e que depois dela vem o Juízo Final: (Dn 12.2; Mt 25.31-46; Jo 5:28-29; Jó 19:23-27; Is 26:19; At 24:15; Rm 8:11, 23; Fp 3:20 e 1Ts 4:16). Jesus também ensinou que haveria apenas uma única ressurreição geral e que esta aconteceria logo após a Sua Segunda Vinda: (Mt 25.31-33 e 46).

      Em Apocalipse 2013 e 15, após a descrição da Ressurreição Física de todos os mortos, temos o Juízo Final.

      Paulo afirmou possuir a mesma esperança dos profetas do Antigo Testamento; de que haverá ressurreição geral tanto de justos como de injustos (At 24.14,15).

      Como vimos, Daniel e Jesus ensinaram que a ressurreição dos mortos é geral e acontece exatamente antes do Juízo final (Dn 12.2; Mt 25.31-46; Jo 5:28-29; Jó 19:23-27; Is 26:19; At 24:15; Rm 8:11, 23; Fp 3:20 e 1Ts 4:16).

      Há também um outro importante texto em que Jesus ensina claramente que a ressurreição será geral, para todos, crentes e não crentes, uns para vida e outros para a condenação (João 5.28,29).

      Assim como a Ressurreição, o Juízo também será geral, abarcando os vivos e os mortos, o salvos e os perdidos. Pois, todos compareceremos perante o Tribunal de Deus (2 Co 5.10; Rm 14.10-12). Os que não tiverem os seus nomes escritos no livro da vida serão condenados (Ap 20.11-13).

      Paulo afirmou possuir a mesma esperança dos profetas do Antigo Testamento; de que haverá ressurreição geral tanto de justos como de injustos (At 24.14,15).

      Paulo também ensina que Jesus virá como um ladrão à noite e que juízo e destruição é o que as nações receberão e não um milênio (1Ts 5.2,3).

      O Profeta Joel também ensina que o Dia do Senhor é dia de Juízo Final (Joel 2:1-11)

      Excluir
    4. Amado José Ildo,
      Primeiramente, desejo que tua vida e dos demais companheiros que blogam conosco aqui, continuem sendo abençoados, com toda sorte de bençãos, em Cristo Jesus, o Senhor.
      Por Parte:
      A) De fato, não creio e não lembro-me de ter usado a palavra "secreto".
      B) De acordo com Ap. 3.13,22, que diz: quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas"(no plural). E o que é que o Espírito Santo diz as igrejas? - Ele diz, conforme Ap. 3.10: "visto que guardastes a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da TRIBULAÇÃO que há de vir sobre todo mundo,para provar os que habitam sobre a terra.
      Senhores, se é para ser livrados do meio dela, é desnecessário passar por ela, seria no minimo utopia, assim penso, salvo melhor juízo.
      C) O termo: "... lamentarão" e verão o Filho do Homem ... (Mt. 24.30), sugere, lastimar, manifestar sentimento, queixar-se, etc. Dentro do contexto paroquial, também é dar desculpas sem sentido, por isso usei o tom de reitorica "desculpas "esfarrapadas" o que é planamente aceito, para o sentido etimológico da palavra 'LAMENTARÃO', usada em pelos autores do Evangelho. Entretanto, agradeceria pela a ajuda e/ou explicação, do porque o termo "lamentarão"foi colocado como um pré evento ao evento da 2a vinda do Messias.
      D) O mundo não se lamentará pela vinda do Messias, e, sim, antes da vinda, pois, "se lamentarão e verão"é simples, basta não inventarmos interpretações.
      E) Não há outro "SINAL DO FILHO DO HOMEM", mais claro que o ARREBATAMENTO da igreja. "Quando o justo for [ARREBATADO] antes que venha o mal"(Is. 57.1) e [um] arcanjo der um brado (grito) ao som da trombeta(única) de DEUS ... Então um povo especial e zeloso, de boas obras (com tais caracteristicas só pode ser a Noiva), "... será Arrebatado, para encontrar com o Senhor no ares, para estar, sempre com o Senhor(1a Ts. 4.17).
      F) É bem diferente dos eventos da 2a vinda, ja que esta, deve ocorrer depois da presença do anticristo; estará numa sequecia de 7 trombetas; escolhidos estarão nos 4 cantos da terra, nas extremidads da terra, nos quatro ventos, etc; O Senhor enviará seus anjos (plural) e o anticristo saberá o local exato da chegada (Ap. 19.19). Como podem constatar, os dois eventos tem caracteristicas bem diferentes.
      G) Quanto as ressureições, pasmem, porém, quando o Senhor Jesus ressuscitou, juntamente com ele apareceu muitos ressuretos (ressureição exclusiva).
      Quando a igreja for ARREBATADA, quem de nós estiver morto, será ressuscitado (ressureição posicional e exclusiva).
      Com o evento da 2a Vinda e a vitória sobre o anticristo, os vencedores que perderão suas vidas, por causa do nome do SENHOR JESUS, serão ressuscitados (primeira ressureição), este são os mileniais.
      H) No fim do milênio, teremos a ultima ressureição, quando o mar, terra e tudo mais, darão seus mortos, para que todos, menos a Igreja, que não pode ser julgada juntamente com o mundo, pois ja foi julgada, condenada a morte. Justificada e ressuscitada EM CRISTO JESUS, O SENHOR. A vida da Igreja, é uma nova vida, é vida ressureta, vida escondida com Deus em Cristo, vida glorificada ( Cl. 3.1-4).
      Na cruz toda a humanidade foi julgada, e o Senhor Jesus Cristo, tornou todos propicios ao CRIADOR (1a Jo. 2.2). No primeiro juízo, o pecado recebeu seu salário (Rm 3.23; 6.23). A morte de Jesus, deu fim a crise criada em Adão. Regeitar o ato propiciatário da Cruz é pré-destinar-se ao juizo final, pois a condenação neste juizo, é esta: que a luz veio ao mundo e os homens amaram mais as trevas ( Jo. 3.19).
      Amado, demos GLORIAS AO EXCELSO CRIADOR,pois a esperança d'Ele para nós, não é o anticristo nem o Juizo final, é, sim, A VIDA DE CRISTO EM NÓS (CL 1.27): "CRISTO EM VÓS A ESPERANÇA DA GLORIA". ALELUIA!!!
      A TODOS VOCES,
      OSCULO SANTO.

