O CRISTÃO E O CARNAVAL

De um modo em geral, carnaval é a festa que dá vazão aos apetites carnais, promovendo excessos de todo tipo, como gula, embriaguez e orgias sexuais, que afetam a dignidade humana, além de resultar em um significativo aumento nos casos de doenças sexualmente transmissíveis e de gravidez indesejada, sem falar nos casos de infidelidade conjugal que terminarão em divórcio. Há também um espantoso aumento do uso e abuso de álcool e drogas nos dias de carnaval, gerando inúmeros casos de intriga, violência e mortes nos salões, nas ruas e no trânsito. Mulheres nuas, homens fantasiados de mulher ou de bebê com frauda e chupeta, pessoas com fantasias diabólicas e medonhas, um descalabro total que promove tudo o que é ridículo, estúpido, leviano, vergonhoso e extravagante. Uma festa que costumeiramente termina em amargas cinzas. No passado, as máscaras de carnaval serviam para ocultar a identidade daqueles que queriam cair na folia sem comprometerem sua imagem pública, enquanto que, para agravar a situação, nos dias de hoje, a hipocrisia parece ter dado lugar ao descaramento total, sinal da degradação moral da sociedade.

Participar do Carnaval é compactuar com estes males e expor-se à inúmeras tentações perigosas. Não adianta orar “não nos deixes cair em tentação” quando nós mesmos damos lugar ao diabo. “Pode alguém andar sobre brasas sem queimar os pés?” (Pv 6:28). O Apóstolo Paulo adverte os cristãos dizendo que se eles andarem segunda a carne, certamente morrerão (Rm 8.13). Ele ainda os exorta, dizendo: “vocês não podem beber do cálice do Senhor e do cálice dos demônios; não podem participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.” (1 Co 10:21). Portanto, “não dêem lugar ao Diabo (Ef 4:27) “fujam das paixões da mocidade (2Tm 2.22). Pedro igualmente adverte: “sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar.” (1 Pe 5.8).

SUGIRO SETE MEDIDAS PRÁTICAS NOS DIAS DE CARNAVAL:

1. Faça como Daniel que, sendo ainda tão jovem, resolveu, firmemente, não contaminar-se” com os aspectos pecaminosos da cultura em que estava inserido (Dn 1.8). “Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância” (1Pe 1.14). “Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.” (2Tm 2.22). 
2. Dê ouvidos a Palavra de Deus que diz: “Sai dela , povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. Porque já os seus pecados se acumularam até ao céu , e Deus se lembrou das iniquidades dela.” (Ap 18.4–5).

3. Os pais devem conversar com transparência com seus filhos sobre os males do carnaval e devem também orar com eles.

4. Privilegie as programações da Igreja.

5. Promova passeios à espaços saudáveis.

6. Os pais devem também desenvolver amizades com pais cristãos que possuem filhos na mesma idade, favorecendo que os filhos tenham amigos com princípios cristãos. 
7. Cuidado também com os programas de televisão e com as muitas páginas da internet que promovem pornografia e a licenciosidade.

Ildo Mello

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma exortação para que haja ordem e decência nos cultos

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

Lições extraídas da história de Mefibosete