Pular para o conteúdo principal

Um contraste entre dois estilos de vida

Compare o Salmo 1 com o Sermão do Monte (Mt 5-7). Ambos começam com a mesma expressão: “Bem-aventurado”, que significa aquele que é plenamente feliz. Ambos contrastam dois estilos de vida ou dois caminhos que levam a destinos completamente diferentes. (Sl 1.6 e Mt 7:13).
Agora, o contraste não é tão aparente assim aos olhos humanos (Sl 73). A pessoa feliz da perspectiva divina nem sempre é a que está sorrindo. Jesus surpreende a todos com sua lista de pessoas bem-aventuradas! (Mt 5.1-11). Há tempo para todo o propósito debaixo do sol. Há tempo também para chorar (Ec 3.1-4). Quem em lágrimas semeia, um dia colherá com alegria (Sl 126.5). Por isto é que Cristo diz que bem-aventurados são os que choram (Mt 5.4). O justo é como árvore plantada junto ao ribeiro e que dá fruto no seu devido tempo (Sl 1.3). É preciso paciência e perseverança para esperar o tempo da colheita (Gl 6.9).
Os ímpios não prevalecerão no juízo (Sl 1.5). Pode ser até que prevaleçam no juízo humano por suborno ou qualquer outro tipo de influência, mas não no juízo divino. Mais cedo ou mais tarde, ficará evidente a diferença entre a pessoa que serve a Deus e a que o despreza (Sl 1.6 e Mt 7.24-27).
À semelhança do Salmo 1, Jesus conclui seu sermão mostrando a diferença entre o que obedece a Deus e o que não lhe obedece. Deus conhece os justos (Sl 1.6), mas não reconhece como amigo os que são praticantes da iniquidade, não importando se são aparentemente religiosos (Mt 7:23 e Jo 13.17). A casa do prudente tem fundamento e permanecerá, enquanto que a da pessoa desobediente está em solo arenoso e será destruída (Mt 7.24-27). O vento do juízo soprará a palha, mas a pessoa que vive conscientemente na presença da “Palavra” e faz a vontade de Deus, esta permanecerá para sempre (Sl 1.5-6; Mt 7.21-27 e 1 Jo 2.17).

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

"Tudo, porém, seja feito com decência e ordem" (I Co 14:40)

O Apóstolo Paulo exorta desta maneira a igreja de Corinto que precisava aprender que a ação do Espírito produz ordem e e decência, e não bagunça e confusão. A liberdade do Espírito não é incompatível com a ordem e a decência deste mesmo Espírito, pois "Deus não é Deus de desordem" (1Co 14.33). Portanto, toda desordem no culto não é de procedência divina. Sabedores disto, cabe aos pastores botarem ordem na casa, não permitindo que o culto seja enrolado e descontrolado. Assim como Paulo estabeleceu regras para o bom andamento do culto, devemos nós fazer o mesmo.

Alguns exemplos de coisas que devemos evitar em um culto:

O culto deve ser objetivo, enxuto, sem vãs repetições.

Cada participante deve possuir uma clara consciência da integridade do culto para não invadirmos a área do outro.

Um dirigente de culto e um líder de louvor não devem fazer comentários bíblicos prolongados, visto que já teremos um pregador…

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

IntroduçãoOs pré-tribulacionistas afirmam que Deus não permitirá que a Igreja sofra no período da Grande Tribulação. Mas, não existe nenhum versículo bíblico que ensine que a Igreja não passará pela Grande Tribulação e nada existe também na Bíblia sobre uma Segunda Vinda de Cristo em duas fases ou etapas, separadas por sete anos de Grande Tribulação, e também não há nada sobre um arrebatamento “secreto”, pois não há nada de secreto e silencioso nos relatos que descrevem o arrebatamento da Igreja (1Ts 4.16-17; Mt 24.31). 
Outra incongruência deste ponto de vista é a ideia de um arrebatamento para tirar a Igreja e o Espírito Santo da Terra antes da manifestação do Anticristo. Se este fosse o caso, o Anticristo seria anti o quê? Anticristos são falsos profetas que já atuavam no mundo nos tempos mais primitivos da Igreja. Não devemos confundir Anticristo com a Besta ou Bestas Apocalípticas. Todas as menções ao(s) Anticristo(s) aparecem nas epístolas joaninas e dizem respeito aos hereges o…

Lições extraídas da história de Mefibosete

Áudio:
Vídeo:
Mefibosete from Ildo Swartele Mello on Vimeo.

Lições extraídas da história de Mefibosete Mefibosete nasceu num "berço de ouro" de um "palácio real", pois era neto do Rei Saul, filho do Príncipe Jônatas (2Sam 4.4). Entretanto, uma tragédia se abateu sobre sua vida quando ele tinha apenas 5 anos de idade. Israel foi derrotado em uma sangrenta batalha. A notícia da morte de Saul e de Jônatas chegaram até a casa real; então, a babá de Mefibosete, temendo que o menino também fosse morto, o toma em seus braços e foge correndo, mas, na pressa, acaba tropeçando e deixando o menino cair. Na queda, Mefibosete despedaça os pés e fica aleijado.

Agora, ele está órfão de pai e mãe. Perdeu a majestade, perdeu a saúde e vive escondido em um humilde povoado na casa de um bom homem chamado Maquir, que foi quem o amparou, adotando-o como filho.

Tais tragédias são frutos da rebeldia do Rei Saul, que plantou ventos e acabou colhendo tempestades devastadoras para a sua …