      SOUZA

      Excluir
  99. todos os que sao de Jesus cristo passarao pelos 7 anos de tribulaçao,vai ser uma grande prova , a muitas igreija que fala que seremos arrebadados antes da tribulaçao mais e mentira , todos nos vamos ser provado , morreremos pelo verdadeira Jesus cristo , somente os que amam Deus e confia nele e esta disposto a encarar a fome e nunca o deicha-lo serao os salvos e terao a vida eterna, mais Deus estara no nosso lado na epoca e eu digo que estamos perto pois a marcca da besta ja existe em alguns paises , espero te-los ajudado diquem com Deus

    ResponderExcluir
  100. Eu concordo também que a igreja passará pela tribulação, e lá realmente vamos provar se somos fieis a jesus ou não. Falar que aceita jesus e ficar pagando de crente por aí é facil, quero ver quem serão os verdadeiros que muito provavelmente vão morrer mas não negarão a jesus.
    Muitos crentes acham que só pq Deus é misericordioso não deixaria a igreja passar pela tribulação, fico feliz em saber que Deus fará com que passemos pela tribulação, e mais feliz ainda de saber que vou vivenciar tudo isso!
    Obrigado pelas palavras Ildo Mello.

    ResponderExcluir
  101. Glória a Deus irmão Rafael,

    As tuas palavras me faz lembrar o testemunho dos mártires da igreja dos primeiros séculos, Tertuliano disse: "o sangue dos mártires é a semente do evangelho". Era nesse espírito que os crentes dos primeiros séculos viviam. Inácio de Antioquia disse: "Sou trigo de Deus, e os dentes das feras hão de moer-me, para que possa ser oferecido como limpo pão de Cristo"
    Esses homens não esperavam um arrebatamento que os livrassem do martírio, pelo contrário, basta lermos o testemunho de Policárpo de Esmirna, da viúva Felicidade e da bem aventurada Blandina. É o sangue dos santos da igreja que marca o grande testemunho dos fieis que devem perseverá até o fim.
    Não entendo a razão do crente de hoje querer fugir tanto da perseguição, Deus não poupou os santos do passado, mas antes deu graça para eles glorificarem com suas vidas e com a morte o nome de Cristo.

    ResponderExcluir
  102. A palavra "Testemunha" está etimologicamente ligada a palavra mártir no grego. Quando o Espírito Santo sela o crente ele é capacitado a morrer pelo evangelho. No passado, diante do tribunal Romano, as pessoas que serviam de testemunha juravam com a sua própria vida.
    Deus nos capacita a testemunharmos com a nossa própria vida a Ressurreição de Cristo. Jesus disse que não é o servo maior que o seu Senhor.
    Morrer pela causa do Evangelho é ser participante dos sofrimentos de Cristo conforme disse o Apostolo Paulo.
    Estejamos firmes meus irmãos, Caso sejamos a geração que enfrentará a besta. Glória a Deus.

    ResponderExcluir
  103. Souza, me desculpa mas vc faz um malabarismo com as passagens, buscando textos isolados e os coloca como se estivesse num mesmo texto. Vc não consegue fazer uma exegese de um único texto contendo todas essas informações

    Sobre Apoc 3,10, o texto não fala de arrebatamento, seja sincero, este texto não serve de garantia para essa doutrina, uma vez que não fornece nenhuma estrutura hermenêutica para isso, a não ser por hipótese que pode ser facilmente contestada.
    "Eu também te guardarei da hora da provação" - onde está escrito arrebatamento? Cristo orou: "Não peço que os tire do mundo, e sim que os guarde do mal" Há vários modo de Deus guardar o seu povo sem os tirar, assim como ocorreu no Egito, o juízo de Deus caiu sobre os egípcios e o povo foi guardado sem ser arrebatado.
    Deus nos livra da sua ira e não dos sofrimentos e perseguições que passamos por causa do seu nome: "Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angustia, ou perseguição, ou fome, nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito por amor de ti somos entregue à morte o dia todo ... (Rom 8, 36). O livro de Apocalipse foi escrito para consolar a igreja frente as dificuldades e sofrimentos dos santos, se a igreja não estará aqui, qual é o sentido? A final, onde está escrito no Apoc que a igreja sobe e tudo o que ocorre em seguida acontece depois de sua subida?
    Se vc acredita num arrebatamento pré-tribulacionista, onde o mundo não irá ver, vc crer que ele ocorrerá de modo secreto, vejamos o que a Bíblia fala:

    "Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias: depois, os que são de Cristo, na sua vinda. E então vira o fim (...) 1Co 15, 23

    O texto fala claramente sobre a Ressurreição que se dará no último dia:
    Leia: Jo 5,28,29 e Jo 6,39 e 40

    O Texto é claro: Ressurreição que se dará no "último dia"

    O arrebatamento pré-tibulacional exige no mínimo quatro ressurreições, coisa que não há em nenhuma passagem bíblica conforme citadas.

    prova cabal da igreja no período da Grande Tribulação:
    Quantas são as trombetas do Apocalipse? Sete (A sétima é a última concorda?)

    Em 1 Co 15, 52 O texto informa que o arrebatamento se dará no ressoar da última trombeta, logo esta é a sétima. onde estava a igreja nas outras seis?
    Interessante é que a sétima é de Júbilo e alegria pois o Reino de Deus é chegado.

    Arrebatamento pré-tribulacional implica na negação das parábolas do joio e do trigo, pois essa separação só ocorrerá no último dia conforme o julgamento de Deus na consumação dos séculos Mt 13, 39.

    Sobre a Ressurreição de MT 27, 52 e 53 que vc argumenta como sendo prova de várias ressurreições. Onde está a prova que esta ocorreu em corpo glorificado? poderia ter sido semelhante a da filha de Jairo e de Lázaro que voltaram a viver e depois faleceram, o argumento do silêncio não nos permite fazer uma teologia sobre esse assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. RESPONDENDO QUESTIONAMENTO DO NILSON
      Postagem do Nilson: "Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias: depois, os que são de Cristo, na sua vinda. E então vira o fim (...) 1Co 15, 23.
      Resposta do Souza: “E então vira o fim”. O fim não vem neste contexto da vinda de Cristo, como sugeres. O fim vem, no contexto do verso 24, referindo-se, que, quando Cristo tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver destruído todo domínio, e toda autoridade e todo poder . [Ai sim, vem o fim].

      Postagem do Nilson: "O texto fala claramente sobre a Ressurreição que se dará no último dia:
      Leia: Jo 5,28,29 e Jo 6,39 e 40".
      Respostas de Souza:
      O contexto aqui era judaico. A igreja era, ainda, o "mistério coulto", conforme Ef. 3.9; Rm. 16.25;1a Co.2.7; Cl. 1.26-27. Da mesma forma que os judeus, não contavam com a dupla vinda do Messias [todo nós cremos, que ele veio e, que voltará. Os israelenses creem, que ele vem e, não veio ainda], nem existencia de um povo especial (a igreja). Em 1a Ts. 4.16, estão os ressuretos membros da igreja, os mesmo que subirão para o encontrar nos ares. Digamos que, aqui, esta referindo-se, não ao arrebatamento, ou mesmo, que não exista arrebatamento. Digamos que a manifestação do Senhor Jesus, no cap. 19 do livro da REVELAÇÃO DE JESUS CRISTO, trata da sua 2a vinda e que seja o mesmo evento de 1a Ts. 4.13.17. Imaginemos que a Igreja acompanhe a TESTEMUNHA FIEL E VERDADEIRA na sua descida para a terra - significa então que os santos mortos foram ressuscitados? para juntamente com os santos vivos encontrar com o Senhor nos ares? Você concorda? Se for sim para todas as perguntas, como explicar o Cap. 20.4 desta mesma revelação? Veja: AP 20:4 Então vi uns tronos; e aos que se assentaram sobre eles foi dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na fronte nem nas mãos; e reviveram, e reinaram com Cristo durante mil anos. Veja amigo, que as pessoas ressuscitadas aqui, é bem especifica, são apenas os degolados, não adoradores da besta e nem da sua imagem ...). Uma simples hermeneutica, concluirá que não há evidencias de que os santos de todas as epocas estão relacionados neste contexto. E há outros que não reviveram aqui:
      No CAP 20:5 Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se completassem. Esta é a primeira ressurreição. Fica claro, no minímo, que existe a primeira ressureição. As Escrituras aqui, são diretas e sem interpretações: "AP 20:5 Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se completassem. Esta é a primeira ressurreição". Portanto, salvo melhor juízo, há pluraridades de ressureições.

      (Continuidade na postagem seguinte):

      Excluir
    2. Postagem do Nilson: Quantas são as trombetas do Apocalipse? Sete (A sétima é a última concorda?)

      Respostas de Souza:
      Há sim, sete trobetas, e 8 anjos. Esses atenderão a voz de comando do TODO PODEROSO, para dar cabo aos dias finais. Assim, como os anjos receberam ordens, para buscar os escolhidos dos 4 ventos da terra ... A igreja, será chamada PELO CLAMOR DE ARCANJO, pois, ela é ÚNICA, IMPAR, EXCLUSIVA: a igreja era um “mistério oculto”, só poderia revelar-se apos ressureição de Jesus, o que ocorreu no pentecostes. Como já havia postado antes, a igreja, de acordo com 1a Pd. 2.9, ela é absolutamente exclusiva:
      Ela não é uma geração, é, sim, a GERAÇÃO ELEITA;
      Não é um entre muitos sacerdócio, ela é o SACERDOCIO REAL;
      Como nação, ela é a NAÇÃO SANTA;
      Como povo, ela é o POVO ADQUIRIDO.
      Por fim meu amigo, em Ap. 20.11-15, dar-se o juízo final;
      Ap. 21.1, surge nono céu e nova terra;
      Ap. 21.2, surge a Nova Jerusalém;
      Ap. 21.5, todas as coisas são feitas novas;
      Ap. 21.6, Cristo conclue o próposito eterno do Pai: "esta cumprido";
      Ap. 21.24,as nações andarão a sua luz e os reis da terra trarão a ela sua gloria e honra.
      Ap. 22.1. Surge um rio que sai do trono de Deus e do Cordeiro;
      Ap. 22.2. Depois de tudo acima definido, concluso, cumprido, surge uma arvore, que seus frutos cura doênça das nações. Que nações são essas que aparece na eternidade? - Em tudo isso, creio que percebestes que a igreja tem sempre um lugar de honra e é diferente de Israel ou das demais nações que experimentarão salvação, com posicionamento proporcional.
      Espero, te-lo ajudado.

      Abracos Fraternos a todos voces,

      Souza

      Excluir
  104. Caro Nilson,
    Primeiramente desejo a todos a abundante Vida que há no Senhor Jesus!!

    Acabei de fazer um 'malabarismo"(rsrsrsr) sem precedente, para localizar as curvas por onde passastes, para concluir, que eu,tenha colocado qualquer afimação que relacionasse o Arrebatamento a Ap. 3.10.
    Para simplificar, copiei e colei o paragrafo que trata do tema:
    "B) De acordo com Ap. 3.13,22, que diz: quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas"(no plural). E o que é que o Espírito Santo diz as igrejas? - Ele diz, conforme Ap. 3.10: "visto que guardastes a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da TRIBULAÇÃO que há de vir sobre todo mundo,para provar os que habitam sobre a terra.
    Senhores, se é para ser livrados do meio dela, é desnecessário passar por ela, seria no minimo utopia, assim penso, salvo melhor juízo".
    Caro Nilson, o texto estar hermeneuticamente interpretado, o maximo que poderemos fazer, seria aceita-lo sem manobras. O que transcrevir das escrituras, foi as palavras ditas pelo Espírito Santo: "VISTO QUE GUARDASTES A PALAVRA DA MINHA PERSEVERANÇA, TAMBÉM EU TE GUARDAREI DA HORA DA TRIBULAÇÃO QUE HÁ DE VIR SOBRE TODO MUNDO, PARA PROVAR OS QUE HABITAM SOBRE A TERRA. Eis uma oportunidade caro Nilson, para "facilmente"você contestar o Espírito Santo. Pois, não me lembro que tenha havido algum tipo de provação mundial, registrada na historia religiosa ou secular. Sou todo ouvido! - Também sou todo ouvido para que voce possa dar um control/C e em seguida control/V no paragrafo onde relaciono Ap. 3.10 a Arrebatamento. Ja, que, o que transcrevir foi relacionado a igreja não passar pela Grande Tribulaçao.
    Obs. O nosso texto foi redigido em resposta a pergunta do Jesé Ildo, quando o mesmo questionou a existencias de ressureições, entre outras quetões (texto postado em 16/07/2012).
    Obs, A dissertação do texto, não contempla o carinho com que disserto, porém, creia, é com muito amor.
    Abraços,

    Souza

    ResponderExcluir
  105. Irmão Souza, Se a igreja não passa pela Grande Tribulação segundo o texto de Apoc 3,10, como ela será guardada segundo a sua afirmação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Nilson,
      Desejo-lhe, bencãos eternas e no Messias.

      A resposta esta em Cl. 3: 2,3.

      Amigo! Para que alguém toque no que esta nEle (a igreja), primeiro, vai ter que vence-lo, isto, no entanto, não é possível. [Mas você ja sabia]. Como ja dissertei em textos anteriores, um membro poderá sofrer derrotas, o CORPO, jamais! nunca! sabe porque? Porque as PORTAS DO INFERNO não prevalecerá contra a igreja do ALTISSÍMO SOUBERANO nem nas batalhas, nem na guerra fINAL. A Igreja foi forjada na fornalha da fé, aperfeiçoada na leva da Cruz diária e vencedora a dois mil anos atrás na Cruz redentora, na perfeita obra que a redimiu por toda eternidade.
      Abraços
      meu amado e eterno irmão EM Cristo.

      Abracos

      Excluir
  106. Irmão,

    Vc não me respondeu sobre a questão da última trombeta e da ressurreição do último dia, como vc responde essas indagações que coloquei no texto anterior?

    ResponderExcluir
  107. Graça e paz!

    Bem, nenhum cristão afirma que a igreja será derrotada, acho que isso está claro para todos, mas o texto de 1Co 15, 52 comparado com Apoc 11, 15-19 mostra claramente que a igreja estará na terra nas seis trombetas, ou seja, na grande tribulação!
    O texto de Col 3, 2-3 não responde a pergunta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Col. 3.2,3, não responde agora, porque te falta fé, porém, naquele dia, o anticristo não te encontrará, e sabes porque? - Porque tu, meu caro, estarás escondido com Deus em Cristo Jesus.
      Abraços
      Souza

      Excluir
  108. Nilson,
    Só por curiosidade, você aplica o termo ARREBATAMeNTO de 1a Ts. 4.17, em que contexo? - A igreja vai encontrar com o Senhor no ares ou não? - Se sim, quando será isto?
    Em Ap. 19, o Senhor Jesus, vai descer com a igreja ou a encontrará aqui?
    Obs. Como são perguntas de retoricas, as excluirei logo pos respostas,
    Abracos

    ResponderExcluir
  109. Eu entendo que o Arrebatamento ou encontro com Jesus nos ares ocorrerá no último dia, o denominado "o dia do Senhor", o "último dia", "consumação dos séculos" ...

    O evento do Arrebatamento de 1 Tes 4, 17 ocorrerá juntamente com a vinda Gloriosa de Cristo, será visível a todos. Ele aparecerá e os que tiverem morrido na esperança ressuscitarão primeiro e os vivos serão transformados para encontrar com Cristo nos céus e descer com ele. Todos os crentes subirão em seus corpos glorificados e descerão para julgamentos das nações, mas tudo isso ocorrerá no último dia. (Jo 5,28;Apoc 1,17, Lc 17, 24 1 Co 15, 52 e outros);

    Sobre Apoc 19, eu entendo a luz da explicação de todos esses textos apresentados, que Subiremos para encontrar Cristo nos ares e desceremos com ele para julgamento final das nações, pois o crente não será julgado para salvação e sim para galardão.

    O livro de Apoc se enquadra num gênero literário conhecido como literatura apocalíptica, que surgiu mais ou menos 200 anos AC e foi até o fim do primeiro século da era cristã. Há diversos elementos nesse gênero que são peculiares a esse estilo na literatura hebraica.

    João escreve o livro nesse formato, saber disso é importante para entender a estrutura do livro, ou seja, saber o modo como ele foi escrito.

    O texto não segue uma ordem sequencial de eventos do primeiro capítulo ao último, ele apresenta visões do céu e também das coisas que ocorrem na terra (paralelismo),de modo que o texto avança e retrocede nos fatos, apresentando novos detalhes nas narrações.
    o cap 12 por exemplo é uma narração resumida da história da redenção, da batalha cósmica e salvação do povo de Deus, começando com o nascimento do messias o texto retrocede em relação aos eventos dos capítulos anteriores.

    o evento da cap 11 (a última trombeta) é a visão de João numa perspectiva de quem está assistindo o que está acontecendo no céu e a narrativa de apoc 19 é o fato se dando no tempo histórico (visão da vitória do messias e triunfo final)

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  110. Prezado Souza,

    Nós partirmos de premissas diferentes, e essa é a grande dificuldade de aceitarmos o ponto de vista um do outro.

    Não vejo dois povos de Deus: Israel e Igreja.
    Deus tem um povo, representado pelos santos do AT e os Santos do NT.
    Deus tem um povo, a igreja, para o qual ele tem um plano em todas as eras desde Adão: Reunir esse povo em um só corpo, tanto na era do AT quanto na era do NT. ICor 12,13.
    Israel foi o povo pela qual o Messias veio, mas com a Ressurreição e Pentecostes acabou todas as diferenças e barreiras. Joel 2,28 se cumpriu em At 2 conforme a pregação de Pedro.
    Depois do derramamento do Espírito sobre os judeus At 2,samaritanos tb receberam At 8, 14-25 e os gentios tb At 10, a igreja se tornou completa (universalidade do evangelho).
    A salvação é igual para todos, por meio da fé em Jesus. Não há mais diferença ente judeus e gentios. A igreja primitiva era composta por judeus ortodoxos e helenizados, o preconceito deles com gentios procrastinou a pregação entre os não judeus, mas em At 1, 8 fala da razão da descida do Espírito. Apesar de Pedro ter sido instrumento para levar o evangelho as gentios que ele considerava imundo conforme At 10, foi Paulo que se tornou Apostolo dos não-judeus devido a sua elevada compreensão do evangelho da Graça.

    A revelação é progressiva e pedagógica: Assim como diversos elementos no AT apontava para uma realidade superior e plena, Israel era figura da Igreja que se manifestaria de modo pleno e universal no Novo Pacto. Ou seja, o verdadeiro judeu é aquele que compreende o cumprimento das profecias em Jesus( Rom 9,6-8)
    A igreja é o novo Israel de Deus Gl 6,16. Qualquer judeu que confessar Cristo como seu Senhor faz parte do Israel espiritual, onde não há mais barreiras étnica, racial etc.
    Devemos lembra que o povo de Israel foi chamado de Eclesia (igreja) AT 7,38.

    Gálatas 3:6
    “É o caso de Abraão, que creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça. Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão. Ora, tendo a Escritura previsto que Deus justificaria pela fé os gentios, preanunciou o evangelho a Abraão: Em ti, serão abençoados todos os povos. De modo que os da fé são abençoados com o crente Abraão”.

    ResponderExcluir
  111. Olá a todos, chamo-me Fábio e sou de Portugal.

    Tenho acompanhado a discussão entre o Ildo, o Souza e o Nilson e achei tudo isto muito didáctico. Tenho 25 anos, e há um ano atrás era católico. Porém, andava por maus caminhos e tive algo que me chamou a Deus (não me vou adiantar muito agora). Quando atendi ao chamamento, criei em mim uma sede de conhecimento, agarrei na bíblia e comecei a ler. Passados largos meses, deixei de ser católico pois os ensinamentos da bíblia iam contra os ensinamentos católicos (culto a Maria, transubstanciação, relíquias santas, etc). Encontrei na Igreja evangélica os ensinamentos mais próximos dos ensinamentos de Cristo, e surgiu algo de novo para mim: o arrebatamento.
    Eu era um pre tribulacionista, porém ao ler toda esta discussão mudei a minha forma de pensar. Agora identifico-me mais com a posição do Ildo (pos tribulacionismo) devido ao excelente artigo que escreveu e a duas citações que retirei da biblia:

    - "E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no ULTIMO DIA." (João 6 : 39);
    - "Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com
    eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor." (1ª Tes., 4:16,17);

    Daqui retiramos duas conclusões concretas, e ninguém as pode negar (porque não há dupla interpretação):

    1º - A ressurreição será no ultimo dia;
    2º - Primeiro ressuscitarão os mortos, depois os vivos serão arrebatados ao céu;

    Ora, temos aqui uma ordem cronológica clara: a ressurreição será no ultimo dia e depois de ressuscitar os mortos, os vivos serão arrebatados. Depois, não antes.

    Esta é a minha opinião humilde e sincera. Desde já parabéns ao Ildo pelo excelente Blog e a todos os intervenientes, que de forma ordeira e educada expõe as suas opiniões.

    Um grande abraço a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Fabio, desejo-lhe a virtude do Cordeiro Vivo, o Messias.
      É possível que ninguém possa negar que a última ressureição se de no último dia, porém, existe a primeira (Ap. 20.5), e esta, esta estritamente ligada a 2a volta do MESSIAS. Muitos morrerão por conta do encontro entre o Messias e seus ungindos, com a trindade satanica (besta, falso profeta e o anticristo). A besta é o lider do levante belicoso dos exercitos do mal, contra o cristo e seus ungidos(Ap. 19.19). Veja bem Fabio, essa guerra se dará logo na chegada do Messias; de acordo com Zc. 14 : 4 esse encontro será no oriente médio: "E, naquele dia, estarão os seus pés sobre o Monte das Oliveiras",... Em Ap. 19.20 diz: E a besta foi presa, e com ela o falso profeta ... Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo ...
      ... os demais foram mortos pela espada da boca do cavalheiro. Depois e não antes disso, satanás é preso [no abismo] e amarrado por mil anos, com a "promessa" de que antes de findar mil anos o mesmo seria solto, para seduzir as nações( Ap.20.2-3).
      Há algumas unanimidades entre o escatólogos, meu caro Fabio, tipo: todos cremos que o Messias vai voltar e todos cremos que a igreja descerá juntamente com ele; que a igreja fará parte na sua manifestação. Conforme Jd. 14 ... Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos; Ap. 19 : 14 E seguiam-no os exércitos que há no céu em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro. Se o Messias vem aconpanhado de sua esposa, a mesma que ceiou na ceia do GRANDE DEUS( Ap.19.17). Observe que as narrativas do capitulo 19, principalmente do verso 11 até o verso 21, estão devidamente e cronologicamente colocados, como é então que ocorram tantos eventos do Cavalheiro com sua Igreja, para só depois surgirem os degolados? - Veja:
      Ap. 19.11: O Ceu esta aberto ...
      Ap. 19.11b:O Cavalheiro Fiel e Verdadeiro
      Ap. 19.19: Também é visto a besta ...
      Ap. 19.20: A besta e o falso profeta são presos e lançados vivos no lago de fogo ...
      Ap. 19.21: Os demais foram mortos.
      Ap. 20. 1: Desceu do céu um anjo, com a chave do abismo ...
      Ap. 20.2: Satanás é preso e amarrado por mil anos ...
      Ap. 20.3b: Satanás será solto pelo curto periodo de tempo ...
      Ap. 20.4a: Tronos e, capacitados para julgar são visto ...
      Ap. 20.4b: As almas dos degolados por causa do testemunho de Jesus e pela palavra de DEUS, e que não adoraram a besta nem sua imagem, nem receberam sinal ...[Veja amigo, eles são identificados, com dininições completamente diferentes dos santos que anteriormente participaram da bodas, ceia etc] ...
      Ap. 20.4c: Reviveram, e reinaram com Cristo durante mil anos.
      Ap. 20.5: Nem todos reviveram. Alguns tinham de esperar mais mil anos ...
      Ap. 20.5b: Esta é a primeira ressurreição.
      Ap. 20.6: Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição ...
      Ap. 20.6b: Sobre estes não tem poder a segunda morte [Isto, sugere que alguem vai ressuscitar e morrer novamente).
      Ap. 20.6c: Estes farão parte do milenio com Cristo.
      A Igreja, como sendo especial, ela desfrutará não apenas de mil anos de governo físico do Messias. Ela, ao ser ARREBATADA para encontra-lo nos ares, ficará para sempre com Ele (JESUS), conforme 1a Ts. 4.13-17, e, aonde quer, que ele esteja, ela estará tambem.
      Penso que os fatos falam por si mesmo. Ah!! Os mortos por questão de redundancia teriam de ressuscitar primeiro, porém, não se esqueça que, não é depois, com intervalo de tempo. O texto é claro: ... "depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados JUNTAMENTE[não separados pelo tempo] com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares.

      Abraços,
      Souza

      Excluir
    2. Caro Souza,

      Acredito piamente que a 1º ressurreição é uma ressurreição do espírito e a 2º é a ressurreição da carne. Assim como existem duas mortes (1º morremos na carne (todos sem excepção) e (se formos condenados) morremos no espírito), também existem duas ressurreições. Sustento a minha opinião em versículos bíblicos, que são os seguintes:

      - "Tendo sido sepultados, juntamente com ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos" (Cl 2:12)
      - "Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus” (Cl 3:1)

      Repare que aqui, o apóstolo Paulo dirige uma carta à Igreja de Colossos, e diz claramente que eles já foram ressuscitados juntamente com Cristo. Ora se esta é a 1º ressurreição, a 2º ressurreição é claramente na 2º vinda de Cristo. A 1º ressurreição já aconteceu no tempo do apóstolo Paulo, e acontece todos os dias sempre que um membro da Igreja parte deste mundo.
      Encadeando este comentário com o anterior, reforço ainda mais a minha posição pos tribulacionista.

      Um grande abraço,
      Fábio

      Excluir
    3. Olá Fábio, que alegria saber que estes estudos contribuíram para que você pudesse ter um melhor entendimento das Escrituras Sagradas! Deus continue abençoando sua vida e missão aí em Portugal!
      Um grande abraço!

      Excluir
    4. Obrigado Ildo! Que Deus o abençoe em seus estudos e na sua vida, e que contribuam para mudar mentalidades e aproximar mais as pessoas de Deus.

      Excluir
    5. Amado Fabio, Ildo, Nilson e demais ...,

      É prazeroso e surpreendente que alguém (Fabio), com tal organização literária das escrituras, não pertença a alguma congregação e, seja, “novo convertido. Parabéns! (sem vaidade, rsrrsrsr).

      Ainda tenho esperança que o Espírito da verdade, nos revele a mesma.

      Meus Caros, as escrituras dizem em Ef. 1:4 como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor;. Ora! se estamos nele antes da fundação do mundo, então, tudo se tornaria simbólico, porém, sabemos que não é isso o que ocorre. No texto referendado pelo Fabio, a palavra chave é FÉ. É pela FÉ! - "Tendo sido sepultados, juntamente com ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados MEDIANTE A FÉ no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos" (Cl 2:12). Vejam: "RESSUSCITAMOS NELE"É mediante a FË NO PODER DE DEUS, que assumimos a condição posicional em Cristo. Paulo disse: GL 3:27: Porque todos quantos fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo. E também disse aos gálatas: Estou crucificado com Cristo, e já não vivo (não estava ressuscitado espiritualmente), mais Cristo vive em mim [vida hipotecada, é como um imóvel financiado, é seu de fato, não de direito, pois esta hipotecado ao financiador]. A vida que agora vivo na carne, vivo na FË do Filho de Deus [ não numa ressurreição espiritual], é uma posse, como base na FË. Em Fl. 3.10, Paulo diz: Desejo conhece-lo, [e] o poder da sua ressurreição e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte. -
      CONTINUAÇÃO POSTAGEM SEGUINTE ...
      SOUZA

      Excluir
    6. Caro Souza,

      Agradeço os parabéns desde já! Também queria dar-lhe os parabéns pela perseverança com que defende as suas ideias, sempre de forma clara e
      moderada (apesar de discordar delas mais uma vez) :)

      No comentário do Souza, sublinhou que a palavra chave é FÈ. Para mim, a palavra chave é o verbo passado "fostes ressuscitados". A palavra FÉ, é a chave secundária, ou seja, é aquilo que nos leva à 1º ressurreição.
      Agora meditando nos versículos que o Souza citou, retive três conceitos básicos:

      - "fostes ressuscitados mediante a fé";
      - "estou crucificado com Cristo, e já não vivo, mas Cristo vive em mim";
      - "A vida que agora vivo na carne, vivo na fé do Filho de Deus";

      Na minha humilde interpretação, concluo daqui que mediante a fé fomos ressuscitados por Cristo (1º ressurreição). A partir desse momento,
      crucificamos a pessoa antiga e pecadora que eramos e já não vivemos mais nessa pessoa. Também a partir desse momento, Cristo vive em nós
      (através do espírito Santo) e apesar de vivermos na nossa carne a vida real, vivemos também na fé do Filho de Deus. A morte é apenas o fim
      da existência carnal e a CONTINUAÇÃO dessa vida espiritual, que começou a partir do momento em que aceitamos Cristo e ressuscitamos com Ele.

      Um grande abraço,
      Fábio

      Excluir
  112. Prezado Souza,

    Respondendo sobre o Apoc 20.

    Conforme eu havia lhe informado, o livro de Apoc segue uma estrutura que avança e retrocede em termos cronológicos. O livro trabalha em perspectiva simbólica e se faz necessário compreender o destinatário primário do livro.

    Por exemplo: João vive debaixo de perseguição, Nero já havia colocado fogo em Roma e culpado os cristãos. A igreja via o império Romano como a Grande prostituta que derrama o sangue dos santos e os imperadores como Anti-cristo.
    (hoje podemos compreender que eles eram tipos de anticristo, assim como vários outros personagem na história, mas virá o anticristo final - 1 Jo 2,18)

    O livro é escrito para consolar primeiramente os leitores que estavam inseridos no contexto.

    É natural que a linguagem de João esteja permeada de sangue, mártir etc, pois os santos de seu tempo estavam morrendo por causa do testemunho de Cristo.

    Quando estudamos hermenêutica nós vemos que as profecias bíblicas, principalmente do AT tem na maioria das vezes cumprimento duplo, o profeta fala dentro dum mesmo contexto nos parecendo que se trata de um único evento, mas não é: exemplo MT 24 (Cristo fala do julgamento de Israel e do fim dos séculos, o primeiro se cumpriu no ano 70 dc.

    Apoc 20 pode ser compreendido numa linguagem figurada, a primeira ressurreição pode ser vista como espiritual e não física, veja: a Bíblia fala que a primeira ressurreição é a vida que recebemos na conversão: Jo 5,25-29, Col 2,12, 1 jo 3,14 Ef 2,1. Rm 6,11
    João consola a igreja afirmando que os mortos da perseguição não sofrerão o dando da segunda morte (inferno) pois eles já reinam com Cristo espiritualmente.
    As almas do Apoc 20,4 são as mesmas do cap 6,9.
    A segunda Ressurreição será por ocasião da segunda vinda de Cristo.
    A primeira morte é a físcia e a segunda é o inferno.
    O milênio é simbólico, ele vai da primeira vinda e se estende até a sua 2ª vinda.
    O termo Millennium não significa exatamente 1000 anos, mas um longo espaço de tempo, lembrando que os números no Apoc são simbólicos.
    A Bíblia usa a ideia de 1000 anos como longo espaço de tempo em outras passagens: Dt 1,11;7,9 32,30 2 Ped 3,8.

    A prisão de satanás é a restrição do seu poder que teve seu início com o ministério de Cristo lc 10, 17-24 ; Mt 16, 18; Mt 12,29; JO 12, 31-32; Col 2,15; 1 Jo 3,8.

    Resumindo:
    Com a vinda de Cristo o poder de satanás foi restringido (foi amarrado numa linguagem simbólica) os crentes gozam da primeira ressurreição e estão reinando com Cristo num plano espiritual. A segunda morte não terá poder sobre os crentes e os salvos ressuscitarão fisicamente com a volta de Cristo.

    ResponderExcluir
  113. Prezado Fábio,

    Graça e paz!

    A sua experiência cristã é bem parecida com a minha, mt legal!

    Compartilho da mesma visão e de uma similar experiência. Os textos que falam da ressurreição do último dia são claros.

    Como tem sido o evangelho em Portugal, o povo tem sido receptivo? Algumas denominações no Brasil tem olhando com mt carinho para os países europeus como alvo de trabalhos missionários.

    Graça e paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nilson,

      Aqui em Portugal, assim como na Europa em geral, há um enorme vazio em termos de religião. E o que não é vazio, está preenchido pelo catolicismo. Eu pessoalmente não faço parte de nenhuma denominação evangélica, estou a iniciar-me na fé cristã e ainda estou em processo de aprendizagem :)
      Já noto grandes mudanças ao nível pessoal desde a minha conversão, mas não me sinto preparado ainda para pregar o evangelho (verbalmente falando). Nas minhas acções diárias, tento sempre seguir os passos de Jesus Cristo e amar o próximo e penso que assim já estou pregando o evangelho com as minhas atitudes. Mas quero fazê-lo de forma integral, e isso ainda demora mais algum tempo :)
      Vou começar pela minha família (que é católica devota), e depois vou filiar-me em alguma denominação para participar mais activamente nesta missão que nos cabe: espalhar o evangelho e dar frutos da Videira Viva que é Jesus Cristo.

      Um grande abraço,
      Fábio

      Excluir
  114. Prezado Souza,

    Que Deus continue te abençoando poderosamente em Portugal!

    Sobre a Ressurreição dos mortos, Há uma passagem em João 5, 24-25 - a primeira ressurreição (espiritual)
    João 5, 28-29 ( segunda ressurreição física). Num mesmo texto as duas ressurreições são apresentas sem deixar dúvidas.

    ResponderExcluir
  115. CONTINUANDO ..
    Parece que Paulo não conhecia ainda, esse poder da "ressureição espiritual. Vejam Fl. 3.11: Para vê se de alguma maneira, posso chegar à ressurreição dentre os mortos. Bem! A “ignorância” paulina durou muito, possivelmente, até a morte física, e, pelo visto, ele continuo ignorando essa tal ressurreição, haja visto, ter dito: "Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes a cerca dos que já dorme, para que não vos entristeçais" (1a Ts. 4.13). No mínimo o óbvio, seria dizer-lhes, que eles já possuíam a realidade da ressureição espiritual. Que viver na tristeza dos demais desesparantoso, era uma desonra, sobretudo a obra redentora de Cristo na Cruz. No entanto, Paulo diz: Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos ENTRISTEÇAIS, como os demais, que não têm esperança. 1a Tessalonicenses 4:13.
    Para alguém, com a suposta “consciência” da ressurreição espiritual; é estranho que console os outros, dando-lhes esperança na ressureição física, que precederia a transformação dos vivos (1a Ts. 4.14).
    A morte não produz uma ressureição espiritual, como dizes, o que ocorre, é o que afirma 1a Ts. 4.14b: ... os que dorme em Cristo, estão [biologicamente] mortos, e, espiritualmente aguardando a ressureição dos que compõe o mistério revelado (os membros da igreja); aguardando o clamor da trombeta do arcanjo e não de sete anjos (1a Tes. 4.13.-17). Eles não ressuscitam por conta da morte, mas aguardam a ressureição enquanto 'DORME'(MORTO), é simples, não?
    O conjunto de adjetivos aplicados a igreja, deixam muito claro, que ela não seja apenas, um, entre muitos. Os povos podem ser muitos, porém, de todos os povos línguas, tribos e nações , o SUPREMO CRIADOR separou alguns; fazendo deles, um só povo, para a sua gloria, isto, é, a NOIVA do CORDEIRO. Ela é única e não é, apenas um povo entre muitos , é a futura esposa, que com seu esposo regerá as nações.
    Veja a diferença na eternidade entre a igreja e demais povos/nações: AP 21:9. E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das sete últimas pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro.
    AP 21:10 E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou- me a santa cidade de Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus. A cidade era a igreja e a Igreja era a cidade, porém, de acordo com Ap. 21:24, as nações andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória (Esposa do Cordeiro).
    AP 21:26 e a ela (igreja) trarão a glória e a honra das nações.
    AP 21:27 E não entrará nela coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira; mas somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.
    Amigos, as escrituras dizem o que quer dizer e nossas interpretações humanas, não podem mudar a escrita.
    Com preocupação convosco e muito carinho,
    O Candidato a servo inútil:
    Souza.

    ResponderExcluir
  116. Irmão Souza,

    Vc está confundindo duas realidades diferentes:
    Morte significa separação.
    O homem pecou ,ele se separou de Deus.
    A esperança da igreja é a ressurreição que por ocasião acontecerá a redenção do corpo.
    Os textos que vc citou estão falando da ressurreição do corpo (neste sentido ele descansa, ele dorme, mas a alma é imortal e ela aguarda a união novamente com o corpo, isso é o que a igreja tem ensinado nesses dois mil anos).

    O Texto de João é claro, pois ali há ressurreição espiritual (ocorre no ato da conversão e não quando morre) Jo 5, 25, Jesus disse que aquela era a hora. E a ressurreição do último dia vers 28 e 29, que ele afirma que irá acontecer.
    Paulo disse: Se foste ressuscitado com Cristo Col 3,1.
    Meu amigo, o texto é claro, estávamos mortos e Deus nos deu Vida (essa é a primeira ressurreição ).
    Paulo disse: Deixar o corpo e habitar com o Senhor em 2 Cor 5,8 (ele não estava falando da ressurreição do corpo, pois ele afirmou deixar o corpo.

    O crente recebe a vida eterna aqui na terra, ela é chamada de Ressurreição (Ef 2,1; 2,6) pois o crente estava morto espiritualmente por conta do pecado.

    O batismo é figura de uma realidade que aconteceu com o crente, mas há ressurreição e a morte acontecendo na dimensão espiritual. col 2,12 e Rom 6,4.

    Paulo tinha a certeza de que a morte física não colocava fim a existência, pois ele queria partir para estar com Cristo Fil 1,21-23 e não ficar dormindo aguardando o último dia, pois isso não seria infinitamente melhor.

    A Bíblia se refere ao descanso do corpo, pois esse aguarda a revelação da sua glorificação Rom 8,23. Quando a Bíblia se refere aos que dormem, o texto fala do descanso do corpo dos crentes e nunca do seu estado espiritual.

    A alma do crente ressuscitou em Cristo e vive mesmo quando a morte física chega. LC 16,22; 23,43 2 Cor 5,8 Apoc 6,9-11 e Apoc 14,13.

    Quando Paulo fala sobre estar crucificados, morto em Cristo ... Ele se refere ao processo de santificação, onde morremos diariamente para nós mesmos a fim de sermos a cada dia parecido com Cristo Fil 3,12-14 e Rom 8, 29-30.

    A nossa eleição em Cristo não é simbólica, é uma realidade pois Deus é eterno e na sua eternidade ele nos conheceu Rom 8, 29 Ef 1.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Nilson, vc acha que a nossa geração passará pela tribulação?
      Se sim, como vc lida com isso em seu dia-a-dia?
      Abraço!

      Excluir
  117. Paz Rafa,

    Eu entendo que devemos a cada dia que passa nos parecermos mais com Cristo (Rom 8,29). Deus nos criou para sermos a semelhança do nosso irmão mais velho. Isto é tudo que importa, quando entendemos que todas as coisas estão sujeitas a soberania de Deus, compreendemos que até mesmo o mal cumpre o seu propósito( Rom 8,28). Paulo nos informa que somos co-participantes dos sofrimentos de Cristo.
    Se esta é a geração que irá sofrer na mão do anticristo, realmente não sei, mas se me for dado a graça de morrer pelo evangelho, tudo que importa é que eu não vacile no momento sublime de encerrar a minha caminhada.
    Hoje vivo na esperança de ser mais parecido com Jesus, e se for necessário a tribulação para que haja aperfeiçoamento e maturidade, tudo o que peço é a mesma graça que esteve presente na vida dos santos de Deus ao longo da história do cristianismo.

    ResponderExcluir